Festival Islâmico de Mértola adiado para Maio do próximo ano

09-04-2021 (09h16)

O Festival Islâmico de Mértola, no distrito de Beja, que estava previsto decorrer este ano, foi adiado para Maio de 2022, devido à pandemia de covid-19.

O município anunciou ontem que a decisão deve-se à “situação epidemiológica instável” que se vive actualmente e à “impossibilidade de realizar com segurança aquele que é, reconhecidamente, o maior evento cultural de Mértola”.

O festival vai voltar à vila alentejana com a sua herança islâmica em Maio do próximo ano e, mantendo o seu caráter bienal, passa “a realizar-se futuramente em anos pares”, anunciou ainda a autarquia.

“A natureza do evento, a dificuldade” de garantir “a segurança de todos, sem comprometer a essência do festival, a ponderação entre o investimento a realizar e o retorno em matéria de visitantes” e a “adesão de parceiros-expositores” foram alguns dos critérios que “pesaram” na decisão de adiamento, de acordo com o município.

A par destes factores, esteve “o imponderável em termos de evolução da situação epidemiológica” relacionada com a pandemia de covid-19”, acrescentou.

“A todos solicitamos a melhor compreensão, manifestando expressa confiança de que, no próximo ano, estarão reunidas as condições necessárias para que possamos realizar em pleno e sem restrições o nosso Festival Islâmico de Mértola”, assinalou ainda a câmara.

Durante o Festival Islâmico, cuja edição mais recente teve lugar em 2019, músicas, danças e sabores de raízes árabes e portuguesas “tomam de assalto” a vila alentejana, situada “à beira” do Rio Guadiana.

Promovido pela Câmara Municipal de Mértola, o festival "celebra a herança islâmica" e as ligações com o Norte de África e revive as vivências da vila naqueles séculos, quando se chamava "Martulah" e era capital de um reino islâmico e um importante porto comercial nas rotas do Mediterrâneo.

Um dos principais atrativos do festival costuma ser o mercado de rua marroquino, o souk, espalhado pelas ruas estreitas e íngremes do labiríntico centro histórico de Mértola, que são cobertas com tecidos, a lembrar as medinas de Marrocos.

Animação de rua, conferências e oficinas, artesanato, música ou exposições costuma ser outras das vertentes habituais do evento, que, em 2019, já ia na 10.ª edição.

 

Clique para ver mais: Cá Dentro

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vila Galé já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil

05-05-2021 (18h15)

O grupo hoteleiro português Vila Galé anunciou hoje que já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil, com "um plano muito rigoroso" de limpeza, novos equipamentos de proteção e uma plataforma digital que permite consultar as ementas dos restaurantes, reservar uma mesa e fazer check-in e check-out.

Vila Galé já tem 14 hotéis abertos em Portugal e oito no Brasil

05-05-2021 (16h29)

O grupo hoteleiro português Vila Galé anunciou hoje que já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil, com “um plano muito rigoroso” de limpeza, novos equipamentos de proteção e uma plataforma digital que permite consultar as ementas dos restaurantes, reservar uma mesa e fazer check-in e check-out.

Sonhando divulga novas propostas para férias no Algarve

05-05-2021 (15h54)

O operador turístico Sonhando divulgou para o mercado novas propostas para férias de Verão no Algarve, em campanha de venda antecipada até 31 de Maio, com preços desde 34 euros por pessoa em quarto duplo, para uma noite.

Caves Graham's e Quinta do Bomfim reabrem centros de visita

05-05-2021 (12h56)

Os centros de visita das Caves Graham's e da Quinta do Bomfim, que pertencem à Symington Family Estates, retomam actividade com visitas gratuitas ao Domingo de manhã e outras propostas como provas de vinhos, passeios nas vinhas, e menus de degustação.

Anantara Vilamoura reabre a 7 de Maio com oferta da meia pensão

04-05-2021 (12h10)

O Anantara Vilamoura, no Algarve, vai reabrir a 7 de Maio com uma campanha de oferta da meia pensão (MP) para reservas de um mínimo de três noites que sejam efectuadas até 31 de Julho.

Opinião e Análise