Ryanair declara “irreversível” fecho das bases nas Canárias

30-08-2019 (12h45)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

A Ryanair afirmou que é “irreversível” a decisão de encerrar as bases de Las Palmas, Tenerife Sul e Lanzarote, e apelou aos sindicatos para a desconvocação das greves previstas para Setembro.

A transportadora, num comunicado citado na imprensa espanhola, recordou que o atraso na entrega dos aviões B737 Max, devido a dois acidentes fatais com aeronaves deste modelo da Boeing, forçou o encerramento de algumas bases deficitárias durante o Inverno e a redução do número de aviões noutras bases, tanto em Espanha como noutros mercados.

Bases como as das Canárias “geram grandes perdas durante a temporada de Inverno” e, como quase todo o tráfego dessas rotas tem origem fora de Espanha, podem ser operadas “por outros aviões baseados noutros países da União Europeia sem os custos elevados e a ineficiência resultante de basear aviões e tripulações” no arquipélago das Canárias entre Novembro e Março.

A Ryanair, que além das bases de Las Palmas, Tenerife Sul e Lanzarote, também confirmou o encerramento da base de Girona, apela aos sindicatos dos tripulantes de cabina USO e Sitcpla e ao sindicato dos pilotos Sepla que desconvoquem as greves “sem sentido”.

As paralisações previstas para Setembro estão “condenadas ao fracasso”, diz a Ryanair, porque considera “irreversível” o encerramento das bases até estarem resolvidos os atrasos na entrega dos aviões 737 Max.

A low cost acrescenta que “convocar estas greves a apenas oito semanas do Brexit é um acto de irresponsabilidade dos sindicatos”.

Os tripulantes de cabina da companhia convocaram uma greve para os dias 1, 2, 6, 8, 13, 15, 20, 22, 27 e 29 de Setembro, enquanto os pilotos apresentaram um pré-aviso de greve para os dias 19, 20, 22, 27 e 29 de Setembro.

Ver também:

Ryanair inicia processo para despedir 512 funcionários em Espanha

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair começa 2020 com quebra de passageiros nos aeroportos espanhóis

12-02-2020 (16h49)

A Ryanair, que é a maior companhia de aviação nos aeroportos espanhóis, com 49,9 milhões em 2019, mais 7,19 milhões que a segunda maior, a low cost Vueling, começou este ano com uma quebra em 4,5% ou 141,8 mil, ficando em 3,02 milhões.

TAP cresce 14,2% mas perde quota de mercado nas ligações aéreas entre Espanha e Portugal

12-02-2020 (16h27)

A TAP foi a companhia utilizada por 35,8% dos passageiros que voaram este Janeiro entre Espanha e Portugal, com um total de 153,4 mil, que significa um aumento em 14,2%, ainda assim aquém do aumento do tráfego total em voos entre os dois países, que foi de 19,7%.

Portugal é a origem/destino de passageiros aéreos que mais cresce em Espanha

12-02-2020 (16h19)

Os voos de/para Portugal foram as rotas internacionais de para aeroportos espanhóis que tiveram o maior aumento de passageiros no mês de Janeiro, com uma subida de 70,5 mil, de acordo com os dados divulgados pela AENA, gestora dos aeroportos espanhóis.

Aeroportos espanhóis crescem 2,4% em Janeiro apesar de aumento em 6,3% em Madrid

12-02-2020 (14h29)

Os aeroportos espanhóis atenderam em Janeiro praticamente 17 milhões de passageiros, com um aumento em 2,4% ou quase 400 mil em relação ao primeiro mês de 2019, no qual o aumento atingira 7%.

Air Europa implementa novo método de embarque por zonas

04-02-2020 (15h07)

A Air Europa implementou um novo método de embarque por zonas em todos os seus voos regulares, com o qual pretende “que a acomodação do passageiro seja mais rápida, cómoda e ordenada”.

Noticias mais lidas