Portugal ultrapassa quatro milhões de turistas estrangeiros no primeiro quadrimestre

17-06-2019 (15h46)

Portugal teve 4.038,8 mil turistas residentes no estrangeiro em estabelecimentos de alojamento durante o primeiro quadrimestre, com um aumento em 5,6% ou cerca de 214 mil relativamente ao período homólogo de 2018.

Este total, embora englobando mais ‘parcelas’ do que há um ano era possível obter do INE, ainda não representa a totalidade do número de turistas residentes no estrangeiro, pois deixa de fora os que se alojam em casa própria ou em casa de familiares e amigos.

Esse total diz respeito aos que estiveram em estabelecimentos de alojamento turístico, incluindo hotéis, hotéis-apartamentos, pousadas e quintas da Madeira, apartamentos turísticos, aldeamentos turísticos, alojamento local e turismo no espaço rural e de habitação, que concentraram 96% da procura total, com um total de 3.876,8 mil.

Em campismo, Portugal teve mais 139,6 mil turistas residentes no estrangeiro e em colónias de férias e pousadas da juventude teve mais 22,4 mil, representando respectivamente 3,5% e 0,6% do total.

Os dados do INE indicam que o aumento de cerca de 214,2 mil turistas residentes no estrangeiro (+5,6%) foi com mais cerca de 198,6 mil em alojamento turístico (+5,4%), mais cerca de 12,1 mil em campismo (+9,5%) e mais 3,1 mil em colónias de férias e pousadas da juventude (+15,8%).

A mesma informação indica que esses cerca de quatro milhões de turistas residentes no estrangeiro realizaram 12,35 milhões de dormidas, com um aumento em 2,9% ou 348 mil relativamente ao período homólogo de 2018, já que o aumento do número de turistas foi contrariado por um decréscimo do tempo médio de permanência, que baixou 2,5%, para 3,06 noites.

O alojamento turístico concentrou 94,8% das dormidas desses turistas, com um total de 11,719 milhões, +2,9% que há um ano.

Em campismo foram contabilizadas 588,5 mil dormidas e em colónias de férias e pousadas da juventude, 49,4 mil, no primeiro caso com um aumento em 5,9% e no segundo com +10,9%.

Incluindo o mercado doméstico, o sector do alojamento contabilizou no primeiro quadrimestre 7,09 milhões de hóspedes e 17,907 milhões de dormidas, com aumentos em relação ao primeiro quadrimestre de 2018 respectivamente em 6,4% e em 4,5%.

 

Para ler mais clique:

INE realça ‘efeito Páscoa’ nos resultados da hotelaria portuguesa em Abril

 

Clique para mais notícias: Hotelaria portuguesa

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Alojamento turístico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Porto lidera aumento de dormidas na hotelaria em Julho

16-09-2019 (16h32)

O Porto foi o município com o maior aumento de dormidas em Julho, com mais 49,7 mil pernoitas que no mês homólogo de 2018 (+12,2%), mas sem pôr em causa a liderança do município de Lisboa em número de dormidas, com 1,326 milhões, que significaram 16,3% do total do país.

Quebra generalizada da estada média ‘come’ aumento de turistas alojados na hotelaria portuguesa

16-09-2019 (15h31)

O tempo médio de permanência de turistas em alojamentos turísticos portugueses caiu de forma generalizada no mês de Julho, pelo que, levando a que apesar se ter registado um aumento em 5,4% do número de hóspedes, em número de dormidas essa maior afluência de clientes traduziu-se num aumento de apenas 2,2%.

Mês de férias no Brasil ‘dá’ mais 51,7 mil dormidas ao alojamento turístico português

16-09-2019 (14h19)

Apesar das quebras de dormidas de nove dos 16 maiores emissores internacionais, a hotelaria portuguesa acabou Julho com mais 111,6 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiros, graças nomeadamente ao aumento de 51,7 mil dormidas de residentes no Brasil, onde o mês de Julho é um dos mais fortes em turismo e viagens.

Maioria dos maiores emissores internacionais faz menos dormidas na hotelaria portuguesa em Julho

16-09-2019 (13h30)

A hotelaria portuguesa teve este mês de Julho quebras de dormidas de nove dos 16 principais emissores internacionais, as maiores das quais de turistas residentes nos Países Baixos (menos 26,5 mil), na Alemanha (menos 22,6 mil), no Canadá (menos 21 mil) e na Bélgica (menos 15 mil).

OTA de hotéis Amoma cessa e culpa “comparadores de preços”

16-09-2019 (11h08)

A agência de reservas hoteleiras Amoma, em www.amoma.com, que no ano passado teve vendas superiores a 500 milhões de euros, anunciou que cessa actividade e não terá como assegurar o respeito pelas responsabilidades contraídas para com os clientes.

Ultimas Noticias

Noticias mais lidas