ALEP defende que diploma do alojamento local “tem que ser clarificado”

03-08-2018 (16h32)

A Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) pretende “sensibilizar os legisladores” para que o diploma promulgado esta semana pelo Presidente da República seja “clarificado”, sob pena de contribuir apenas para criar “ainda mais confusão”.

A Associação, presidida por Eduardo Miranda, declarou-se “insatisfeita” com a promulgação e apelou à correcção da lei por parte dos deputados.

O presidente da ALEP disse à Agência Lusa que esperava que Marcelo Rebelo de Sousa “percebesse que esse diploma tinha que voltar para trás, que esse diploma tinha que receber um veto”, e lamentou a “pressão de tempo” em todo o processo legislativo.

“Ninguém teve acesso ao texto final do diploma antes do envio ao Presidente da República”, já que foi alterado e corrigido o texto aprovado, em votação final global, no parlamento, acrescentou Eduardo Miranda, para justificar que, assim, “não foi possível explicar porque é que esse diploma deveria ser vetado”, razão pela qual considera que a decisão do Presidente da República podia ter sido outra, se tivesse sido alertado para “uma série de inconsistências, erros e até conflitos jurídicos” na alteração à lei do alojamento local.

Aproveitando as ressalvas feitas por Marcelo Rebelo de Sousa, nomeadamente a existência de “soluções pontuais questionáveis e de difícil conjugação de alguns preceitos legais”, a ALEP pretende “sensibilizar os legisladores de que este diploma tem que ser clarificado, algumas questões vão ter que ser alteradas sob o risco de não terem eficácia ou sob o risco de, em vez de criarem aquilo que sempre se precisou que foi estabilidade, - estamos há mais de um ano neste ambiente de indecisão, o que se esperava é que se conseguisse estabilizar com esta nova lei -, o que vai criar é ainda mais confusão com a nova lei”.

“Vamos continuar a mostrar e a sensibilizar que esta solução não é uma boa solução, nem para o país, nem para as cidades, nem para os próprios condomínios”, afirmou Eduardo Miranda, indicando que, “ainda depois de promulgado, o diploma contem erros”.

Neste sentido, a associação vai analisar cada um dos aspectos do diploma e a quem recorrer, “alguns deles aos próprios deputados, desafiando a fazerem as devidas correções”, nomeadamente no caso dos seguros para o alojamento local, que está “complementarmente confuso e ninguém sabe o que é que vai ser necessário”, já que existem três seguros distintos.

Relativamente à intervenção das Câmaras Municipais, o presidente da ALEP defendeu que é preciso clarificar o diploma, definindo “critérios objectivos”, como por exemplo “o que é que são zonas de pressão onde as câmaras podem actuar”.

Se não for corrigido e clarificado o papel das autarquias na regulamentação do alojamento local, o diploma vai colocar as Câmaras Municipais “em conflito com a legislação comunitária”, o que levará a associação a “mostrar à Comissão Europeia a forma como o Estado Português está a violar a Directiva de Serviços”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Ver também:

Presidente promulga diploma que estabelece novas regras para o alojamento local

Alojamento local recebeu mais 28,8% de hóspedes em 2017

 

Clique para ver mais: Alojamento local

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP agrava redução da operação para 99,7% e cessa todo o longo curso até início de Maio

28-03-2020 (23h15)

A TAP, que já tinha anunciado uma redução em quase 98% dos voos, a partir de 1 de Maio amplia a redução para 99,7%, nomeadamente parando todos os voos de longo curso e praticamente só fica com cinco voos por semana para Açores e Madeira e quatro para Londres Heathrow.

ERA defende que suspensão de regras da aviação é o mínimo que a UE pode fazer

28-03-2020 (11h31)

A Associação das Companhias Regionais Europeias (ERA) defende que a suspensão temporária das regras de atribuição dslots às companhias aéreas é "o mínimo" que Bruxelas pode fazer para ajudar o sector aeronáutico europeu.

euroAtlantic tem previsto para hoje voo de repatriamento de Angola

28-03-2020 (10h58)

A companhia de aviação portuguesa euroAtlantic Sirways (EAA) tem previsto para hoje um voo de repatriamento de cidadãos portugueses em Angola e indicou  ter em preparação mais voos de países africanos lusónofos.

Aeroporto de Londres Gatwick encerra Terminal Norte no dia 1 de Abril

27-03-2020 (17h29)

O aeroporto de Londres Gatwick, para onde a easyJet opera os seus voos de Lisboa e do Porto, vai encerrar o Terminal Norte a partir de quarta-feira durante um mês, devido ao impacto da pandemia de covid-19.

ANA suspende actividade no Terminal 2 do Aeroporto de Lisboa

27-03-2020 (15h06)

A ANA - Aeroportos de Portugal suspende a actividade no Terminal 2 do Aeroporto de Lisboa, principalmente dedicado a vos ponto-a-ponto, nomeadamente das companhias low cost, a partir segunda-feira.

Noticias mais lidas