Portugal reforça liderança das ligações aéreas do Brasil com a Europa

14-11-2018 (15h03)

Portugal foi a origem/destino de 29,6% dos passageiros que voaram entre o Brasil e a Europa no ano de 2017, reforçando assim a liderança neste mercado, já que em 2016 a sua quota tinha sido de 24,9%, de acordo com os dados publicados pela autoridade aeronáutica brasileira (ANAC).

A informação mostra que embora o número de passageiros que voaram entre o Brasil e a Europa tenha decrescido ligeiramente (-0,1% ou menos cerca de quatro mil, para 5,907 milhões) em 2017, os voos de/para Portugal, operados por TAP e Azul, únicas companhias com voos regulares, a que se somaram charters com aviões da HiFly, tiveram um aumento em 18,5% ou 272,2 mil, alcançando um total de 1,746 milhões.

Portugal foi assim a 3ª principal origem/destino internacional do mercado brasileiro, atrás apenas dos ‘vizinhos' Estados Unidos, com 4,408 milhões de passageiros, e Argentina, com 3,781 milhões, e à frente do Chile, com 1,703 milhões, e Panamá, com 1,085 milhões.

A 6ª principal origem/destino de voos internacionais no Brasil foi Espanha, que foi assim a 2ª principal na Europa, com 934,6 mil passageiros, a descer 7,7% ou 78,5 mil em relação a 2016.

A seguir aos dois países ibéricos estiveram França, com 835,4 mil passageiros embarcados/desembarcados no Brasil, Alemanha, com 773,6 mil, Itália, com 498,2 mil, e Reino Unido, com 497,8 mil.

Estas quatro maiores origens/destinos na Europa tiveram em comum terem registado quedas de passageiros no ano passado, de 10% ou 92,7 mil no caso dos voos de/para França, de 9,8% ou 84,3 mil no caso da Alemanha, de 5,4% ou 28,4 mil no caso de Itália e de 8% ou 43 mil no caso do Reino Unido.

Holanda e Suíça ‘encerram' a lista de origens/destinos na Europa com números de passageiros publicada pela ANAC, e ambas com aumentos, embora aquém dos registados por Portugal, em 8,8% ou 33,5 mil, para 414,6 mil, no caso da Holanda e em 7,8% ou 14,7 mil, para 203,5 mil, no caso da Suíça.

Assim, enquanto Portugal aumentou em 2017 a sua quota de passageiros que viajaram entre o Brasil e a Europa em 4,6 pontos, para 29,6%, Espanha perdeu 1,3 pontos, para 15,8%, França perdeu 1,6 pontos, para 14,1%, Alemanha perdeu 1,4 pontos, para 13,1%, Itália perdeu 0,5 pontos, para 8,4%, o Reino Unido perdeu 0,7 pontos, para 8,4%, a Holanda subiu 0,6 pontos, para 7%, e a Suíça subiu 0,3 pontos, para 3,4%.

Os dados da ANAC do Brasil indicam que os aeroportos brasileiros tiveram 21,3 milhões de passageiros (embarques e desembarques) no ano de 2017, +4,8% ou mais 982,3 mil que em 2016, com o crescimento a ficar a dever-se principalmente ao aumento nas ligações com outros países da América do Sul em 10,4% ou 759,4 mil, para 8,097 milhões.

Também em alta estiveram as ligações com a América Central (+10% ou mais 107,7 mil passageiros, para 1,181 milhões) e com África (+47,5% ou mais 175,1 mil, para 543,6 mil).

Quedas do número de passageiros ocorreram, além dos voos de/para a Europa (-0,1% ou menos quatro mil, para 5,907 milhões), nas ligações com a América do Norte (-0,8% ou menos 37,9 mil, para 4,912 milhões) e com a Ásia (-2,6% ou menos 18 mil, para 674,5 mil).

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grupo TAP prepara-se para entrar em bolsa a partir de 2020

22-03-2019 (18h21)

A TAP SGPS está a trabalhar para, a partir de 2020, estar pronta a avançar com uma IPO (Oferta Pública Inicial), com uma percentagem entre 15% e 30%, anunciou hoje o presidente da Comissão Executiva do grupo.

Grupo TAP tem prejuízo de 118 milhões de euros em “ano necessário”

22-03-2019 (18h06)

O Grupo TAP passou de um lucro de 21,2 milhões de euros em 2017 para um prejuízo de 118 milhões de euros em 2018, um ano de transformação necessária para preparar o futuro, segundo descreveram hoje Miguel Frasquilho, Antonoaldo Neves e David Neeleman.

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

TAP vai investir “cada vez mais” nas vendas directas

22-03-2019 (15h13)

As vendas da TAP através dos seus canais directos, como o seu website e o contact center, representaram 41% das vendas da companhia aérea em 2018, e o objectivo é chegar a 50%, disse hoje Raffael Quintas, Chief Financial Officer (CFO) da companhia.

Companhia aérea indonésia cancela encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX

22-03-2019 (14h30)

A companhia aérea indonésia Garuda anunciou hoje o cancelamento de uma encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX, aparelho ligado a dois acidentes, o mais recente dos quais a 10 de Março, na Etiópia.