Negócio corporate da TAP “está todo nas agências [de viagens] e vai continuar a estar” – Paula Canada

26-11-2018 (13h27)

“Há sempre segmentos que precisam da agência de viagens” e um deles é o segmento das viagens empresariais, o chamado corporate, um negócio que “está todo nas agências e vai continuar a estar”, afirmou ao PressTUR a directora de Vendas e Marketing da TAP, Paula Canada.

Paula Canada, que falava ao PressTUR no 44º Congresso da APAVT, nos Açores, referia-se ao “peso muito importante em Portugal” do canal indirecto, especificamente da venda de voos TAP através das agências de viagens portuguesas, que estão com um crescimento de 9,9% até Outubro, ou seja, quase três pontos acima do aumento médio do BSP, que foi de 7% nos primeiros dez meses deste ano.

“Qualquer receio de concorrência com canais directos não faz sentido. Há sempre segmentos que precisam da agência de viagens. A agência de viagens é um travel advisor e há muitas pessoas que se sentem confortáveis a comprar na agência de viagens”, começou por dizer a executiva.

“O segmento corporate é todo vendido através das agências de viagens. E esse segmento, embora não seja muito grande, é um segmento de extrema importância para a TAP”, frisou Paula Canada.

O volume do corporate é relativamente reduzido em Portugal por existirem “poucas grandes empresas, mas é um negócio muito interessante e, esse, está todo nas agências e vai continuar a estar”, concluiu.

 

Ver também:

Venda de voos TAP pelas agências de viagens portuguesas cresce 9,9% até Outubro - Paula Canada

 

Clique para ver mais: TAP

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grupo TAP prepara-se para entrar em bolsa a partir de 2020

22-03-2019 (18h21)

A TAP SGPS está a trabalhar para, a partir de 2020, estar pronta a avançar com uma IPO (Oferta Pública Inicial), com uma percentagem entre 15% e 30%, anunciou hoje o presidente da Comissão Executiva do grupo.

Grupo TAP tem prejuízo de 118 milhões de euros em “ano necessário”

22-03-2019 (18h06)

O Grupo TAP passou de um lucro de 21,2 milhões de euros em 2017 para um prejuízo de 118 milhões de euros em 2018, um ano de transformação necessária para preparar o futuro, segundo descreveram hoje Miguel Frasquilho, Antonoaldo Neves e David Neeleman.

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

TAP vai investir “cada vez mais” nas vendas directas

22-03-2019 (15h13)

As vendas da TAP através dos seus canais directos, como o seu website e o contact center, representaram 41% das vendas da companhia aérea em 2018, e o objectivo é chegar a 50%, disse hoje Raffael Quintas, Chief Financial Officer (CFO) da companhia.

Companhia aérea indonésia cancela encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX

22-03-2019 (14h30)

A companhia aérea indonésia Garuda anunciou hoje o cancelamento de uma encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX, aparelho ligado a dois acidentes, o mais recente dos quais a 10 de Março, na Etiópia.