Agência do Ambiente aprova aeroporto do Montijo mas impõe medidas de 48 milhões de euros

30-10-2019 (23h45)

Imagem: ANA Aeroportos
Imagem: ANA Aeroportos

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) emitiu esta quarta-feira uma declaração que viabiliza o projecto do aeroporto do Montijo e respectivas acessibilidades mas impõe "um pacote de medidas de minimização e compensação ambiental que ascende a cerca de 48 milhões de euros".

A Declaração de Impacte Ambiental (DIA) da APA é “favorável condicionada, viabilizando assim o projecto na vertente ambiental”, pode ler-se no documento publicado pela agência, que destaca três preocupações principais: avifauna (e seu habitat), ruído e mobilidade.

Sobre a avifauna, a agência declara que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) estimou uma afectação de cerca de 2.500 hectares utilizados para nidificação e alimentação das diferentes espécies de avifauna no estuário do Tejo.

Para compensar esta afectação, a APA impõe medidas como: "Áreas de compensação física com a extensão de 1.600 hectares (incluindo, por exemplo o Mouchão da Póvoa); Constituição de um mecanismo financeiro para a gestão da área afectada, a gerir pelo ICNF e pago pelo proponente, com um montante inicial de cerca de 7,2 milhões de euros e uma contribuição anual na casa dos 200.000 euros; Dinamização do CEMPA-Centro de Estudos para a Migração e Proteção de Aves, gerido pelo ICNF".

Por outro lado, “tendo em conta que o aeroporto do Montijo passará a ser um aeroporto comercial, aumentando assim significativamente o nível de exposição ao ruído das populações afectadas”, a APA impõe “a minimização dos impactes nos receptores sensíveis, a apurar mediante estudos técnicos a apresentar na fase de projecto de execução”.

A compensação, prossegue a agência, “assumirá a forma de apoio financeiro a medidas de isolamento acústico, num valor estimado entre 15-20 milhões de euros (em edifícios públicos e privados)”.

Acresce ainda que a nova estrutura aeroportuária “irá certamente afectar os padrões de mobilidade local e mesmo regional”, dado que “inclui também a construção de novas acessibilidades rodoviárias até à ponte Vasco da Gama”.

Desta forma, a APA impõe que seja “fomentada a mobilidade fluvial, pelo que o promotor deverá assegurar a aquisição de 2 barcos a entregar à empresa pública Transtejo, num valor até 10 milhões de euros”.

Estas medidas “permitem minimizar e compensar os impactes ambientais negativos do projecto, as quais serão detalhadas na fase de projeto de execução”, acrescenta a agência.

A ANA Aeroportos de Portugal tem até 10 dias úteis para se pronunciar sobre o teor da Declaração de Impacte Ambiental.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Jet2.com programa 45 voos por semana de oito cidades britânicas para Faro em Agosto

14-07-2020 (16h42)

A low cost britânica Jet2.com, do Dart Group, de que fazem parte também o operador Jet2holidays tem programados 45 voos por semana de oito cidades britânicas para Faro, com preços desde 40 euros em Agosto, bem como outros oito para o Funchal, de sete origens no Reino Unido.

American Airlines programa retoma dos voos Filadélfia – Lisboa para 27 de Março

14-07-2020 (15h47)

A American Airlines, maior companhia de aviação do mundo que interrompeu os voos de/para Lisboa devido à pandemia de covid-19, tem programado retomar as ligações entre o seu hub de Filadélfia e a capital portuguesa no início do Verão IATA 2021.

Breeze Airways de David Neeleman adia início das operações para 2021

14-07-2020 (15h32)

A Breeze Airways, fundada por David Neeleman e que tinha previsto começar a voar em finais de 2020, adiou o início das operações para 2021.

Emirates prevê despedimento de 15% dos seus funcionários

13-07-2020 (16h52)

A Emirates, que já cortou 10% dos seus postos de trabalho, cerca de 6.000 funcionários, planeia despedir até 9.000 trabalhadores, que representam 15% do número de empregados antes da pandemia, afirmou o presidente da companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Grécia reabre a voos do Reino Unido mas exige teste negativo à covid-19

13-07-2020 (13h48)

A Grécia vai reabrir os seus aeroportos a voos do Reino Unido a partir de quarta-feira, mas exigirá aos passageiros a apresentação de um teste negativo ao novo coronavírus realizado até três dias antes.

Opinião e Análise