Parques e monumentos de Sintra somam mais 291 mil visitas no 1º semestre

02-08-2017 (12h33)

Palácio Nacional da Pena (foto: PSML/Wilson Pereira)
Palácio Nacional da Pena (foto: PSML/Wilson Pereira)

Os parques e monumentos de Sintra geridos pela Parques de Sintra somaram 1,376 milhões de entradas no primeiro semestre deste ano, mais 26,8% ou mais 291 mil que nos primeiros seis meses de 2016.

Os dados divulgados hoje pela Parques de Sintra mostram que o Parque e Palácio Nacional da Pena registou 709 mil visitas no primeiro semestre, mais 180 mil ou mais 34% que há um ano.

O Palácio Nacional de Sintra somou 257 mil visitas, o mesmo que no ano passado, o Castelo dos Mouros teve 235 mil entradas, mais 75 mil ou mais 46,9%, e o Palácio Nacional de Queluz registou 87 mil, mais 19 mil ou mais 27,9%.

Os dados mostram ainda que o Parque e Palácio de Monserrate registou 62 mil visitas, mais 13 mil ou mais 26,5% que no primeiro semestre de 2016, o Convento dos Capuchos teve 16 mil entradas, mais mil ou mais 6,6%, e o Chalet da Condessa d'Edla somou dez mil visitas, mais três mil ou mais 42,9%.

As visitas de estrangeiros representam 79,5% do total de entradas no primeiro semestre, com o Reino Unido a ser o principal mercado, com 14%, seguido de França, com 11%, e Espanha, com 10,5%.

A Parques de Sintra destaca no entanto que no Palácio Nacional de Queluz 40% das visitas foram efectuadas por portugueses.

 

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Nova associação de Turismo Chinês em Portugal quer ajudar negócios afectados pelo novo coronavírus

24-02-2020 (18h08)

Uma nova Associação de Turismo Chinês em Portugal está a ser criada para ajudar os negócios afectados pelo coronavírus e potenciar o aumento das viagens entre os dois países, anunciou hoje Liang Yong, da agência de viagens Sinotravel, num almoço organizado pela APAVT e a Liga de Chineses em Portugal.

Antonoaldo Neves garante que TAP tem “fundações bem sólidas”

21-02-2020 (17h53)

Os resultados da TAP no segundo semestre “não foram suficientes para compensar” as quebras do primeiro, admitiu Antonoaldo Neves, CEO da transportadora, que acrescentou estar convicto, no entanto, que “as fundações estão bem sólidas para a gente continuar nessa trajectória de transformação da empresa e melhoria da sustentabilidade”.

Grupo TAP baixa prejuízos em 12,4 milhões para 105,6 milhões de euros em 2019

21-02-2020 (17h51)

O Grupo TAP registou prejuízos de 105,6 milhões de euros em 2019, uma melhoria de 12,4 milhões de euros face às perdas de 118 milhões registadas em 2018.

TAP fecha o ano com prejuízos de 95,6 milhões

21-02-2020 (17h51)

A companhia portuguesa de aviação TAP perdeu mais 95,6 milhões de euros no ano passado, com um agravamento de 37,6 milhões face a 2018, segundo os resultados da empresa comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não há possibilidade de a TAP ir para o Montijo”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (17h07)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, voltou a garantir que “não há possibilidade” da companhia aérea ir para o Montijo, apesar de considerar “importantíssimo” a sua construção.

Noticias mais lidas