Roteiros turísticos de Macau registaram cerca de 47 mil residentes participantes

13-07-2020 (16h32)

Cerca de 47 mil pessoas já participaram nos 15 roteiros turísticos locais, lançados pelo Governo de Macau para impulsionar a economia, afectada pela Covid-19, afirmou a directora dos Serviços de Turismo.

Maria Helena de Senna Fernandes falava à margem das cerimónias, esta manhã, do 15.º aniversário da inscrição do centro histórico da cidade na lista do património mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Este plano de turismo doméstico é avaliado em reuniões de coordenação semanais, incluindo a possibilidade de lançar mais roteiros, dada a elevada procura, disse.

Uma das possibilidades é incluir mais pontos do património cultural da cidade, mas os residentes procuram normalmente mais actividades de interior e em família, como 'workshops', considerou.

No entanto, os planos estão sempre a sofrer ajustamentos, devido à pandemia da covid-19. "Há muitas incertezas que nos levam a fazer vários ajustamentos", acrescentou.

Lançado a 15 de Junho, o plano de turismo doméstico "Vamos Macau" contempla 15 roteiros, seis comunitários e nove de lazer, com os residentes a receberem 560 patacas (62 euros) caso participem em duas excursões, limite máximo definido pelas autoridades.

O Governo atribuiu 280 milhões de patacas (31 milhões de euros), através da Fundação Macau, para subsidiar os residentes que participem nos roteiros, que incluem excursões por zonas antigas da cidade, turismo de natureza, espectáculos e gastronomia, sendo ainda distribuído pelos residentes um vale de refeição no valor de 100 patacas (11 euros).

O objectivo é ajudar os pequenos negócios, afectados pela crise motivada pela covid-19 e que praticamente paralisou o motor da economia de Macau, a indústria do jogo e do turismo, dada a restrição nas fronteiras e a ausência de turistas.

Em Maio passado, os hotéis e pensões do território receberam apenas 116 mil pessoas, menos 89,9%, em relação a Maio de 2019, longe dos números habitualmente registados na cidade, que só no ano passado recebeu quase 40 milhões de visitantes.

Naquele mês, o número de visitantes caiu 99,5% comparativamente ao período homólogo do ano passado.

Macau foi dos primeiros territórios a identificar casos de infecção com a Covid-19, antes do final de Janeiro. O território registou então uma primeira vaga de dez casos. Seguiu-se outra de 35 casos a partir de Março, todos importados, uma situação associada ao regresso de residentes, muitos estudantes no ensino superior em países estrangeiros.

O caso mais recente, o 46.º no território desde que o surto começou, registou-se a 25 de Junho.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Ásia & Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau cria mais dez roteiros turísticos locais

20-07-2020 (12h46)

O Governo de Macau divulgou hoje, 20 de Julho, mais dez roteiros turísticos locais, que incluem experiências desde uma viagem de helicóptero por cerca de 43 euros, a visitas nocturnas com passagem pelo centro histórico, património mundial da UNESCO.

Seicheles reabrem fronteiras, mas barram entrada a visitantes de Portugal

06-07-2020 (16h45)

As Seicheles começaram a reabrir as fronteiras aos turistas estrangeiros, mas os viajantes procedentes de Portugal estão impedidos de entrar.

Tongsai Bay, em Koh Samui, reabre a 1 de Julho

24-06-2020 (17h28)

O The Tongsai Bay, unidade hoteleira Green Pearls na Tailândia, vai reabrir a 1 de Julho com uma série de medidas de limpeza e higiene de acordo com os requerimentos da Organização Mundial de Saúde e das autoridades locais.

Maldivas reabrem ao turismo a partir de 15 de Julho

24-06-2020 (11h36)

As Maldivas vão reabrir ao turismo a partir de 15 de Julho, depois de vários meses com os hotéis encerrados devido à pandemia de covid-19.

Solférias já vende Maldivas para viagens a partir de 1 de Julho

22-06-2020 (17h41)

O operador turístico Solférias anunciou ao mercado programas para viagens às Maldivas a partir de 1 de Julho, com voos operados pela companhia aérea Swiss à partida de Lisboa, via Zurique.

Opinião e Análise