Pontualidade da Azores Airlines (SATA International) afunda-se em Novembro

07-12-2018 (16h45)

Foto: SATA Azores Airlines
Foto: SATA Azores Airlines

A Azores Airlines, antigamente SATA International, teve este Novembro o 3º pior índice de pontualidade entre 158 companhias com dados publicados pela consultora OAG.

Com apenas 40,5% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora anunciada, a companhia do grupo SATA teve mesmo o seu segundo pior índice deste ano, apenas melhor que os 39,7% registados pela OAG em Julho.

A informação da consultora mostra que em Novembro a TAP deixou de ser a companhia portuguesa com pior índice de pontualidade, embora mantendo-se no grupo das piores das 158 incluídas no ranking, em 136ª, com 66,5% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora anunciada.

Assim, além da Azores Airlines a TAP esteve também ligeiramente melhor que a SATA Air Azores, a que a OAG atribuiu um índice de pontualidade de 65,3%, o seu pior desde Julho (43,9%).

A companhia indonésia Garuda Airlines (18.080 voos) foi, de acordo com os dados da OAG, a melhor das grandes companhias em pontualidade no mês de Novembro, com 91,6% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora marcada, seguida pela All Nippon Airways (36.622 voos), com 90,6%, Copa Airlines (10.059 voos), com 90,5%, Japan Airlines (24.800 voos), com 90,1%, e KLM (20.326 voos), com 89,4%.

A OAG, que apenas inclui no ranking as companhias de que faz o controlo de pelo menos 80% dos voos programados, aponta a American Airlines como a nº 1 mundial em número de voos, com 183.741 voos, seguida por Delta Air Lines, com 149.578, United Airlines, com 142.911, Southwest Airlines, com 115.554, China Southern, com 64.403, China Eastern, com 63.420, Ryanair, com 55.434, Lufthansa, com 44.546, Air Canada, com 43.978, e easyJet, com 40.148.

A melhor destas dez em pontualidade em Novembro a easyJet, com 84,7%, seguida pela Ryanair, com 84%, Delta, com 81,3%, Southwest, com 80,7%, American, com 80,1%, China Southern, com 79,2%, Lufthansa, com 77,6%, China Eastern, com 76,9%, United, com 76,7%, e Air Canada, com 68,8%.

No ranking por voos, a TAP é 58ª, com 10.551 voos, seguida pela SATA Air Açores em 967ª, com 236 voos, Azores Airlines em 281ª, com 425 voos, euroAtlantic Airways em 360ª, com dez voos, e Orbest em 361ª, com nove voos.

 

Para ver mais clique:

Aeroporto de Lisboa melhora pontualidade em Novembro, mas ainda tem 30º pior índice do mundo, OAG

 

Clique para mais notícias: OAG

Clique para mais notícias: Pontualidade

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: SATA

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grupo TAP prepara-se para entrar em bolsa a partir de 2020

22-03-2019 (18h21)

A TAP SGPS está a trabalhar para, a partir de 2020, estar pronta a avançar com uma IPO (Oferta Pública Inicial), com uma percentagem entre 15% e 30%, anunciou hoje o presidente da Comissão Executiva do grupo.

Grupo TAP tem prejuízo de 118 milhões de euros em “ano necessário”

22-03-2019 (18h06)

O Grupo TAP passou de um lucro de 21,2 milhões de euros em 2017 para um prejuízo de 118 milhões de euros em 2018, um ano de transformação necessária para preparar o futuro, segundo descreveram hoje Miguel Frasquilho, Antonoaldo Neves e David Neeleman.

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

TAP vai investir “cada vez mais” nas vendas directas

22-03-2019 (15h13)

As vendas da TAP através dos seus canais directos, como o seu website e o contact center, representaram 41% das vendas da companhia aérea em 2018, e o objectivo é chegar a 50%, disse hoje Raffael Quintas, Chief Financial Officer (CFO) da companhia.

Companhia aérea indonésia cancela encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX

22-03-2019 (14h30)

A companhia aérea indonésia Garuda anunciou hoje o cancelamento de uma encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX, aparelho ligado a dois acidentes, o mais recente dos quais a 10 de Março, na Etiópia.