Vila Galé investe 90 milhões em seis novos hotéis em Portugal e no Brasil até 2020

09-01-2019 (18h36)

Foto: www.ccb.pt
Foto: www.ccb.pt

O Grupo Vila Galé, segundo maior grupo hoteleiro português, tem em desenvolvimento seis novas unidades hoteleiras em Portugal e no Brasil, a abrir entre este ano e início de 2020, num investimento de cerca de 90 milhões de euros.

“Actualmente, temos seis projectos em desenvolvimento, quatro em Portugal e dois no Brasil”, disse o administrador Gonçalo Rebelo de Almeida, num encontro com jornalistas, em Paço de Arcos.

Assim, segundo o mesmo responsável, “no final de Abril/início de Maio" deverá ser inaugurado o Vila Galé Collection Elvas, o primeiro concurso do Programa Revive que o grupo ganhou e no qual está a investir mais de oito milhões de euros.

Na mesma altura, deverá abrir também a primeira fase do Vila Galé Douro Vineyards, inicialmente com sete quartos e que, numa segunda fase, prevista para 2020, passará a ter 49, num investimento total a rondar os dez milhões de euros.

Já o primeiro hotel de montanha, o Vila Galé Serra da Estrela, “as obras arrancam agora” e deverá estar concluído no último trimestre de 2019/início de 2020, com um investimento superior a dez milhões de euros.

Com os mesmos prazos, e num investimento de oito milhões de euros, está a abertura do Vila Galé Alter Real, em Alter do Chão, concretizando-se mais um projecto no âmbito do programa Revive.

No Brasil, o grupo prevê estrear-se em São Paulo, onde vai investir 80 milhões de reais (cerca de 18,75 milhões de euros ao câmbio actual) para desenvolver um hotel próximo da Avenida Paulista, na área de Bela Cintra, com abertura agendada para 2020, e a inauguração do Vila Galé Costa do Cacau, na região de Una/Ilhéus, em 2021, com um investimento de cerca de 150 milhões de reais (cerca de 35,15 milhões de euros) num resort all inclusive.

Questionado sobre o número de postos de trabalho que estimam criar com estas seis novas unidades, Gonçalo Rebelo de Almeida afirmou que deverão entrar no Brasil “cerca de 350 pessoas para o resort e entre 50 a 70 para São Paulo” e nos quatro hotéis em Portugal serão “cerca de 160 pessoas”.

Actualmente, o Grupo Vila Galé emprega cerca de “1.300 trabalhadores regulares em Portugal”, onde tem 23 hotéis, e 1.800 no Brasil, onde é líder em resorts, com cinco, a que se somam mais três hotéis de cidade (Rio de Janeiro, Salvador e Fortaleza).

Em 2018, os portugueses mantiveram-se como o principal público nos hotéis Vila Galé em Portugal, representando cerca de 30%. Seguiram-se os mercados alemão, britânico, espanhol e francês. Contudo, Gonçalo Rebelo de Almeida destacou o crescimento da procura por parte dos turistas norte-americanos e brasileiros, que protagonizaram as maiores subidas do número de noites.

No Brasil, os turistas internos ‘pesam’ cerca de 85% em dormidas nas unidades hoteleiras do grupo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Para ler mais clique:

Subida das vendas directas impulsiona aumento do preço médio dos hotéis Vila Galé em Portugal – administrador

Receitas dos hotéis Vila Galé em Portugal sobem 6,2% por aumento do preço médio - administrador

Vila Galé estuda concurso para hotel no CCB e mantém 'olho' no Quartel da Graça

 

Clique para mais notícias: Vila Galé

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Porto lidera aumento de dormidas na hotelaria em Julho

16-09-2019 (16h32)

O Porto foi o município com o maior aumento de dormidas em Julho, com mais 49,7 mil pernoitas que no mês homólogo de 2018 (+12,2%), mas sem pôr em causa a liderança do município de Lisboa em número de dormidas, com 1,326 milhões, que significaram 16,3% do total do país.

Quebra generalizada da estada média ‘come’ aumento de turistas alojados na hotelaria portuguesa

16-09-2019 (15h31)

O tempo médio de permanência de turistas em alojamentos turísticos portugueses caiu de forma generalizada no mês de Julho, pelo que, levando a que apesar se ter registado um aumento em 5,4% do número de hóspedes, em número de dormidas essa maior afluência de clientes traduziu-se num aumento de apenas 2,2%.

Mês de férias no Brasil ‘dá’ mais 51,7 mil dormidas ao alojamento turístico português

16-09-2019 (14h19)

Apesar das quebras de dormidas de nove dos 16 maiores emissores internacionais, a hotelaria portuguesa acabou Julho com mais 111,6 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiros, graças nomeadamente ao aumento de 51,7 mil dormidas de residentes no Brasil, onde o mês de Julho é um dos mais fortes em turismo e viagens.

Maioria dos maiores emissores internacionais faz menos dormidas na hotelaria portuguesa em Julho

16-09-2019 (13h30)

A hotelaria portuguesa teve este mês de Julho quebras de dormidas de nove dos 16 principais emissores internacionais, as maiores das quais de turistas residentes nos Países Baixos (menos 26,5 mil), na Alemanha (menos 22,6 mil), no Canadá (menos 21 mil) e na Bélgica (menos 15 mil).

OTA de hotéis Amoma cessa e culpa “comparadores de preços”

16-09-2019 (11h08)

A agência de reservas hoteleiras Amoma, em www.amoma.com, que no ano passado teve vendas superiores a 500 milhões de euros, anunciou que cessa actividade e não terá como assegurar o respeito pelas responsabilidades contraídas para com os clientes.

Ultimas Noticias

Noticias mais lidas