easyJet teve aviões mais vazios, mesmo com ‘bónus’ das greves na British Airways e Ryanair

08-10-2019 (16h54)

Foto: easyJet
Foto: easyJet

A low cost easyJet, que em Portugal tem voos para Lisboa, Porto, Faro e Funchal, revelou hoje que no exercício terminado a 30 de Setembro teve uma queda da taxa de ocupação dos voos em 1,4 pontos, para 91,5%, ainda que realce ter registado procura acrescida pelas greves nas concorrentes British Airways e Ryanair.

A informação faz parte da actualização dos seus dados pré-fecho do ano fiscal pelo que apenas revela alguns indicadores, ainda assim os suficientes para evidenciar uma quebra de rentabilidade, por decréscimo da taxa de ocupação e também descida da receita média por lugar, que informou ter baixado 2,7% a câmbios constantes, ainda que no segundo semestre tenha subido 0,8%.

Os dados publicados pela low cost mostram que embora tenha colocado no mercado mais 9,8 milhões de lugares de avião que no exercício anterior, com um aumento em 10,3%, para 105 milhões, teve ‘apenas’ mais 7,5 milhões de passageiros (+8,5%, para 96 milhões), o que significa que o número de lugares vazios nos seus voo aumentou em 2,3 milhões.

Os parcos dados divulgados hoje pela easyJet não incluem uma estimativa da receita no ano fiscal 2018/2019, terminado a 30 de Setembro, mas a informação avançada aponta para que tenha registado um aumento de custos operacionais superior, uma vez que indica que esse aumento foi em 12%, acima portanto do aumento de passageiros (+8,5%) e, sobretudo, do aumento de receitas de tráfego, já que informou uma queda da receita por lugar em 2,7%.

Eventualmente esta é a explicação para a queda das suas acções nos mercados de capitais (-7,89% à abertura do mercado), embora tenha anunciado um lucro antes de impostos (headline pretax profit) entre 420 milhões e 430 milhões de libras (467 milhões a 478,2 milhões de euros), destacando situar-se “na metade superior da sua previsão anterior”.

Porém, no exercício anterior, terminado a 30 de Setembro de 2018, a easyJet declarou um Headline profit before tax de 578 milhões de libras e um Reported profit before tax de 445 milhões.

 

Clique para mais notícias: easyJet

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Expansão da TAP “espera ansiosamente" pelo aeroporto no Montijo – Miguel Frasquilho

18-10-2019 (13h40)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, afirmou em Macau que a expansão da TAP depende da construção do novo aeroporto no Montijo, que a companhia aérea portuguesa “espera ansiosamente" para poder expandir na Portela, em Lisboa.

Presidente da TAP descarta voos directos para a China “num futuro imediato”

18-10-2019 (13h38)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, descartou a hipótese de a companhia fazer voos directos de Portugal para a China "num futuro imediato", apesar do crescimento de turistas daquele país asiático.

TAP anuncia mais 20% de capacidade para Luanda no próximo ano

17-10-2019 (14h53)

A TAP vai reforçar a sua capacidade para Luanda em mais 20% a partir do próximo ano, anunciou na capital angolana o seu Chief Marketing and Sales Officer, Abílio Martins, que realçou que para a companhia Angola “é um mercado estratégico”.

EgyptAir abre terceira rota para a China

17-10-2019 (13h47)

A companhia de aviação egípcia EgyptAir, parceira da TAP na Star Alliance, anunciou para finais do próximo mês a abertura da sua terceira rota para a China, do seu hub no Cairo para Hangzhou.

Swiss retoma hoje operação normal em A220

17-10-2019 (13h39)

A Swiss, companhia de aviação suíça do grupo Lufthansa, anunciou que hoje retoma o calendário normal de voos em Airbus A220, que decidiu interromper depois de na terça-feira ter tido que desviar para Paris um voo Londres Heathrow - Genebra porque um dos motores parou.

Noticias mais lidas