Tributação a 50% de rendimento de alojamento local será para “todas as zonas de contenção”

09-01-2020 (15h11)

A tributação de uma parcela de 50% dos rendimentos de alojamentos locais (face aos anteriores 35%) será aplicada em “todas as zonas de contenção”, quer sejam absolutas ou relativas, esclareceu hoje o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

Esta medida “deve ser vista em conjunto com todas as outras alterações feitas no sentido de favorecer a migração da oferta de alojamento local para o arrendamento, designadamente acessível, por exemplo as mais-valias que estavam suspensas e que se eliminam na totalidade, desde que essa oferta transite, pelo menos cinco anos para o mercado de arrendamento”, disse António Mendonça Mendes.

O governante falava à margem de uma conferência sobre o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), organizada pela Católica Porto Business School e pela consultora PWC, no Porto.

Quanto ao agravamento do coeficiente, “cuja receita adicional é consignada ao IHRU [Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana], é para todas as zonas de contenção, absoluta e relativa”.

A determinação do rendimento tributável dos alojamentos locais em zonas de contenção passa a ser feita através de um coeficiente de 0,50 em vez de 0,35, segundo a proposta de OE2020.

No âmbito do regime simplificado, a determinação do rendimento tributável obtém-se através da aplicação do coeficiente de “0,50 aos rendimentos da exploração de estabelecimentos de alojamento local na modalidade de moradia ou apartamento, localizados em área de contenção”, refere a versão preliminar do OE2020.

Pelo facto de apenas em 2021 ser possível fazer o apuramento do primeiro ano da aplicação deste agravamento do coeficiente – com a entrega da declaração anual do IRS – a consignação para o IHRU será feita de forma faseada.

Assim, depois dos sete milhões de euros que serão transferidos em 2020, segue-se uma transferência de 10 milhões de euros em 2021.

Em Lisboa, o regulamento que entrou em vigor em Novembro determinou como zonas de contenção absoluta o Bairro Alto/Madragoa, Castelo/Alfama/Mouraria, Colina de Santana, Baixa e eixos Avenida da Liberdade/Avenida da República/Avenida Almirante Reis.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

AHRESP apresenta propostas de medidas de apoio ao sector

27-03-2020 (14h55)

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) informou hoje que entregou ao Governo um novo conjunto de propostas de medidas de apoio ao sector "que não provoquem um endividamento estrangulador e insustentável no cenário pós-crise".

Grupo Turim ganha concessão para transformar Mosteiro do Lorvão em hotel

26-03-2020 (12h00)

A Imobimacus - Sociedade Administradora de Imóveis, S. A., do Grupo Hotéis Turim, ganhou a concessão de exploração para fins turísticos do Mosteiro do Lorvão, em Penacova, no âmbito do Programa Revive.

Hoti Hotéis vai converter Palacete do Conde Dias Garcia em hotel de 4-estrelas

26-03-2020 (11h58)

A Hoti Star – Portugal Hotéis, S.A., ganhou a concessão de exploração para fins turísticos do Palacete do Conde Dias Garcia, em São João da Madeira, no âmbito do Programa Revive.

Vila Galé lança serviço de take away em Lisboa e Porto

24-03-2020 (16h25)

O grupo hoteleiro Vila Galé lançou um serviço de take away para almoços e jantares em Lisboa e no Porto.

Plano de redução temporária de pessoal da Globalia abrange 15 mil funcionários

24-03-2020 (12h46)

O Grupo Globalia, que detém, entre outras empresas, a companhia de aviação Air Europa, a rede de agências de viagens Halcón Viajes, o operador turístico Travelplan e a cadeia hoteleira Be Live avançou com um processo de redução temporária de 15 mil trabalhadores.

Noticias mais lidas