Greve dos seguranças de aeroporto no réveillon será “prejuízo extraordinariamente grande”, presidente da CTP

12-12-2016 (17h02)

"Temo que possa ter um impacto muito grande e que vá ser um prejuízo extraordinariamente grande", disse ao PressTUR o presidente da Confederação do Turismo Português (CTP) Francisco Calheiros sobre a convocação para os últimos dias do ano de uma greve do pessoal das empresas de segurança que prestam serviço nos aeroportos.

Francisco Calheiros, que acabara de concluir a sua intervenção na sessão de encerramento do 42º Congresso da APAVT, reunido em Aveiro, comentou que "independentemente das greves serem um direito que existe" é necessário "muito cuidado" quando "extravasam completamente aquilo que está em causa" e acabam por prejudicar o turismo, que é a "actividade que mais tem contribuído para o desenvolvimento do país e que de facto cria emprego líquido".

A sua preocupação, como frisou, não se fica porém pelos três dias para os quais está convocada a paralisação, que só por si já são gravosos, mas pelo que ‘colam' à imagem do país.

Um turista, português ou estrangeiro, que veja a sua viagem prejudicada por uma greve tenderá no futuro a evitar o destino, argumentou Francisco Calheiros, para argumentar que o que está em causa "é extraordinariamente muito mais greve que o impacto dos três dias, que é muito grande".

O presidente da CTP destacou também o enquadramento em que surge a convocação da greve do pessoal da Prosegur e Securitas para os dias 27, 28 e 29 de Dezembro, para salientar que ocorre "em contra-ciclo", "Nnuma altura em que estávamos a ter alguma paz social, em que não se ouvia muito falar de greves".

PressTUR: E a CTP está a actuar no sentido de travar esse risco?

Francisco Calheiros: "Nós já estamos. Como sabe a Confederação hoje em dia é extremamente representativa do sector, temos tudo, temos a TAP, temos a Vinci... Aliás, o representante na Direcção é o próprio Ponce de Leão, que é o presidente da Vinci [em Portugal]. Já estamos em contactos, mas... Todos eles sabem tão bem como nós o impacto que isto tem. Nós estamos disponíveis, claro que sim, até porque como parceiro social temos assento na Concertação Social com os sindicatos, para o que for necessário. Agora, que de facto é algo que vem prejudicar muito o nosso turismo, não tenho uma dúvida.

 

Ver também:

Madeira alerta para risco de "prejuízo gigantesco" com greve pelo réveillon dos funcionários de segurança dos aeroportos

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Greve

Clique para mais notícias: CTP

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

easyJet contrata director de operações da Ryanair

19-07-2019 (13h25)

A easyJet contratou o director de operações da Ryanair, Peter Bellew, que vai desempenhar as mesmas funções e integrar o Conselho de Administração, reportando ao presidente executivo, Johan Lundgren.

Plano estratégico da TAP “não está comprometido, está reafirmado”, Antonoaldo Neves

19-07-2019 (12h25)

O plano estratégico da TAP “não está comprometido, está reafirmado”, disse o presidente executivo da companhia, Antonoaldo Neves, remetendo para os accionistas a análise da satisfação com os seus resultados.

CEO da TAP diz que ‘fake news’ sobre aviões A330neo “não têm afectado” as vendas

19-07-2019 (11h59)

“As ‘fake news’ sobre esse avião começaram há muito tempo e felizmente não têm afectado a venda de passagens, porque na ‘media’ mundial não saem”, disse o presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, a propósito das indisposições a bordo dos aviões A330neo da companhia.

TAP tem “65% do volume de combustível protegido”, Antonoaldo Neves

19-07-2019 (11h39)

A TAP tem actualmente “65% do volume de combustível protegido” das variações do preço do petróleo, afirmou o presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves.

TAP também deu prémios em ano de prejuízos quando era 100% pública, Antonoaldo Neves

19-07-2019 (11h05)

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, disse que os prémios atribuídos aos quadros da companhia estão relacionados com a melhoria de indicadores e que não é a primeira vez que a companhia paga prémios em ano de prejuízos, incluindo quando era totalmente pública.

Noticias mais lidas