Air Europa vai passar a propor ligações com a Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala, via Panamá

17-04-2019 (15h56)

Foto: Air Europa
Foto: Air Europa

A Air Europa, companhia de aviação do grupo espanhol Globalia, que em Portugal tem voos de/para Lisboa e Porto, anunciou a inclusão da Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala na sua lista de destinos, via Cidade do Panamá, com a companhia Copa.

“A Air Europa fortalecerá a sua presença na América Central ao inaugurar em Junho a sua nova rota para o Panamá e, ao mesmo tempo, pôr à disposição dos seus passageiros a opção de voarem, em partilha de código com a Copa Airlines, para a Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala”, anuncia um comunicado do grupo espanhol.

A informação especifica que a “aliança” entre as suas companhias começará a 3 de Junho, com o início dos voos da Air Europa para a Cidade do Panamá, em Boeing 787 Dreamliner e realça que as conexões será “através do Hub das Américas, o centro de conexão com a maior rede aérea internacional da América Latina, que inclui 81 destinos em 33 países do Norte, Centro, Sul da América e Caraíbas”.

A ‘aliança’, que envolve a Copa, uma das companhias da Star Alliance, de que faz parte a TAP, enquanto a Air Europa é da rival SkyTeam, segundo o comunicado permitirá à espanhola propor os voos que diariamente ligam a Cidade do Panamá a San José da Costa Rica, a Manágua, a San Salvador e a Ciudade de Guatemala, com “conexão rápida e cómoda” no aeroporto do Panamá.

O comunicado realça que pelo seu lado a Air Europa proporcionará “excelente conectividade” a passageiros Copa de 23 destinos em Espanha e 15 em outros países da Europa, África e Médio Oriente.

O comunicado publica uma declaração do director Comercial da Air Europa, Imanol Pérez, na qual diz que o acordo com a Copa a Air Europa “afirma-se como a companhia de aviação de referência entre a Europa e a América”, um mercado em que tem voos próprios de Madrid para 20 cidade e proporciona ligações a outros 30 através de code-shares.

“Esta nova aliança com a Air Europa reforça a presença da nossa companhia em Espanha e também fortalece a nossa conectividade a nível nacional neste relevante país”, diz uma declaração do vice-presidente sénior Comercial e Planificação de Copa Airlines, Dennis Cary, também citada no comunicado.

A Cidade do Panamá foi um dos destinos que a TAP descontinuou em finais de Março de 2016, tal como Bogotá, hubs de duas companhias que tinham entrado recentemente para a Star Alliance, a Copa e a Avianca, para os quais tinha começado a voar em 2014 (para ler mais clique: TAP ‘estende as asas’ à América ‘espanhola’ e acrescenta seis destinos europeus).

 

 

Clique para mais notícias: Air Europa

Clique para mais notícias: Copa

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP prevê transportar mais 800 mil a um milhão de passageiros este ano

20-05-2019 (17h18)

“Ainda é cedo, estamos em Maio”, contemporizou o CEO da TAP, Antonoaldo Neves, que ainda assim não deixou de avançar que prevê que a TAP transporte este ano entre 800 mil e um milhão a mais que em 2018.

Ryanair espera mais 8% de passageiros mas sem lucrar mais

20-05-2019 (16h40)

A low cost Ryanair indicou hoje que espera chegar a 153 milhões de passageiros no ano fiscal 2019/2020 que iniciou a 1 de Abril, com um aumento em 8%, a que se somará uma subida da receita média por passageiro entre 2% e 4%, mas ainda assim não antevê melhor que uma estagnação do lucro, que em 2018/2019 caiu 39%.

Ryanair avança a possibilidade de receber os primeiros B737 MAX em Novembro

20-05-2019 (16h37)

A low cost Ryanair aponta na sua apresentação de resultados a possibilidade de receber em Novembro os primeiros cinco Boeing B737 MAX, que estão impedidos de voar desde meados de Março sem a correcção dos problemas que alegadamente levaram a dois acidentes em que morreram 346 pessoas.

Agravamento de custos com combustíveis, pessoal e Laudamotion ‘corta’ lucro operacional da Ryanair em 39%

20-05-2019 (16h18)

A low cost Ryanair declarou hoje uma quebra do lucro operacional em 39,1%, que o seu balanço evidencia reflectir principalmente os agravamentos e custos com combustíveis, em 27,6% ou 524,4 milhões de euros, com pessoal, num ano em que enfrentou greves de pilotos e tripulantes de cabina pela melhoria das suas condições contratuais, em 28% ou 206,5 milhões, e com o lançamento da austríaca Laudamotion, em 223,9 milhões.

APG Portugal promove ‘open day’ na próxima segunda-feira

20-05-2019 (13h10)

A APG Portugal, que representa companhias como a Finnair, a Croatia Airlines e a Trenitalia, entre outras, vai estar de portas abertas para apresentar a sua oferta na próxima segunda-feira, dia 27, às 14h.