Vales e penhascos na tranquilidade de Viñales

24-03-2017 (06h07)

O Vale de Viñales, a menos de três horas de carro de Havana, é um dos locais mais procurados em Cuba para desfrutar da natureza, em caminhadas, em visitas a grutas ou apenas numa cadeira de baloiço observando penhascos pré-históricos, plantações de tabaco e a exuberância da floresta tropical.

O vigor da natureza ganha logo relevância no caminho, nos cerca de 170 quilómetros que separam Havana de Viñales, em que se mostram em abudância várias espécies endémicas de palmeiras, como a palma real, com um tronco muito fino e muito alto, e a palma barrigona, que no seu tronco apresenta a forma de uma barriga.

O Vale de Viñales, declarado Património Mundial pela UNESCO, é um destino com muita procura, pelo que o centro propriamente dito da cidade, além de uma praça, um museu e uma igreja, é composto sobretudo por restaurantes e habitações particulares para alojamento de turistas, as chamadas casas particulares.

O encanto do ambiente rural, tranquilo e sereno, consegue no entanto manter-se, sendo todas as habitações pequenas casas térreas com alpendre, quase sempre ocupado por duas cadeiras de baloiço e uma mesa de apoio. Não parece estranho que exista esse espaço de contemplação porque, além da estrada principal da cidade, por detrás das casas, a paisagem é verdejante em toda a volta, com plantações, palmeiras e floresta tropical em segundo plano e com rochedos altíssimos, autênticos penhascos, conhecidos como mogotes, em terceiro plano.

Estes rochedos, veradeiras montanhas pré-históricas feitas de calcário, estão cobertos de vegetação, entre palmeiras e arbustos que dão uma sensação de mata cerrada. Mais perto do topo dos penhascos há uma abertura que deixa vislumbrar a cor esbranquiçada do calcário, com várias covas e falhas que parecem grutas, com estalactites e estalagmites à vista. Para completar a paisagem, há grandes aves negras a sobrevoar os penhascos, as chamadas tiñosas, que dão ao local um aspecto de natureza intocada.

Viñales encontra-se na província de Pinar del Río, onde cresce mais de 70% do tabaco que dá origem aos famosos charutos cubanos. Aqui o tabaco começa por ser plantado junto a lagos, porque na fase inicial precisa de muita água, sendo depois recolhido manualmente e plantado noutro local com mais distância entre as plantas.

A planta do tabaco está dividida em quatro partes, de cima a baixo, sendo a parte superior a que tem as folhas mais intensas, mais fortes, e a parte mais baixa da planta a que tem as folhas com menos sabor. A qualidade dos charutos, contudo, não se limita às folhas, mas sim aos processos de fermentação.

Uma vez recolhidas, as folhas são atadas para ficarem a secar, passando a temporada das chuvas dentro de casas próprias para este processo, que, depois de terminado, dá lugar ao empacotamento das folhas e distribuição pelas fábricas localizadas em várias províncias.

Para uma explicação detalhada da produção de tabaco, há que visitar uma quinta produtora, e em Pinar del Río existem várias, como a de Benito Nodarse, na Calle Salvador Cisnero.

O Vale de Viñales é também conhecido por ter o maior sistema de cavernas de Cuba, sendo a Cueva del Índio um dos exemplos para se conhecer em 15 ou 20 minutos, a pé e de barco, com um guia que vai indicando aos visitantes dezenas de rochas que fazem lembrar crocodilos, índios, cobras, caveiras e caravelas.

Para o almoço, a Finca Agroecológica El Paraíso é uma das opções, onde sem dúvida vai estar na mesa a yuca fervida com sal e molho de limão e o boniato, um género de batata doce muito comum na ementa das zonas mais rurais do país.

Tudo o que vai para a mesa é produzido ou criado na própria quinta, tudo fresco e caseiro. Daí também que a única bebida alcóolica disponível seja um cocktail antistress, uma bebida que lembra a piña colada, de base virgem, à qual se pode acrescentar rum.

Em Viñales há que visitar ainda o Mural de La Prehistoria, um enorme mural pintado em 1961. A alusão à pré-história no nome do mural deve-se à tela, um dos ‘mogotes’ da região, e não à pintura, que representa a teoria da evolução.

 

O PressTUR visitou Cuba a convite do Ministério de Turismo de Cuba


Continua:

Remedios: uma cidade colonial para descontrair

Cayo Santa Maria para relaxar e mergulhar

Reviver a história de Che Guevara em Santa Clara

Trinidad: um tesouro colonial entre o mar e a serra

Trinidad: serra e praia

Cienfuegos: um toque francês em Cuba

Varadero: paraíso do sol e mar

Descobrir em Havana a singularidade de Cuba

Havana: quatro praças emblemáticas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

República Dominicana torna obrigatório teste de covid-19 para entrar no país

31-07-2020 (16h34)

A República Dominicana anunciou que para entrar no país passou a ser obrigatório apresentar um teste de covid-19 negativo ou fazer um teste rápido no aeroporto, sem custos para o visitante.

Charters para as Caraíbas cancelados em Julho e Agosto

08-07-2020 (18h44)

As praias e resorts das Caraíbas, tanto da Dominicana como do México e de Cuba, que todos os anos atraem milhares de portugueses que viajam com pacotes turísticos, este ano não os vão ter, pelo menos nos meses de ‘pico’ de Verão, pois os voos charter já estão cancelados.

Havana começa a desconfinar e Cayos podem abrir ao turismo internacional na sexta-feira

02-07-2020 (09h31)

Havana vai iniciar a primeira fase do programa de desconfinamento esta sexta-feira, dia 3, enquanto as restantes províncias, excepto Matanzas, passam à segunda etapa, que significa que os Cayos podem reabrir ao turismo internacional, “dependendo da procura”.

República Dominicana reabre hoje ao turismo com “fortes medidas sanitárias”

01-07-2020 (16h52)

O Turismo da República Dominicana anunciou que o país reabriu hoje ao turismo internacional, tendo implementado “fortes medidas sanitárias” nos aeroportos, que são a principal porta de entrada dos turistas.

República Dominicana está pronta para receber turistas a partir de 1 de Julho

16-06-2020 (18h43)

“A indústria do turismo dominicano está pronta para começar a receber turistas a partir de 1 de Julho”, anunciou o ministro do Turismo, Francisco Javier García.

Opinião e Análise