Cidadãos de 32 países europeus ficam isentos de vistos para Cabo Verde a partir de 1 de Janeiro

21-12-2018 (13h38)

Os cidadãos de 32 países europeus estarão isentos de visto de curta duração para entrar em Cabo Verde, uma medida várias vezes adiada, e que começa a vigorar a partir de 1 de Janeiro, anunciou hoje o Governo.

A lista de países europeus cujos cidadãos estarão isentos de visto de estada até o máximo de 30 dias em Cabo Verde foi aprovada na quinta-feira, em Conselho de Ministros, e anunciada em conferência de imprensa pelo ministro Fernando Elísio Freire.

Segundo o porta-voz da reunião governamental, a lista incluiu todos os ainda 28 países que fazem parte da União Europeia - o Reino Unido está em processo de saída - mais outros quatro que não fazem parte da União, nomeadamente Suíça, Noruega, Islândia e Lichtenstein.

O ministro adiantou que a intenção do Governo é alargar a isenção de vistos de entrada no país ao Mónaco, São Marino e Andorra.

Com a medida, o Governo cabo-verdiano pretende aumentar a competitividade no sector do turismo e duplicar o número de turistas que visitam o país.

Dados do INE cabo-verdiano consultados pelo PressTUR indicam que a hotelaria em Cabo Verde somou 716,8 mil hóspedes em 2017, mais 11,2% que no ano anterior.

O turismo é o sector que mais contribuiu para o Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde, com cerca de 20%, e a Europa é o continente de proveniência de mais de 80% dos turistas que vistam o país africano.

A isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para cidadãos europeus foi anunciada em Abril do ano passado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, para vigorar a partir de Maio do mesmo ano.

Entretanto, foi várias vezes adiada, uma delas a pedido dos operadores turísticos e também porque teria de ser criada uma plataforma informática para permitir o registo prévio dos visitantes que se deslocam a Cabo Verde.

Fernando Elísio Freire garantiu que todas as condições já estão criadas, em articulação com os operadores turísticos, e que a intenção do Governo "é real".

"Estamos a fazê-lo com toda a convicção porque acreditamos que é o melhor para o turismo do nosso país, para a segurança do nosso país, para a afirmação de Cabo Verde na sua região e para a nossa competitividade", salientou, indicando que o Governo está a fazer investimentos em várias áreas, permitindo que os turistas possam circular de forma mais rápida e mais segura.

O anúncio da medida suscitou polémica e a oposição de vários quadrantes, por não prever a reciprocidade de isenção de vistos para a entrada de cidadãos cabo-verdianos na Europeia e pela potencial perda de receitas que irá representar para o país.

O ministro garantiu que não haverá nenhuma perda fiscal por parte de Cabo Verde com a isenção de vistos, prevendo, sim, um aumento de turistas no país e recursos para investir na segurança, melhoria dos aeroportos e qualificação do turismo.

O ministro lembrou ainda que Governo criou uma taxa de segurança aeroportuária, que deverá entrar em vigor a 01 de janeiro, mas que não será paga pelos cabo-verdianos e pelos cidadãos naturais de Cabo Verde e pelos cidadãos estrangeiros que residem no país.

Segundo os resultados de um estudo da Afrosondagem, mais de metade da população cabo-verdiana (55%) desaprova a isenção de visto ao europeus, enquanto 31% aprovam a medida e 10% não declararam uma posição formada por falta de informações precisas sobre o assunto.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Cabo Verde

Clique para ver mais: África

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Tráfego aéreo de/para Portugal cresce acima da média da UE no 1º semestre

21-08-2019 (15h29)

Portugal foi um dos países cujos aeroportos tiveram aumentos de passageiros no primeiro semestre “bem acima da média da União Europeia”, informou o ACI Europe, associação que conta com mais de 500 aeroportos em 45 países europeus, que em 2018 somaram mais de 2,3 mil milhões de passageiros.

Norwegian Air suspende seis rotas entre Irlanda e América do Norte

16-08-2019 (10h22)

A Norwegian Air, considerada pioneira dos voos transatlânticos low cost, anunciou o cancelamento de seis rotas entre a Irlanda e a América do Norte, justificando a decisão com a suspensão de voos em Boeing 737 MAX, modelo afectado por dois acidentes fatais.

Aigle Azur quer vender operação para Portugal à low cost espanhola Vueling

12-08-2019 (14h39)

A companhia francesa Aigle Azur, que tem como accionistas maioritários o grupo chinês HNA e o accionista de referência da TAP e da Azul, David Neeleman, procura vender a sua operação em Orly para Porto, Faro e Funchal como forma de obter liquidez para se manter a voar, segundo a imprensa francesa.

Associação de pilotos europeus critica Ryanair por segundo Verão consecutivo de instabilidade laboral

09-08-2019 (12h41)

A Associação Europeia de Cockpit (ECA), que representa 40 mil pilotos europeus, criticou hoje a instabilidade laboral na companhia aérea Ryanair, situação que se repete pelo segundo Verão consecutivo e “pelos mesmos motivos”.

Ryanair enfrenta greves também no Reino Unido e Espanha

08-08-2019 (16h42)

A low cost Ryanair, cujos tripulantes de cabina em Portugal têm marcada greve este mês, de dia 21 a dia 25, terá quase em simultâneo uma greve de pilotos no Reino Unido e também já tem ameaças de greves de tripulantes de cabina em Espanha.

Noticias mais lidas