Azores Airlines (SATA Internacional) foi a pior do ranking de pontualidade da OAG em Agosto

06-09-2019 (14h55)

Foto: SATA Azores Airlines
Foto: SATA Azores Airlines

TAP foi a 6ª pior do mês e SATA Air Açores a 10ª pior

A companhia de aviação açoriana Azores Airlines (anteriormente denominada SATA Internacional) teve o pior índice de pontualidade do ranking de Agosto da consultora OAG, com apenas um terço (33,3%) dos voos a chegarem até 15 minutos da hora anunciada.

A informação da consultora indica que além da Azores Airlines as outras duas maiores companhias regulares portuguesas também ficaram entre as dez piores do mês, com a TAP a ter o 6º pior índice do mês e a SATA Air Açores, o 10º.

A OAG indicou para a TAP 53,3% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora prevista e para a SATA Air Açores, 54,6%.

A OAG classificou a TAP como 54ª maior do seu ranking de Agosto em número de voos, com 12.935, a SATA Air Açores ficou em 196ª, com 1.884 voos, e a Azores Airlines ficou em 252ª, com 836 voos.

A informação da OAG indica ainda 1,1% de cancelamentos para a TAP, 0,6% para a SATA Air Açores e 4,1% para a Azores Airlines.

A American Airlines, listada como nº 1 mundial em número de voos, com 209.264 em Agosto, teve 75,3% das chegadas até minutos da hora anunciada, a Delta Airlines, nº 2, com 180.022 voos, teve 82% e foi a melhor do Top10 onde, com mais de 80% se encontram mais duas companhias, a Ryanair (76.370 voos), com 81,3%, e a Southwest (118.881 voos), com 81,1%.

O pior índice de pontualidade no Top10 em número de voos foi o da easyJet (59.014 voos), com 63,6%, seguida pela Air Canadá (52.185 voos), com 66,2%, e pela China Eastern (73.149 voos), com 66,9%

Já com índices acima de 70%, mas abaixo de 80%, no Top10 estiveram a Turkish Airlines (44.307 voos), com 74,9%, a United Airlines, 3º maior (157.367 voos), com 74,7%, e a Lufthansa German Airlines (46.805 voos), com 73,6%.

A melhor em pontualidade entre as companhias com mais de dez mil voos no mês de Agosto foi a Garuda Indonesia (13.398 voos), com 95,3% das chegadas até 15 minutos da hora anunciada, Copa Airlines (10.421 voos), com 93,4%, LATAM Airlines Group (42.856 voos),com 89,1%, Aeroflot (32.928 voos), com 89%, KLM (23.148 voos), com 85,4%, Azul (25.384 voos), com 84,7%, e Aerolíneas Argentinas (10.730 voos), com 83,9%.

 

Para ler mais clique:

Nenhum aeroporto português conseguiu em Agosto ficar nos mil melhores em pontualidade

 

Clique para mais notícias: OAG

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: SATA

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Antonoaldo Neves garante que TAP tem “fundações bem sólidas”

21-02-2020 (17h53)

Os resultados da TAP no segundo semestre “não foram suficientes para compensar” as quebras do primeiro, admitiu Antonoaldo Neves, CEO da transportadora, que acrescentou estar convicto, no entanto, que “as fundações estão bem sólidas para a gente continuar nessa trajectória de transformação da empresa e melhoria da sustentabilidade”.

Grupo TAP baixa prejuízos em 12,4 milhões para 105,6 milhões de euros em 2019

21-02-2020 (17h51)

O Grupo TAP registou prejuízos de 105,6 milhões de euros em 2019, uma melhoria de 12,4 milhões de euros face às perdas de 118 milhões registadas em 2018.

TAP fecha o ano com prejuízos de 95,6 milhões

21-02-2020 (17h51)

A companhia portuguesa de aviação TAP perdeu mais 95,6 milhões de euros no ano passado, com um agravamento de 37,6 milhões face a 2018, segundo os resultados da empresa comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não há possibilidade de a TAP ir para o Montijo”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (17h07)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, voltou a garantir que “não há possibilidade” da companhia aérea ir para o Montijo, apesar de considerar “importantíssimo” a sua construção.

Comissão Executiva da TAP “não comenta política de remuneração da empresa”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (16h59)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, declarou que “não comenta política de remuneração da empresa” que foi trazida para a ‘praça pública’ pelo accionista David Neeleman que o escolheu para liderar a gestão executiva da companhia.

Noticias mais lidas