Crescimento económico do país depende de “um turismo forte e competitivo”, CTP

17-11-2019 (22h51)

“Sem um turismo forte e competitivo não vamos ter crescimento económico, não vai haver redução do desemprego e não há criação de riqueza como tivemos nestes últimos quatro anos com a grande participação do turismo”, afirmou o presidente da Confederação do Turismo de Portugal.

“E nesse sentido, é nossa opinião de que o Governo deve retribuir ao turismo aquilo que ele tem feito por Portugal. Por duas razões muito simples: a primeira, porque o turismo merece e a segunda, o país agradece”, afirmou Francisco Calheiros, que falava este Sábado na cerimónia de encerramento do 45º Congresso da APAVT, que decorreu entre 14 e 17 de Novembro no Funchal.

Ao avaliar o desempenho do sector este ano, o presidente da CTP destacou que “estamos num fim de ciclo de um grande crescimento, [mas] não entrámos num ciclo de quebra. (...) A seguir a estar bastantes anos a crescer a dois dígitos é perfeitamente normal estarmos agora a fazer um ciclo em que estamos a crescer a um dígito”.

Contudo, “não devemos esquecer o que aconteceu em 2018 e 2019”, designadamente as quebras nas chegadas de turistas dos dois principais mercados emissores, o Reino Unido e a Alemanha.

Ainda assim “o país cresceu e conseguimos substituir quer os alemães, quer os ingleses por turistas que até nos interessam mais por duas razões: têm uma estadia maior e gastam mais. Estamos a falar de canadianos, americanos, brasileiros, chineses e coreanos. Nesse sentido estamos de parabéns”, afirmou Francisco Calheiros.

Para os próximos anos, o presidente da CTP prevê “uma legislatura mais difícil do que aquela que passámos”, onde os principais desafios para o turismo estão relacionados com os transportes e acessibilidades, os recursos humanos e a fiscalidade: “não é mais possível continuarmos com este índice de fiscalidade, não podemos continuar a ter eventos em Vigo 23% mais baratos que em Elvas”.

Sobre a fiscalidade, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, afirmou na abertura do Congresso da APAVT que pretende conseguir “um sistema fiscal mais justo que possa potenciar maior investimento” (clique para ler: Secretária de Estado do Turismo vai trabalhar para um sistema fiscal mais justo).

 

O PressTUR viajou a convite da APAVT

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: APAVT

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Feira de turismo ABAV Expo em São Paulo adiada para 2021

03-07-2020 (15h02)

A 48ª edição da feira internacional de turismo ABAV Expo, que estava marcada para os dias 23 a 25 de Setembro, em São Paulo, foi adiada para 2021, anunciou a organização, que em contrapartida vai promover um evento virtual que pretende “marcar a retomada dos negócios do sector turístico ainda em 2020”.

Ryanair acusa agências de viagens online de bloquear reembolsos

03-07-2020 (12h32)

A Ryanair acusou hoje "agências de viagens online não autorizadas" de bloquear reembolsos de clientes, por utilizarem "emails falsos e cartões de crédito virtuais" impedindo que as reservas "possam ser rastreadas até ao consumidor individual".

Bruxelas lança processo de infração a Portugal pelos ‘vouchers’ para reembolsos de clientes

02-07-2020 (13h19)

A Comissão Europeia decidiu hoje lançar processos de infração contra Portugal e outros nove Estados-membros por violação das leis comunitárias sobre direitos dos passageiros ao admitir vouchers para reembolsar clientes por viagens não efectuadas devido à pandemia de covid-19.

Royal Caribbean cancela cruzeiros do Odyssey of the Seas até Abril 2021

01-07-2020 (16h19)

A Royal Caribbean cancelou os cruzeiros a bordo do Odyssey of the Seas que tinha previsto realizar até Abril de 2021, devido a um atraso na construção do navio, que esperava receber em Novembro deste ano.

TUIfly programa voos para Faro e Funchal de sete cidades alemãs

30-06-2020 (17h14)

A TUIfly, companhia de aviação alemã do grupo TUI, maior conglomerado turístico europeu, tem programados voos em Julho e Agosto para Faro e para o Funchal à partida de Basel/Mulhouse, Dusseldorf, Frankfurt, Hamburgo, Hanôver, Munique e Estugarda.

Opinião e Análise