Hoteleiros da Madeira são os mais pessimistas sobre este ano, AHP

16-01-2020 (10h05)

Os hoteleiros da Madeira foram os que revelaram as “perspectivas mais negras” para este ano no inquérito realizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), onde indicaram antecipar ocupação e preço médio inferiores ou iguais a 2019.

O inquérito aos hoteleiros associados da AHP e/ou aderentes do AHP Tourism Monitor foi realizado entre 12 de Dezembro e 10 de Janeiro.

A amostra representou 47% da hotelaria, mas o número de inquiridos do Alentejo e dos Açores foi insuficiente, o que levou a AHP a excluir os seus resultados da apresentação realizada esta quarta-feira, em Lisboa.

A perspectiva dos hoteleiros sobre a taxa de ocupação “não tem muitas surpresas”, excepto na região Centro, onde inquiridos “têm uma expectativa muito elevada de melhoria”, começou por dizer Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP.

As previsões da maior parte dos inquiridos do Algarve e de Lisboa apontam para uma taxa de ocupação semelhante a 2019, enquanto no Norte as respostas dividem-se sobretudo entre estagnação e melhoria.

Já a Madeira “tem perspectivas mais negras relativamente a este futuro próximo do que os outros destinos”, salientou Cristina Siza Vieira, ao mostrar que é a região onde os hoteleiros estão mais pessimistas sobre este ano, antecipando desempenhos inferiores ou iguais a 2019 na ocupação e preço médio por quarto ocupado.

As regiões que têm a expectativa mais elevada sobre o preço médio em 2020 são Lisboa, Norte e Centro, enquanto “o Algarve, mais uma vez, é bastante conservador relativamente à evolução do preço e estima que se mantenha basicamente idêntico”, indicou a presidente executiva da AHP.

As previsões para a evolução da estada média, por sua vez, indicam estabilidade do indicador e poucas expectativas de decréscimo. A surpresa é a Madeira ser a região onde mais inquiridos antecipam uma melhoria da estada média este ano (ver também: Inverter quebra da estada média é uma missão do sector — Governo e hoteleiros).

Sobre as receitas totais, em todos os destinos com dados apresentados “há uma expectativa muito elevada de melhoria” para 2020, enfatizou Cristina Siza Vieira.

As regiões onde os hoteleiros estão mais optimistas quanto à melhoria das receitas totais este ano são o Centro e o Norte. Em Lisboa e no Algarve as previsões de melhoria também são superiores às de estagnação ou decréscimo, embora com menos expressão.

A Madeira, apesar de revelar uma expectativa elevada de melhoria, é a região com dados apresentados pela AHP onde mais hoteleiros esperam receitas menores que em 2019.

Ver também:

Hoteleiros do Algarve e da Madeira esperam crescimento do mercado britânico este ano, AHP

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: AHP

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grupo sul africano Newmark compra um terço do capital da portuguesa Unlock Boutique Hotels

17-02-2020 (17h46)

O Grupo Newmark Hotels, da África do Sul, comprou um terço do capital da Unlock Boutique Hotels, um negócio que, segundo afirma a Unlock, lhe vai permitir administrar novos hotéis “que a Newmark pretende adquirir directamente ou através de um novo fundo que está a ser lançado”.

NAU reabre três hotéis no Algarve este mês

17-02-2020 (17h04)

A NAU Hotels & Resorts já reabriu o Salgados Palace, em Albufeira, e o Morgado Golf & Country Club, em Portimão, após "intervenções de manutenção", tendo previsto reabrir na sexta-feira o São Rafael Suites, em Albufeira.

Hotéis Oásis Atlântico Salinas Sea e Praiamar contratam novos chefs

17-02-2020 (16h44)

Ismael González é o novo chef do Oásis Atlântico Salinas Sea, na Ilha do Sal, e Márcio Rodrigues é o novo chef executivo do Oásis Atlântico Praiamar, na Ilha de Santiago, anunciou o grupo hoteleiro português.

Hotel 4-estrelas na Praia da Vagueira em Vagos aguarda parecer da APA

17-02-2020 (15h51)

Um pedido de licenciamento para construção de um hotel junto à primeira linha de praia na Vagueira foi apresentado na Câmara de Vagos, aguardando parecer da Agência Portuguesa do Ambiente, confirmou o presidente deste município.

Forte da Ínsua em Caminha reabre em 2022 como centro turístico com alojamento de 4-estrelas

17-02-2020 (15h43)

O Forte da Ínsua, em Caminha, "abandonado há décadas", vai reabrir no início de 2022 transformado em centro de actividades turísticas com alojamento, "num conceito de quatro estrelas", revelou o presidente da câmara à Lusa.

Noticias mais lidas