Aeroportos portugueses tiveram até Setembro menos 26 milhões de passageiros de voos internacionais

26-10-2020 (17h30)

Foto: Ross Parmly / Unsplash
Foto: Ross Parmly / Unsplash

Os cinco maiores aeroportos portugueses tiveram nos primeiros nove meses deste ano menos 26 milhões de passageiros de voos internacionais, que não são necessariamente todos turistas para Portugal, embora habitualmente sejam a maioria.

A informação dos aeroportos portugueses geridos pela ANA/Vinci a que o PressTUR teve acesso indica uma quebra média em 68%, com -67,4% ou menos 14,15 milhões em Lisboa, -62,4% ou menos 5,33 milhões no Porto, -75,9% ou menos 5,38 milhões em Faro, -67,3% ou menos 920,5 mil na Madeira e -82,8% ou menos 243,1 mil em Ponta Delgada.

Em Lisboa, tiveram quebras superiores a um milhão de passageiros as ligações com França (-63% ou menos 1,79 milhões), com a Alemanha (-66,9% ou menos 1,35 milhões), com o Reino Unido (-65,2% ou menos 1,37 milhões), com Espanha (-68% ou menos 1,73 milhões) e com o Brasil (-65,6% ou menos 1,05 milhões).

As restantes maiores quebras foram em voos de/para Itália, com -69,2% ou menos 969 mil, Estados Unidos, com -73,9% ou menos 719 mil, Suíça, com -58,1% ou menos 585,9 mil, e Holanda, com -63,3% ou menos 568,3 mil.

No Aeroporto do Porto, a quebra de passageiros em voos internacionais está em 62,4% ou 5,3 milhões, com maior incidência nas ligações com França, que tiveram um decréscimo em 58,5% ou 1,23 milhões, e com Espanha, nas quais o decréscimo foi de 71,8% ou 1,13 milhões.

As restantes maiores quebras foram nas rotas do Reino Unido, com -64,8% ou menos 543,6 mil, da Alemanha, com -54,5% ou menos 460,4 mil, e da Suíça, com -48% ou menos 434,7 mil.

O Aeroporto de Faro teve até Setembro uma quebra de passageiros de voos internacionais em 75,9% ou 5,38 milhões, sobressaindo a quebra nas ligações com o Reino Unido, que atingiu 81,1% ou 2,96 milhões.

Quebras grandes ocorreram ainda nas rotas da Irlanda, que tiveram decréscimo em 89,4% ou 595 mil, e da Alemanha, que tiveram decréscimo em 67,6% ou 553,4 mil.

A quebra de passageiros de voos internacionais no Aeroporto da Madeira nos nove meses de Janeiro a Setembro é de 67,3% ou 920,5 mil, e sobressaem as quebras em voos de/para o Reino Unido, em 64,5% ou 308,6 mil, Alemanha, em 58% ou 181,2 mil, e França, em 82% ou 107,9 mil.

No Aeroporto de Ponta Delgada, a quebra de passageiros de voos internacionais está no fim de Setembro em 82,8% ou 243,1 mil e sobressaem as quebras em voos de/para os Estados Unidos, em 83,1% ou 96,7 mil, e de/para a Alemanha, em 84,8% ou 59,8 mil.

Clique para ler:

Aeroportos portugueses tiveram este Verão menos quase 72% de passageiros que em 2019

Quebra de passageiros nos aeroportos portugueses voltou a agravar-se em Setembro

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

easyJet reforça voos no Natal e Ano Novo entre Portugal, França, Luxemburgo e Suíça

04-12-2020 (16h08)

A easyJet anunciou que fará um reforço de 21 voos em Dezembro e Janeiro entre Portugal, França, Luxemburgo e Suíça, sem especificar em que rotas.

LATAM passa a informar estado dos voos no seu website

04-12-2020 (15h45)

A LATAM está a informar os agentes de viagens que a partir de 7 de Dezembro o estado dos voos até quatro dias antes da partida só poderá ser consultado no seu website LATAM Trade.

Wizz Air inclui Faro com voos todo o ano da sua nova base em Cardiff

04-12-2020 (14h46)

A low cost húngara Wizz Air, actualmente uma das maiores do seu segmento na Europa, tem previsto criar uma base em Cardiff com ligações a nove destinos, incluindo quatro com voos todo o ano, um dos quais é Faro.

Transavia voa este Natal e Ano Novo Lisboa-Funchal e Porto-Montpellier

04-12-2020 (14h40)

A companhia aérea Transavia, do Grupo Air France-KLM, anunciou que este Natal e Ano Novo vai operar 20 rotas em Portugal, incluindo um novo Lisboa-Funchal e um regresso às ligações Porto-Montepellier.

Ryanair encomenda mais 75 aviões Boeing 737 MAX

04-12-2020 (14h05)

A Ryanair encomendou à Boeing mais 75 aviões B737 MAX, aumentando a encomenda total para 210 aviões deste modelo, que recebeu luz verde das autoridades norte-americanas para voltar a voar quase dois anos depois da proibição devido a dois acidentes que mataram 346 pessoas em cinco meses.

Opinião e Análise