Há três anos que o número de associados da APAVT tem aumentado consecutivamente

08-12-2016 (09h24)

Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT (Cont.3)

"Vamos chegar ao fim do ano com mais agências [associadas] do que iniciámos o ano e, depois de alguns anos de estagnação, vamos para o terceiro ano em que o Congresso supera a representatividade de agências do ano anterior", garantiu ao PressTUR o presidente da APAVT, para ilustrar que a Associação tem reflectido a chegada ao mercado de mais empresas.

 

PressTUR: E essa abertura de novas agências reflecte-se na APAVT?

Pedro Costa Ferreira: Reflecte-se na Associação. É sabido, é notório e é do conhecimento geral que no período da crise económica, do ajustamento macroeconómico, e também no período que o antecedeu, houve algum retrocesso do ponto de vista da representatividade, ou, vamos ser claros, do número de agências. Mas foi assim na APAVT, como nas diversas Associações. A grande verdade, e é uma das coisas que mais alegria nos causa do ponto de vista dos meus dois mandatos, é que de há três anos para cá invertemos a situação, e de há dois anos para cá que os associados da APAVT aumentam de Janeiro do ano anterior para Janeiro do ano subsequente. E vai voltar a acontecer este ano, isto é, vamos chegar ao fim do ano com mais agências do que iniciámos o ano e depois de alguns anos de estagnação vamos para o terceiro ano em que o Congresso supera a representatividade de agências do ano anterior. Sexta-feira, viajava para a Convenção da GEA, e tinha tido o telefonema da APAVT a dizer que tínhamos chegado ao número de agências do ano passado (entretanto, já largamente ultrapassado). E isto não é apenas gratificante ou motivador, é também francamente entusiasmante, significa que uma vez mais vamos ter um momento no Congresso com recorde de agências na história recente da APAVT. Claro que ninguém está a comparar com as mil e tal pessoas que estiveram em Marraquexe há 20 ou 30 anos. Não é comparável. Mas  estamos a comparar com há quinze anos, dez anos, com há nove anos, com há oito anos, com há sete anos... São números claros que representam dinâmica e que nos fazem confiar no futuro.

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Royal Caribbean vai crescer na Europa “sustentada na qualidade”, Francisco Teixeira

12-06-2019 (13h09)

A oferta de cruzeiros da Royal Caribbean no Mediterrâneo nos próximos dois a três anos talvez não “cresça muito em quantidade, mas cresce com certeza em qualidade”, avançou Francisco Teixeira, director da Melair, empresa que representa a companhia de cruzeiros em Portugal.

Melair desafia agentes de viagens a propor cruzeiros à saída de Porto Rico

12-06-2019 (13h07)

Francisco Teixeira, director da Melair Cruzeiros, desafiou ontem os agentes de viagens participantes de uma visita a um navio em Lisboa a proporem aos seus clientes os cruzeiros da Royal Caribbean com embarque e desembarque em San Juan, Porto Rico.

Redes de agências de viagens “estão mais disponíveis” para o produto de cruzeiros, Francisco Teixeira

12-06-2019 (13h04)

As redes de agências de viagens "estão mais disponíveis" para o produto de cruzeiros, afirmou Francisco Teixeira, director da Melair Cruzeiros, que representa em Portugal as companhias Royal Caribbean, Celebrity, Azamara e Pullmantur.

Mercado de cruzeiros português ultrapassa este ano os 60 mil passageiros, Francisco Teixeira

12-06-2019 (13h01)

O mercado português de cruzeiros, que depois de chegar aos 50 mil passageiros em 2010 caiu para a ordem dos 30 mil, irá este ano ultrapassar, e "bem" os 60 mil, avançou ontem Francisco Teixeira, director da Melair Cruzeiros, que representa as companhias Royal Caribbean, Celebrity, Azamara e Pullmantur.

Amadeus arrasa IATA quanto aos GDS e ao NDC

11-06-2019 (18h05)

A empresa de tecnologia Amadeus, líder mundial em processamento de reservas de voos por agências de viagens, arrasa a IATA em matéria de desenvolvimento de novos standards de distribuição, a New Distribution Capability (NDC), numa resposta a críticas da associação das companhias de aviação que considerou inexactas, enganadoras e decepcionantes.

Noticias mais lidas