Turismo internacional na Tailândia cresce 7,5% até Novembro

27-12-2018 (13h21)

O Ministério tailandês do Turismo e Desporto anunciou que o país chegou ao fim de Novembro com 34,4 milhões de visitantes estrangeiros, com um aumento em 7,5% face ao período homólogo de 2017, destacando-se os aumentos das chegadas da China, Malásia, Índia, Rússia e Vietname.

A vizinha China foi a origem de 28% dos visitantes estrangeiros recebidos pela Tailândia até Novembro, num total de 9,69 milhões, que representa um aumento ligeiramente acima da média, em 7,86%.

A Malásia, segundo maior emissor, com 3,57 milhões de chegadas à Tailândia, teve o aumento mais forte do Top10 das origens, com uma subida em 15,5%.

O segundo aumento mais forte no Top10 foi das chegadas da Índia, em 12%, para 1,43 milhões, e com aumentos a dois dígitos estiveram também a Rússia, com +10,3%, para 1,267 milhões, e o Vietname, com +10,2%, para 956,6 mil.

Os outros emissores do Top10 até Novembro são a Coreia, com 1,62 milhões de chegadas à Tailândia (4,7% que no período homólogo de 2017), Laos, com 1,59 milhões (+4,5%), Japão, com 1,5 milhões (+6,8%), Estados Unidos, com 993,6 mil (+6,4%), e Singapura, com 934,5 mil (+3,7%).

A informação do Ministério tailandês indica ainda que o país recebeu até Novembro de 5,9 milhões de turistas residentes na Europa, com um aumento em 4% relativamente ao período homólogo de 2017.

O maior emissor europeu é a Rússia, à frente do Reino Unido, com 877,5 mil chegadas, Alemanha, com 789,1 mil, e França, com 677,5 mil.

A informação especifica ainda os aumentos das chegadas de residentes na Europa Leste, em 9,2%, bem como da Áustria, em 12,1%, Holanda, em 6,4%, Itália, em 6,2%, Dinamarca, em 4,2%, Finlândia, em 2,2%, Bélgica, em 1,8%, e Espanha, em 1,3%.

As chegadas do continente americano, por sua vez, têm um aumento em 3,7%, para 1,4 milhões.

Os Estados Unidos são o maior emissor, seguindo-se o Canadá com 245,2 mil, +7,2% que há um ano.

O Ministério tailandês realça que os dados até Novembro, inclusive, mostram crescimento de todas as regiões, à excepção de Médio Oriente e Oceânia.

A principal região emissora é a Ásia do Leste, com 23,6 milhões e um aumento médio em 9,2%, à frente da Europa (5,9 milhões) e Américas (1,4 milhões), Ásia do Sul, com 1,77 milhões (11,3%), Oceânia, com 838,7 mil (-1,4%), Médio Oriente, com 683,4 mil (-6,2%), e África, com 174,5 mil (+9,6%).

 

Clique para mais notícias: Tailândia

Clique para mais notícias: Ásia&Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Accor vende metade da sua participação na Huazhu por 451 milhões de dólares

09-12-2019 (12h31)

A Accor assinou um acordo para vender metade da sua participação no Huazhu Group Limited, anteriormente conhecido por China Lodging, por 451 milhões de dólares, cerca de 408 milhões de euros.

Macau mantém perspectiva de atingir 40 milhões de visitantes este ano, apesar de Hong Kong

21-11-2019 (15h36)

A directora dos Serviços de Turismo de Macau, Maria Helena de Senna Fernandes, avançou hoje que mantém a perspectiva de o território  chegar aos 40 milhões de visitantes este ano, apesar do impacto dos distúrbios na vizinha Hong Kong.

Portugal espera receber 11 mil turistas sul-coreanos com novo voo Seul – Lisboa

28-10-2019 (18h29)

O Turismo de Portugal avançou a previsão de receber 11 mil turistas sul-coreanos com a nova rota Seul – Lisboa que a Asiana Airlines inaugurou hoje e que tem previsto operar até ao final de Março.

Turkish aumenta capacidade para o Vietname no próximo ano

23-10-2019 (15h47)

A Turkish Airlines, que é uma das companhias de aviação mais utilizadas pelos operadores turísticos portugueses para voos para o Extremo Oriente, para onde não há voos directos de Portugal, vai aumentar a capacidade para o Vietname no próximo Verão.

Chegadas de turistas portugueses a Macau aumentam 17,9% em Setembro

22-10-2019 (14h09)

Macau teve este Setembro um aumento do número de turistas residentes em Portugal em 17,9%, no que foi o aumento mais forte entre os emissores europeus e acentua o seu crescimento este ano.

Noticias mais lidas