Rota Histórica das Linhas de Torres prepara candidatura a Património Mundial da UNESCO

14-10-2020 (17h26)

Fotos: www.cm-tvedras.pt
Fotos: www.cm-tvedras.pt

A Rota Histórica das Linhas de Torres começou a preparar a candidatura a Património Mundial da UNESCO, disse hoje o seu presidente, a seis dias do Dia Nacional das Linhas de Torres.

O presidente da Rota Histórica das Linhas de Torres - Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras e da Câmara de Sobral de Monte Agraço, José Alberto Quintino, disse à agência Lusa que "foi deliberado em reunião de direcção que a rota seja candidata à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura [UNESCO]", tendo para tal pedido aos técnicos dos municípios para começarem a elaborar o dossiê de candidatura.

O património histórico associado às Linhas de Torres Vedras está a ser sujeito a melhorias resultantes de 1,5 milhões de euros de financiamento comunitário, obtido para investir na qualificação da oferta e na promoção como produto turístico.

Até 2021, os municípios associados estão a trabalhar em parceria para proteger e valorizar o património cultural e natural das Invasões Francesas e da Guerra Peninsular enquanto factor de desenvolvimento dos respectivos territórios, criar em torno desse património um produto turístico e dinamizá-lo através de recriações históricas e outros eventos temáticos.

Em 2010, ano em que se comemoraram os 200 anos da construção das linhas defensivas, foram inauguradas obras de recuperação, e criados centros de interpretação, um investimento estimado em cerca de seis milhões de euros.

Em 2014, a empreitada de desmatação, recuperação e reabilitação dos fortes venceu o prémio Europa Nostra, na categoria "Conservação", e a Assembleia da República instituiu o 20 de Outubro como o Dia Nacional das Linhas de Torres.

Em Março deste ano, foram classificados como Monumento Nacional os 114 fortes e estradas militares que integram as chamadas Linhas de Torres Vedras, que recebem por ano pelo menos cerca de 10 mil visitantes.

As Linhas de Torres Vedras foram construídas sob a orientação do general inglês Wellington, comandante das tropas luso-britânicas no período das Invasões Francesas, para defender Lisboa das forças napoleónicas entre 1807 e 1814, durante a Guerra Peninsular.

A Associação da Rota Histórica das Linhas de Torres Vedras é composta pelos municípios de Torres Vedras, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Cá Dentro

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Solférias anuncia novos pacotes para Malta, incluindo réveillon

30-10-2020 (14h41)

O operador turístico Solférias lançou para o mercado a sua programação para viagens a Malta até 31 de Outubro de 2021, incluindo uma oferta para celebrar o fim de ano.

Hyatt anuncia primeiro hotel na Suécia

29-10-2020 (12h19)

A rede hoteleira Hyatt Hotels vai ter o seu primeiro hotel na Suécia, o Hotell Reisen, em Estocolmo, que vai integrar a marca The Unbound Collection by Hyatt a partir do início de 2021.

Algarve lança campanha de sensibilização para autocaravanistas

28-10-2020 (20h01)

A Região de Turismo do Algarve (RTA) lançou uma campanha de sensibilização dirigida aos autocaravanistas com o intuito de promover espaços de acolhimento à modalidade que pertençam à Rede de Acolhimento ao Autocaravanismo na Região do Algarve (RAARA).

Sonhando anuncia Réveillon na Ilha do Príncipe

28-10-2020 (19h33)

O operador turístico Sonhando está a anunciar pacotes para o Réveillon na Ilha do Príncipe, em São Tomé, com saída de Lisboa em voo especial directo com a STP AIrways nos dias 26 e 29 de Dezembro, desde 1.889 euros por pessoa.

Conheça três chefs internacionais que privilegiam uma filosofia orgânica

28-10-2020 (18h59)

A Green Pearls, plataforma de comunicação e informação dedicada ao turismo sustentável, destacou as chefs Patricia Yeo, Verena Ganzer e Manuela Botte, que recorrem a uma filosofia orgânica nas suas criações gastronómicas.

Opinião e Análise