Alemães e franceses penalizam evolução das receitas turísticas em Maio

18-07-2019 (13h57)

O fraco crescimento das receitas turísticas portuguesas em Maio deve-se em grande medida às reduções de gastos de turistas residentes na Alemanha e em França, que em conjunto ascenderam a 33 milhões de euros, e a que se somaram quebras também por parte de residentes na Bélgica, na Suíça, em Angola e na Holanda.

A maior quebra em valor foi dos gastos de residentes na Alemanha, com menos 20,13 milhões de euros que em Maio de 2018, seguindo-se os residentes em França, com menos 12,90 milhões.

Depois estiveram as quebras de gastos de residentes na Holanda e em Angola, ambas na ordem dos quatro milhões de euros, em 4,48 milhões e em 4,19 milhões, respectivamente, a que acresceram ainda quebras de 1,44 milhões nos gastos de residentes na Suíça e de 0,84 milhões dos residentes na Bélgica.

Espanha foi, por sua vez, o mercado emissor que mais ‘aguentou’ as receitas turísticas portuguesas em Maio, com um aumento dos gastos dos seus residentes em 17,8% ou 26 milhões de euros, seguidos pelos turistas residentes nos Estados Unidos, cujos gastos aumentaram 13,1% ou 14,49 milhões.

Também com aumentos a dois dígitos estiveram os gastos de residentes em Itália, que subiram 14,2%, embora em valor o seu aumento tenha menor expressão que os aumentos de gastos de espanhóis e norte-americanos, elevando-se a 4,92 milhões.

Próximo desse montante esteve o aumento de gastos de residentes no Reino Unido (+4,57 milhões), que apesar das incertezas com o Brexit continuam a ser os líderes em gastos em Portugal, com 309,67 milhões de euros, mais distanciados de franceses (233,05 milhões) e alemães (177,67 milhões), que foram respectivamente os 2º e 3º maiores contribuintes para as receitas turísticas portuguesas em Maio.

A seguir aos residentes no Reino Unido, os turistas com maiores aumentos de gastos em Portugal no mês de Maio foram os residentes no Brasil, com mais 3,16 milhões de euros (+5,6%, para 59,59 milhões), Irlanda, com mais 1,57 milhões (+2,9%, para 55,60 milhões), e Luxemburgo, com mais 0,15 milhões (+0,9%, para 16,02 milhões).

 

Para ler mais clique:

Crescimento das receitas turísticas portuguesas foi o mais fraco de um mês de Maio desde 2009

 

Clique para mais notícias: Balança portuguesa das Viagens e Turismo

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Iberia quer continuar a crescer em Portugal em 2020, Marco Sansavini, director Comercial

27-01-2020 (17h59)

O director Comercial da Iberia, Marco Sansavini, disse ao PressTUR que 2020 será um ano para continuar a crescer em Portugal, tendo previsto um aumento de oferta de lugares em 8% para Lisboa e Porto.

Malo Clinic aposta no turismo de saúde e quer 10 mil clientes até 2025

27-01-2020 (17h05)

A Malo Clinic, que opera na área de implantologia e medicina dentária, anunciou hoje o lançamento de uma unidade de negócio dedicada ao turismo de saúde para a qual definiu o objectivo de somar dez mil clientes em cinco anos.

SATA faz code-share com Air France para ligações dos Açores com Paris

27-01-2020 (16h28)

A Azores Airlines (anteriormente denominada SATA Internacional) a Air France têm a partir de hoje um acordo de code-share (partilha de código)para viagens entre Paris e cinco ilhas dos Açores.

Cidade de Pinhel vai construir uma falcoaria para aumentar a sua atractividade turística

27-01-2020 (16h23)

A Câmara Municipal de Pinhel, conhecida como "Cidade Falcão", vai construir uma falcoaria, que de acordo com o presidente da autarquia, Rui Ventura, vai permitir que os visitantes possam estar em contacto com as aves, perceber como são tratadas, e assistir a espectáculos.

Governo português desaconselha “viagens não essenciais" à China

27-01-2020 (12h30)

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português desaconselhou “viagens não essenciais" à China, devido aos eventuais riscos de saúde e limitações na circulação dentro do país devido ao surto do novo coronavírus.

Noticias mais lidas