‘Lista negra’ da UE inclui companhias aéreas de Angola, São Tomé, Guiné Equatorial e Venezuela

10-12-2019 (16h28)

Foto: Nils Nedel / Unsplash
Foto: Nils Nedel / Unsplash

Companhias de aviação de Angola, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial e Venezuela constam a ‘lista negra' de 115 transportadoras proibidas de voar para a União Europeia (UE) divulgada em Bruxelas.

Do total, seis integram a lista a título individual, por questões de segurança das próprias transportadoras aéreas, como a Avior Airlines, da Venezuela, a Iran Aseman Airlines, do Irão, a Iraqi Airways, do Iraque, a Blue Wing Airlines, do Suriname, a Med-View Airlines, da Nigéria, e a Air Zimbabwe, do Zimbabué.

As outras 109 - certificadas em 15 países - estão na lista por controlo insuficiente pelas respectivas autoridades nacionais.

A lista inclui sete companhias aéreas de Angola, sendo que apenas a TAAG e a Heli Malongo estão excluídas da lista, todas as de São Tomé e Príncipe e também todas as registadas na Guiné Equatorial.

Também as companhias aéreas do Gabão deixaram de figurar na ‘lista negra', pela sua "melhoria de segurança aérea", permitindo que voltem a poder voar no espaço da União Europeia.

As companhias aéreas do Gabão estavam desde 2008 na ‘lista negra' que inclui companhias sujeitas a proibição total ou a restrições de operação no espaço da União Europeia, por incumprimento das normas de segurança internacionais.

A comissária europeia dos Transportes, Adina Valean, congratulou-se numa declaração "com os esforços realizados pelas autoridades de segurança aérea do Gabão".

A decisão diz respeito a quatro empresas, a Nationale Régionale Transport, a Solenta Aviation Gabon, a Tropical Air Gabon e a Afrijet Business Service, segundo um porta-voz da Comissão.

A informação acrescenta que o executivo europeu colocou a autoridade da aviação civil na Arménia sob "vigilância reforçada", devido aos "sinais de uma diminuição da supervisão da segurança".

A ‘lista negra' actualizada inclui um total de 115 empresas, 109 das quais são certificadas em 15 países e proibidas nos céus da União Europeia, devido à falta de supervisão por parte das suas autoridades nacionais de segurança aérea.

A lista é actualizada periodicamente.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Boeing revela quebra de 44% das vendas de aviões comerciais em 2019

29-01-2020 (16h39)

O fabricante norte-americano de aviões Boeing revelou hoje uma quebra das receitas com aviões comerciais em 44% ou 25.244 milhões de dólares, bem como uma degradação dos resultados de operações da divisão em cerca de 14,5 milhões de dólares, de um lucro de 7.830 milhões em 2018 para um prejuízo de 6.657 milhões em 2019.

Neeleman põe aviões ‘a voar’ entre companhias

29-01-2020 (15h50)

A companhia de aviação brasileira Azul, fundada e presidida por David Neeleman, accionista de referência da TAP, vai ‘passar’ 28 Embraer E195 para a Breeze Aviation, também frequentemente denominada Moxy, que é a mais recente criação de David Neeleman.

South African Airways recebe injeção de 218 milhões de euros de banco público

29-01-2020 (15h37)

A companhia aérea estatal sul-africana South African Airways (SAA) anunciou hoje que terá acesso a 3,5 mil milhões de rands (218 milhões de euros), alocados pelo Banco de Desenvolvimento da África Austral para evitar o colapso da transportadora.

TAP baptiza novo A320neo com nome de Ary dos Santos

29-01-2020 (14h41)

A TAP baptizou o seu mais recente avião A320neo com o nome de José Carlos Ary dos Santos, “um dos maiores poetas portugueses do século XX”, numa cerimónia que contou com a presença da família do poeta e com actuações de Simone de Oliveira e de Fernando Tordo.

TAP está a acompanhar o problema do coronavírus e está preparada para reagir, Miguel Frasquilho

29-01-2020 (14h33)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, disse hoje que a companhia aérea está a acompanhar o surto de pneumonia por coronavírus e que está preparada para reagir.

Noticias mais lidas