ACI, A4E e IATA dizem que os governos prejudicam mais do que ajudam

31-07-2020 (17h15)

Foto: Trinity Moss / Unsplash
Foto: Trinity Moss / Unsplash

As associações comerciais representativas de aeroportos e companhias aéreas europeias ACI, A4E e IATA acusaram hoje os governos europeus de terem “uma abordagem inconsistente das restrições de viagem”.

A Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), a Companhias Aéreas para a Europa (A4E) e o Conselho Internacional de Aeroportos (ACI) manifestaram “profundas preocupações” pelas restrições aplicadas por alguns Estados-membros aos voos na União Europeia (UE) e no espaço Schengen, temendo os impactos na confiança dos passageiros e na retoma do tráfego.

“Enquanto associações comerciais representativas dos aeroportos e companhias aéreas europeias, escrevemos para expressar as nossas mais profundas preocupações sobre a reintrodução de restrições de viagem em partes da área que compreende a UE/Schengen e o Reino Unido”, escrevem três das maiores associações representativas da aviação europeia numa carta hoje enviada aos chefes de Governo e ministros europeus dos Transportes, da Saúde e dos Assuntos Internos.

Na missiva, estas entidades lamentam que, após o levantamento em Junho passado das restrições aos voos, tenham sido “reimpostas restrições de viagem” na UE e no espaço Schengen.

Isto porque, para estas três associações, “tais ações não são coerentes” com as orientações do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e da Organização Mundial de Saúde, que já vieram considerar que as limitações ao movimento “não representam uma forma eficiente de reduzir as transmissões”.

“Observamos que estas restrições são de âmbito e conteúdo diferentes e foram também estabelecidas com base noutros critérios”, situação que está a “prejudicar a confiança dos consumidores nas viagens aéreas”, realçam a IATA, a AE4 e a ACI na carta.

Além disso, “implementadas no auge da época alta de verão para as indústrias do turismo e viagens, estas restrições estão a atrasar a recuperação do tráfego aéreo e o restabelecimento da conectividade aérea”, além de “afetarem gravemente a economia europeia”, acrescentam.

A IATA, a AE4 e a ACI pedem, assim, “esforços urgentes” aos Estados-membros para “coordenar eficazmente e alinhar respostas à evolução da situação epidemiológica a nível da UE e em estreita cooperação com o Reino Unido”, ao mesmo tempo que se “reforça o princípio de medidas baseadas no risco e proporcionais”, isto é, com “restrições de localização e não com proibições gerais por país”, optando pela imposição de “quarentena como último recurso”.

“Cada dia conta e isto não pode esperar pelo fim das férias de Verão”, sublinham.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Companhia aérea brasileira Azul regista prejuízo de 450 milhões de euros no segundo trimestre

14-08-2020 (18h45)

A companhia aérea brasileira Azul registou um prejuízo de 2,9 mil milhões de reais (450 milhões de euros) no segundo trimestre de 2020, segundo balanço financeiro divulgado pela empresa.

EuroAtlantic vai ter novo horário na ligação para Bissau

14-08-2020 (18h12)

A euroAtlantic vai começar voar para a Guiné-Bissau num novo horário, com chegada diurna à capital guineense, a partir de 4 de Setembro, informou a companhia aérea.

Brasileira Azul lança empresa de aviação regional

12-08-2020 (20h37)

A companhia aérea brasileira Azul lançou na terça-feira uma nova subsidiária para o mercado de voos regionais, denominada Azul Conecta, que pretende chegar a 200 cidades nos próximos anos.

Portugal mantém-se no final de Julho a 8ª maior origem/destino de passageiros dos aeroportos espanhóis

12-08-2020 (17h03)

Os aeroportos espanhóis contabilizaram 1,077 milhões de passageiros em voos de/para Portugal nos primeiros sete meses deste ano, o que mantém o país como 8ª maior origem/destino de passageiros, ainda que a pandemia tenha causado uma quebra em 66% ou 2,087 milhões.

Pandemia já tirou mais de 105 milhões de passageiros aos aeroportos espanhóis

12-08-2020 (15h35)

Os aeroportos espanhóis tiveram em Julho quase sete milhões de passageiros, mas ainda assim ficaram 76,3% ou 22,4 milhões abaixo do mês homólogo de 2019, elevando a quebra desde o início do ano para 106,8 milhões (-67,9%), de acordo com os dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis recolhidos pelo PressTUR.

Opinião e Análise