Finlândia suaviza restrições de entrada de turistas

21-09-2020 (13h20)

Helsínquia
Helsínquia

A Finlândia, numa altura em que se aproxima o Inverno e o Natal, época alta de turismo na Lapónia, reduziu os requerimentos para entrada de turistas, permitindo a chegada de visitantes de cerca de vinte países sem terem de fazer quarentena.

As medidas surgem numa altura em que, depois de quatro anos consecutivos de forte crescimento, o sector do turismo na Finlândia enfrenta um colapso de cerca de 40% devido à pandemia da covid-19 e às restrições de viagens impostas para travar a sua expansão, de acordo com as últimas previsões do Governo finlandês.

A perspectiva já era muito negativa há quatro meses, quando a junta finlandesa de turismo da Lapónia e a câmara de comércio da Lapónia advertiram que, sem grandes mudanças, 48% das empresas do sector esperavam ser incapazes de sobreviver.

Precisamente para salvar a época de inverno, o Governo finlandês anunciou há alguns dias que estava a aliviar as restrições aos viajantes de países com uma baixa incidência de casos de covid-19 e, assim, encorajar a chegada de turistas estrangeiros.

Para este efeito, aumentou o número máximo permitido de contágios por cada 100.000 habitantes nas últimas duas semanas de oito para 25, o que significa que permitirá aos turistas de cerca de vinte países, incluindo a Alemanha, Suécia, Polónia, Japão e as três Repúblicas Bálticas, viajar para a Finlândia sem quarentena.

Além disso, a partir de 23 de Novembro, os cidadãos de todos os países da União Europeia e do espaço Schengen vão poder visitar a Finlândia, mesmo que ultrapassem o limite de infecções permitidas.

No entanto, turistas de países com mais de 25 infecções por cada 100.000 habitantes terão de apresentar um teste de covid-19 negativo realizado durante as 72 horas anteriores à sua chegada e não poderão permanecer na Finlândia por mais de três dias.

Aqueles que chegam de países com uma situação epidemiológica grave e que planeiam permanecer mais de três dias devem ser postos em quarentena durante as primeiras 72 horas e depois testados de novo.

No entanto, várias organizações turísticas criticaram a quarentena e o duplo teste, considerando que este causará a perda de grande parte do turismo estrangeiro na Lapónia, o principal destino de Inverno da Finlândia, devido às auroras boreais e à indústria natalícia em torno da figura do Pai Natal.

As receitas do turismo na Finlândia aumentaram 16% entre 2016 e 2019, para 16,1 mil milhões de euros, e no ano passado geraram 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do país nórdico.

Embora o peso desta actividade na economia nacional seja muito inferior ao das potências turísticas, o turismo é já a terceira maior indústria no sector dos serviços na Finlândia, representando 16% do total das exportações.

O país nórdico, com uma população de 5,5 milhões de habitantes, registou um número recorde de dormidas em alojamento turístico em 2019, com mais de 23 milhões, dos quais cerca de 30% foram efectuadas por turistas estrangeiros.

O turismo estrangeiro - dominado por russos, alemães, britânicos e chineses - gerou receitas de cerca de cinco mil milhões de euros no ano passado, um valor que teria aumentado 4% em 2020 se não fosse a pandemia de covid-19, de acordo com estimativas do Governo finlandês.

O surto da pandemia no início do ano atingiu duramente o turismo na Finlândia, apesar de ser um dos países europeus menos afectados pela pandemia, com 160 pessoas contagiadas e 6,1 mortes por 100 000 habitantes até à data.

As primeiras medidas para conter o vírus a nível nacional e as fortes restrições à chegada de viajantes do estrangeiro abrandaram a pandemia, mas levaram a uma queda de 46%, numa base anual, nas dormidas entre Janeiro e Junho.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Assuntos Económicos, houve um aumento significativo do turismo interno durante o Verão, embora isto não tenha sido suficiente para preencher a lacuna deixada pelos turistas estrangeiros.

O Governo finlandês estima que em 2020 a procura do turismo estrangeiro deverá cair 70% face a 2019, reduzindo as receitas deste sector em cerca de 3,5 mil milhões de euros e colocando as empresas e os trabalhadores do sector numa situação grave.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Europa


Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP põe à venda passes com voos ilimitados na Europa

22-10-2020 (13h38)

A TAP está a anunciar ao mercado o novo Flight Pass Europa, um passe com voos ilimitados de Lisboa e do Porto para todos os destinos europeus da sua rede, apesar das restrições de viagens relacionadas com a pandemia de covid-19.

MSC Magnifica regressa ao mar com seis cruzeiros até final do ano

21-10-2020 (17h49)

O MSC Magnifica, embarcação da MSC Cruzeiros, vai fazer seis cruzeiros nas regiões do Mediterrâneo Ocidental e Oriental, até final de 2020, passando por Itália, Grécia e Malta.

Solférias já vende Disneyland Paris em 2021 com reservas flexíveis

20-10-2020 (14h06)

O operador turístico Solférias divulgou para o mercado propostas para viagens à Disneyland Paris em 2021, possibilitando o cancelamento das entradas e do alojamento sem custos até sete dias antes da chegada.

MSC Cruzeiros lança ofertas para viajarem quatro pelo preço de um

08-10-2020 (16h17)

“Pague apenas o seu bilhete de cruzeiro e leve todos consigo”, anunciou a MSC Cruzeiros para destacar as suas novas promoções para viajarem quatro pessoas pelo preço de uma.

Image Tours promove circuito por Istambul e Capadócia

07-10-2020 (19h59)

O operador turístico Image Tours está a promover um circuito de sete noites na Turquia, em Istambul e na região da Capadócia, com o preço inicial de 690 euros por pessoa.

Opinião e Análise