Alemanha ultrapassa Reino Unido no Aeroporto de Faro em Outubro

25-11-2020 (14h47)

Foto: ANA/Vinci
Foto: ANA/Vinci

A Alemanha foi a primeira origem/destino de passageiros do Aeroporto de Faro em Outubro, ‘destronando' o Reino Unido, tradicionalmente nº1, mas que tem estado sujeito a medidas erráticas de combate à expansão da covid-19.

Dados do Aeroporto de Faro a que o PressTUR teve acesso indicam que em Outubro teve 244 mil passageiros, cerca de um quarto deles (24,4% ou 59,5 mil) em voos de/para a Alemanha, enquanto do Reino Unido foram 50,7 mil (20,8% do total).

O que se passou foi que enquanto em voos do Reino Unido houve uma quebra de 413,7 mil passageiros (-89,1%), nas ligações com a Alemanha a quebra foi de aproximadamente 51 mil passageiros (-46,1%).

A informação a que o PressTUR teve acesso indica que quebras mais fortes que nos voos de/para o Reino Unido verificaram-se apenas nas ligações com a Irlanda, em 92,2%, e com a Dinamarca, em 90,8%, mas que se traduziram em decréscimos de 64,6 mil e oito mil passageiros, respectivamente, enquanto a queda nos voos de/para o Reino Unido foi de 413,7 mil, o que equivale a 60,4% da quebra total de passageiros em Faro no mês de Outubro.

A segunda quebra com mais impacto foi em voos de/para a Irlanda, em 9,4%, e, seguidamente, nas ligações com a Alemanha, com um decréscimo de 46,1% ou cerca de 51 mil, o que equivale a 7,4% da quebra total de passageiros em Faro no mês de Outubro.

No conjunto dos primeiros dez meses deste ano, porém, o Reino Unido, ainda que com a maior quebra do período, com menos 3,37 milhões de passageiros que há um ano (-82%) mantém-se por grande margem a primeira origem/destino de passageiros do Aeroporto de Faro, com 740,2 mil, o que equivale a 35,7% do total.

Seguem-se, então, a Alemanha, com 15,7% do total do período, a Holanda, com 13,2%, França, com 12,3%, os voos domésticos, com 7%, a Irlanda, com 3,7%, a Bélgica, com 3,5%, e a Suíça, com 3,2%.

Os dados a que o PressTUR teve acesso indicam que o Aeroporto de Faro teve 20,5 mil voos (-62% ou menos 33,5 mil que no período homólogo de 2019) com 2,07 milhões de passageiros (-75,2% ou menos 6,29 milhões que há um ano).

Para ler mais clique:

Quebra de passageiros nos aeroportos portugueses está à beira dos 35 milhões

 

Clique para mais notícias: Aeroporto de Faro

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal


 

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP foi a companhia que mais aumentou a quota do transporte aéreo de passageiros de/para o Brasil em Dezembro

22-01-2021 (17h05)

A TAP atingiu em Dezembro uma quota de 12,5% do transporte aéreo internacional de passageiros de/para o Brasil, em alta de 5,1 pontos relativamente ao mês homólogo de 2019, de acordo com dados da autoridade aeronáutica brasileira (ANAC).

TAP ultrapassa meio milhão de passageiros nos voos de/para o Brasil e sobe a nº2 deste mercado

22-01-2021 (13h38)

A TAP transportou 544 mil passageiros nos seus voos de/para o Brasil em 2020 e reforçou assim a sua quota do mercado brasileiro de transporte aéreo internacional, do qual alcançou a vice-liderança, segundo os dados da autoridade aeronáutica brasileira, ANAC, consultados pelo PressTUR.

Quarentena será obrigatória para quem chegar de avião aos EUA

22-01-2021 (12h48)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou que todas as pessoas que chegarem de avião aos Estados Unidos procedentes de outros países terão que cumprir obrigatoriamente um período de quarentena de dez dias.

Portugal suspende voos de/para o Reino Unido

22-01-2021 (10h35)

O primeiro-ministro português, António Costa, anunciou que a partir de amanhã haverá uma interrupção total de voos entre Portugal e Reino Unido, com excepção daqueles que forem de natureza humanitária para repatriar cidadãos portugueses e britânicos, segundo a agência Lusa.

Quebra das exportações de transporte aéreo de passageiros menos drástica que importações

21-01-2021 (17h24)

As compras de passagens aéreas ao estrangeiro caíram 58,2% nos primeiros onze meses de 2020, que é uma queda relativa superior em 6,5 pontos à das exportações, de acordo com os dados do Banco de Portugal consultados pelo PressTUR.

Opinião e Análise