Estados Unidos sobem a 6º maior emissor para a hotelaria portuguesa até Outubro

13-12-2019 (17h33)

Os Estados Unidos foram o 6º maior mercado emissor para a hotelaria portuguesa nos primeiros dez meses deste ano, ultrapassando pela primeira vez o milhão de turistas no alojamento turístico português, mais 75,4 mil que nos 12 meses de 2018, e os 2,3 milhões de dormidas, com mais 148,4 mil que no total do ano passado.

Cálculos do PressTUR com base nos dados publicados hoje pelo INE mostram que os Estados Unidos foram mesmo o 5º emissor para a hotelaria portuguesa em número de turistas no alojamento turístico no mês de Outubro, com 144 mil, ultrapassando assim o Brasil (128,2 mil) e, por grande margem, os Países Baixos (56,5 mil).

No conjunto dos primeiros dez meses com dados já divulgados pelo INE, os Estados Unidos, com 1,055 milhões de turistas no alojamento turístico português, são quase dobro dos residentes nos Países Baixos, tradicionalmente 6º maior emissor.

As chegadas de turistas dos Estados Unidos tiveram nos primeiros dez meses deste ano um crescimento médio em 20,3%, que significou um aumento de 177,8 mil, que é o maior de todos os principais emissores internacionais, à frente de Espanha, com mais 168,8 mil (+9,4%, para 1,966 milhões), Brasil, com mais 146,8 mil (+15,4%, para 1,099 milhões) e Reino Unido, com mais 104,7 mil (+5,6%, para 1,96 milhões).

A evolução das entradas no alojamento turístico português de turistas residentes nos Estados Unidos reflecte o forte crescimento de passageiros das ligações com aeroportos norte-americanos nos aeroportos portugueses, em 21,3% no Aeroporto de Lisboa, somando 1,1 milhões de passageiros até Outubro, em 31,6% no Aeroporto do Porto, que soma 113 mil passageiros, e em 4,5% no Aeroporto de Ponta Delgada, para 124,4 mil passageiros, de acordo com dados da ANA a que o PressTUR teve acesso.

Os dados do Instituto indicam que nos primeiros dez meses deste ano o alojamento turístico português acolheu 23,65 milhões de hóspedes, em alta de 6,7% ou 1,49 milhões, com mais 596,8 mil turistas residentes em Portugal (+7%, para 9,125 milhões) e mais 895 mil residentes no estrangeiro (+6,6%, para 14,5 milhões).

Em dormidas, a informação do INE indica que o alojamento turístico contabilizou nos primeiros dez meses deste ano 62,27 milhões de pernoitas, em alta de 3,7% ou 2,24 milhões que no período homólogo de 2018, com mais 1,018 milhões pernoitas de turistas residentes em Portugal (+5,8%, para 18,48 milhões) e mais 1,228 milhões de turistas residentes no estrangeiro (+2,9%, para 43,789 milhões).

O Reino Unido mantém-se o maior emissor, com 43,789 milhões de dormidas, mas um crescimento modesto (em 1,1%), mas que compensa parcialmente a queda do mercado alemão, segundo maior emissor internacional, que regista um decréscimo de 391,8 mil pernoitas (-6,9%, para 5,26 milhões).

Espanha mantém-se em 3º emissor, com 4,575 milhões de dormidas (+6,6% ou mais 285,1 mil que no período homólogo de 2018) e mais distante de França, 4º maior, que tem uma queda em 1,6% ou 66,6 mil pernoitas, para 4,2 milhões.

Seguem-se o Brasil, com 2,529 milhões de dormidas (+14% ou mais 311,5 mil), Estados Unidos, com 2,383 milhões (+19,7% ou mais 392,8 mil), Países Baixos, com 2,144 milhões (-7,6% ou menos 177,1 mil), e Irlanda, com 1,71 milhões (+9,8% ou mais 153,2 mil), que também já ultrapassou o total de dormidas dos 12 meses de 2018.

Para ler mais clique:

Alojamento local somou até Outubro mais 161mil dormidas que em todo o ano de 2018

 

Clique para mais notícias: Hotelaria portuguesa

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vila Galé chega aos Açores em 2021

20-01-2020 (20h37)

O Grupo Vila Galé vai estrear-se nos Açores em 2021, com a abertura de um hotel com 100 quartos em Ponta Delgada, São Miguel, anunciou esta segunda-feira o presidente do grupo, Jorge Rebelo de Almeida.

Vila Galé fechou 2019 com mais três milhões de euros de receitas em Portugal

20-01-2020 (19h51)

As receitas do grupo Vila Galé em Portugal, onde tem 25 hotéis, ascenderam a 115 milhões de euros em 2019, um aumento de cerca de 2,7% ou três milhões face ao ano anterior, disse o administrador do grupo, Gonçalo Rebelo de Almeida.

China supera Bélgica entre os principais mercados para o grupo Vila Galé

20-01-2020 (19h50)

O grupo Vila Galé notou no ano passado "alguma desaceleração dos mercados europeus tradicionais para Portugal", compensada pela subida de alguns mercados asiáticos, como a China, que superou a Bélgica entre os principais emissores, disse o administrador do grupo, Gonçalo Rebelo de Almeida.

Mudança nos mercados de origem pode explicar quebra da estada média nos hotéis Vila Galé

20-01-2020 (19h38)

A quebra da estada média nos hotéis Vila Galé em Portugal pode estar associada às mudanças nos mercados de origem, numa altura em que cresce o número de hóspedes de países longínquos, que tendem a ficar menos noites, e baixam alguns dos principais emissores europeus.

Receitas da Vila Galé no Brasil sobem 18% em 2019

20-01-2020 (19h37)

Os nove hotéis do grupo Vila Galé no Brasil facturaram 371 milhões de reais no ano passado, cerca de 80,3 milhões de euros ao câmbio de hoje, mais 18% que no ano anterior, revelou o administrador do grupo, Gonçalo Rebelo de Almeida.

Noticias mais lidas