Aeroportos portugueses perderam quase 19 mil voos e 3,2 milhões de passageiros em Janeiro

19-02-2021 (17h13)

Foto: Trinity Moss / Unsplash
Foto: Trinity Moss / Unsplash

Os aeroportos portugueses tiveram em Janeiro menos quase 19 mil voos e menos cerca de 3,25 milhões de passageiros que no primeiro mês de 2020, em que a covid-19 ainda era uma ameaça distante, concluiu o PressTUR a partir dos dados divulgados pela ANAC, autoridade aeronáutica portuguesas.

Os aeroportos portugueses tiveram no mês de Janeiro, de acordo com esses dados, 11,5 mil voos e 772,1 mil passageiros, mais de metade deles (54,3%) em Lisboa, com 418,9 mil.

Os dados da ANAC indicam que de/para o Aeroporto do Porto voaram 199,4 mil passageiros (25,8% do total do mês), o Aeroporto do Funchal teve 52,5 mil (6,8%), Faro teve 33,8 mil (4,4%), Ponta Delgada teve 33,2 mil (4,3%), a Terceira teve 15,8 mil (2,1%) e a Horta teve 4,7 mi (0,6%).

Das restantes infra-estruturas sobressaem os aeroportos açorianos de Santa Maria, com 2,9 mil passageiros (0,4% do total do mês), São Jorge, com 2,5 mil (0,3%), e Pico, com 2,3 mil (0,3%).

A informação indica que relativamente a Janeiro de 2020, ainda o efeito covid-19 não se fazia sentir, dois aeroportos tiveram quebras de passageiros superiores a 80%, designadamente Faro, em 86%, e Lisboa, com -80,8%, a que se seguiram quebras entre 70% e 80% no Porto, com -77,4%, Funchal, com -76,6%, e Ponta Delgada, com -70,3%, enquanto Terceira e Horta tiveram quebras em 69,1% e em 63,5%, respectivamente.

Em número absoluto, a maior quebra ocorreu em Lisboa, que teve menos dois milhões de passageiros, seguindo-se o Porto, com menos 685,5 mil, Faro, com menos 207,1 mil, Funchal, com menos 172,4 mil, Ponta Delgada, com menos 89,7 mil, Terceira, com menos 35,1 mil, e Horta, com menos 9,2 mil.

A mesma informação indica que a redução de quase 19 mil aterragens e descolagens nos aeroportos portugueses este Janeiro relativamente ao primeiro mês de 2020 compreendeu decréscimos de 69,3% ou 11,3 mil em Lisboa, de 66,6% ou 4,6 mil no Porto, de 68,3% ou 1,2 mil em Faro, de 54,9% ou 963 no Funchal, de 27,3% ou 334 em Ponta Delgada, de 14,5% ou 118 na Terceira e de 17,8% ou 51 na Horta.

Para ler mais clique:

Transporte aéreo de passageiros em Portugal começa 2021 com queda de tráfego em 81,5%

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Iberia vai testar aplicação de validação de testes em voos para os Estados Unidos

26-02-2021 (17h38)

A companha aérea Iberia vai testar a aplicação VeriFLY, que valida a documentação de passageiros relativa a testes à covid-19, nos voos de Espanha para Miami e Nova Iorque, até 23 de Abril.

Amadeus revela quebra de 472,8 milhões de reservas de voos por agências de viagens

26-02-2021 (16h12)

A pandemia de covid-19 provocou uma quebra astronómica de reservas aéreas de agências de viagens de viagens, como evidencia o maior sistema global de reservas (GDS), o Amadeus, que revelou ter registado em 2020 uma quebra que atinge os 472,8 milhões.

IAG assina com Amadeus para chegar às agências de viagens via NDC

26-02-2021 (13h54)

As companhias aéreas British Airways, Iberia, Aer Lingus e Vueling, que constituem o IAG, anunciaram hoje que vão ter os seus voos e serviços disponíveis para agências de viagens através de soluções NDC na Amadeus Travel Platform.

Travelport anuncia nova plataforma que irá “reinventar o retalho de viagens”

25-02-2021 (17h27)

A Travelport, empresa a que pertence o Galileo, sistema global de reservas (GDS) mais utilizado pelas agências de viagens portuguesas, está a investir na “reconstrução completa” da sua plataforma para apresentar um novo marketplace quer irá “reinventar o retalho de viagens”.

França faz pleno da liderança de passageiros nos três maiores aeroportos portugueses

25-02-2021 (17h07)

França foi a primeira origem/destino de passageiros dos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro no primeiro mês deste ano, destronando o Reino Unido no Algarve, onde os voos de/para as ilhas britânicas tiveram uma quebra em 96%, que é a maior de todos os aeroportos em Janeiro.

Ultimas Noticias

Opinião e Análise