Hotéis Bahia Principe no México usam sistema de redes para impedir sargaço nas praias

23-07-2019 (13h47)

A rede hoteleira Bahia Principe instalou um sistema de redes no mar para impedir que o sargaço chegue às praias dos seus hotéis na Riviera Maya, no México, e está a revelar “bons resultados”, segundo descreve.

“Além dos habituais trabalhos de limpeza”, a empresa instalou “uma série de redes, mediante as quais ficaram protegidas todas as praias do nosso complexo”, sublinha uma informação da rede hoteleira, que faz parte do Grupo Piñero, como o operador turístico Soltour.

As redes foram instaladas nas praias do complexo da Bahia Principe na Riviera Maya, que inclui os hotéis Luxury Bahia Principe Akumal, Luxury Bahia Principe Sian Ka`an, Grand Bahia Principe Coba e Grand Bahia Principe Tulum.

A iniciativa implicou a contratação de “uma empresa de serviços marítimos especializada e de tecnologia de ponta”, com objectivo de “eliminar em 95% o impacto da chegada do sargaço às praias”.

“Trata-se de um sistema não invasivo, respeitoso para com a fauna e a flora marinha, que conta com os materiais e tecnologias mais sofisticados, assim como uma equipa multidisciplinar de biólogos marinhos, oceanógrafos, engenheiros e mergulhadores de uma companhia de navegação com mais de 20 anos de experiência em trabalhos de manutenção, logística e serviços marítimos”, descreve o comunicado.

A informação é complementada por quatro imagens que revelam os resultados após 50 dias de trabalho. As imagens, segundo a descrição da rede hoteleira, “mostram os bons resultados obtidos até à data, confiando que estas melhoras sejam mais visíveis ainda nos próximos dias e semanas”.

A iniciativa “enquadra-se no firme compromisso da companhia com a sustentabilidade, formando uma gestão integrada de todos os aspectos que influem num sistema litoral: os ambientais, naturalmente, mas também os sociais”.

A rede hoteleira “conta com o apoio técnico de várias empresas de consultadoria ambiental e engenharia, a participação e colaboração de organismos oficiais e ministérios competentes na matéria de cada um dos países, assim como a participação de várias universidades e da sua Fundação Ecológica Eco-bahia, que ajudarão a avaliar a implantação e efectividade das medidas”.

“Continuamos a trabalhar incansavelmente para que a sua experiência de férias seja inesquecível”, conclui o comunicado.

 

Clique para ver mais: Caraíbas

Clique para ver mais: México

Clique para ver mais: Bahia Principe

Clique para ver mais: Soltour

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

República Dominicana vai ser o Destino Internacional Convidado da BTL 2020

11-02-2020 (14h08)

A República Dominicana, que recebeu 35.766 turistas portugueses em 2019, menos 11,8% que no ano anterior, é o destino internacional convidado da BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa.

Hyatt anuncia hotel em Santo Domingo a partir de 2024

07-02-2020 (14h53)

A Hyatt Hotels vai ter uma terceira unidade hoteleira na República Dominicana, com a construcção do Hyatt Place Santo Domingo Piantini, que tem conclusão prevista para o terceiro trimestre de 2024.

Cuba recebeu mais de 32 mil portugueses em 2019

24-01-2020 (11h59)

O número de turistas portugueses que visitaram Cuba em 2019 aumentou 2% face ao ano anterior, superando os 32 mil visitantes, revelou o novo ministro do Turismo, Juan Carlos García Granda, garantindo que fará o que puder para que mais portugueses visitem o país.

Dominicana sofre queda de 261 mil turistas estrangeiros em 2019

20-01-2020 (19h34)

A República Dominicana, que em 2019 enfrentou um desgaste de imagem pela ocorrência de mortes não explicadas de turistas estrangeiros, nomeadamente residentes nos Estados Unidos, terminou o ano com menos 261 mil turistas estrangeiros (-4,6%) que em 2018.

Dominicana teve menos 11,8% de turistas residentes em Portugal no ano de 2019

20-01-2020 (16h39)

A República Dominicana, primeiro destino de férias dos portugueses nas Caraíbas, recebeu 35.766 turistas residentes em Portugal no ano de 2019, de acordo com os dados divulgados pelo seu banco central que, assim, mostram uma quebra em 11,8% ou quase 4,8 mil.

Noticias mais lidas