Travelport baixa proveitos por quebras de reservas na Europa e nos Estados Unidos

13-05-2019 (14h48)

Imagem: Travelport
Imagem: Travelport

A tecnológica Travelport, que está em vias de ser adquirida pelas financeiras Siris Capital Group e Evergreen Coast Capital Corporation, teve no primeiro trimestre uma quebra de proveitos em 3% ou cerca de 19,6 milhões de dólares, centrada na Europa e nos Estados Unidos, que eram os seus dois maiores mercados.

O balanço da companhia indica que na Europa a sua Plataforma de Comércio de Viagens teve uma quebra de proveitos em 10% ou 25,5 milhões, a que se somou uma quebra em 13% ou 20,1 milhões nos Estados Unidos.

A Europa manteve-se ainda assim a sua primeira fonte de proveitos, com 218,9 milhões de dólares, mas os Estados Unidos, com 137,6 milhões, caíram para terceira, depois da Ásia e Pacífico, que chegou a 158,6 milhões de dólares, com um aumento em 12% ou 17,1 milhões.

Igualmente em alta evoluíram as receitas nas regiões América Latina e Canadá, com uma subida em 11% ou 3,2 milhões de dólares, para 33,1 milhões, e Médio Oriente e África, com +7% ou mais 5,6 milhões, totalizando 84,7 milhões.

O balanço da Travelport mostra que a quebra de receitas na Europa foi provocada por um decréscimo do número de segmentos em 17%, para 21,39 milhões, o qual foi parcialmente compensado por um aumento em 7% da receita média por segmento, para 10,24 dólares.

Nos Estados Unidos, por sua vez, a quebra do número de segmentos foi em 16%, para 30,44 milhões, e foi parcialmente compensada por uma subida receita média por segmentos em 4%, ficando em 4,52 dólares.

Já na Ásia e Pacífico, o aumento da receita em 12% foi por um aumento em 16% do número de segmentos, atingindo um total de 18,7 milhões, mas uma quebra em 3% da receita média por segmento, que ficou em 8,47 dólares.

Incluindo a sua área de serviços de tecnologia, a Travelport declarou proveitos de 656,5 milhões de dólares no primeiro trimestre, em baixa de 3% ou 21,3 milhões, pela quebra na plataforma de comércio de viagens, a qual, por sua vez, decorre de um decréscimo em 20,2 milhões em reservas aéreas e ‘estagnação’ no que designa por Beyond Air, referindo-se nomeadamente a soluções de pagamentos e reservas de hotelaria e rent-a-car.

A área de soluções para pagamentos, através da eNett, teve um aumento e proveitos de 73,7 milhões para 83,4 milhões de dólares, mas baixaram as reservas de hotéis e rent-a-car.

A Travelport revelou, aliás, que o valor bruto dos produtos e serviços de viagens reservados através da sua plataforma baixou de 23,3 mil milhões de dólares no primeiro trimestre de 2018, que foi o trimestre do ‘pico’ de férias da Páscos, para 21,4 mil milhões no primeiro trimestre deste ano, em que as férias da Páscoa se concentraram em Abril.

Globalmente, segundo a Travelport, o decréscimo do valor bruto de produtos e serviços reservados através da sua plataforma deve-se a uma quebra média do número de segmentos em 7%, as reservas de noites de hotel baixaram 12%, para 15 milhões, e os dias de aluguer de viatura baixaram 4%, para 24 milhões.

De acordo com a empresa, a sua plataforma de comércio de viagens permite fazer reservas em 650 mil unidades hoteleiras, meio milhão das quais são empresas independentes, em mais de 40 mil rent-a-car, em aproximadamente 40 operadoras de cruzeiros e operadores turísticos e em mais de companhias de caminhos de ferro a nível mundial.

A Travelport acrescenta que esse é o conteúdo que proporciona a mais de 65 mil agências de viagens que em conjunto somam mais de 220 mil terminais de reservas online e offline, as quais, por sua vez, atendem milhões clientes a nível mundial.

Para os seus resultados no trimestre, a Travelport indica um aumento do resultado operacional em 12%, para 87,3 milhões de dólares, mas uma quebra do resultado líquido dm 62%, para 22,4 milhões de dólares, nomeadamente pelos aumentos dos encargos com juros em 133%, para 34,7 milhões, e das provisões para resultados, de 3,5 milhões para 28 milhões.

 

Clique para mais notícias: Travelport

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

British Airways suspende todos os voos para a China

29-01-2020 (09h10)

A British Airways anunciou hoje a suspensão de todos os voos para a China continental, seguindo ordens do Reino Unido, para evitar viagens para o país por causa do novo coronavírus, que já provocou mais de 130 mortos.

Finnair suspende voos para Nanjing e Pequim até fim de Março

28-01-2020 (18h44)

A Finnair, que é das companhias europeias com mais actividade nas ligações entre a Europa e o Extremo Oriente, nomeadamente a China, anunciou hoje a suspensão dos voos do seu hub de Helsínquia para o novo aeroporto de Pequim, entre 5 de Fevereiro e 29 de Março, e para Nanjing, entre 8 de Fevereiro e 29 de Março.

Aeroporto do Porto captou mais de 60% do crescimento das ligações aéreas com Espanha

28-01-2020 (18h22)

O Aeroporto do Porto concentrou cerca de 63% do aumento de passageiros em voos entre Portugal e Espanha, de acordo com dados dos aeroportos portugueses e espanhóis a que o PressTUR teve acesso, os quais indicam um aumento no Aeroporto Francisco Sá Carneiro em 31,1% ou cerca de 490 mil.

Eduardo Arruda é o novo director Comercial da euroAtlantic

28-01-2020 (18h09)

A euroAtlantic airways promoveu Eduardo Arruda, que está nos quadros da empresa desde 2012, para o cargo de director Comercial.

Reino Unido foi o mercado que maior aumento de passageiros teve em voos de/para Lisboa

28-01-2020 (17h51)

Os voos de/para o Reino Unido foram os que proporcionaram o maior aumento de passageiros do ano de 2019 ao Aeroporto de Lisboa, mais 356,6 mil (+14,8%) que em 2018, seguidos pelos voos de/para Espanha, Estados Unidos, Brasil e Irlanda, todos com aumentos superiores a 200 mil.

Noticias mais lidas