Argentina está disposta a investir em voos da TAP entre Lisboa e Buenos Aires

10-10-2019 (00h46)

O ministro argentino do Turismo, Gustavo Santos, declarou estar disponível para “apoiar e contribuir com promoção directa” para a abertura de uma rota da TAP entre Lisboa e Buenos Aires, uma ligação que chegou a ser anunciada pela transportadora em Abril de 2018 para inaugurar este ano.

“A TAP sabe que, se eu estiver à frente do Ministério, comigo terão um aliado incondicional. A Argentina está disposta a investir nesse voo, apoiar e contribuir com promoção directa desse voo, porque estou convicto de que é uma rota com muito potencial”, disse Gustavo Santos à Lusa, durante a feira de Turismo da América Latina FIT, em Buenos Aires.

A abertura de uma rota entre as capitais portuguesa e argentina foi anunciada em Abril de 2018 pelo presidente do conselho de administração da TAP, Miguel Frasquilho, que perspectivou na altura começar a operar a partir de 2019, dependendo dos prazos de entrega dos novos aviões da Airbus.

O ministro Gustavo Santos disse à Lusa que a Argentina enquanto emissor de turistas está a atravessar uma crise e que, para compensar essa queda, o país está disposto a promover o voo da TAP e a facilitar questões comerciais.

“Será uma rota de muito sucesso e eu vou insistir com a TAP para que aceite esse objectivo. Partilhamos da mesma ideia com secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho”, afirmou Gustavo Santos, mostrando-se confiante: “Tenho muita esperança de que, no curto prazo, possamos ter essa boa notícia”.

Desde Abril de 2018, a economia argentina atravessa dificuldades, com o peso argentino a perder 270% do seu valor em 13 meses e a inflação acumulada nos últimos 12 meses a subir 54,5%.

As chegadas de turistas estrangeiros à Argentina, por sua vez, alcançaram um recorde nos primeiros sete meses do ano com 4,3 milhões, mais 9,4% que um ano antes, com os turistas europeus a crescer 14,1%.

Os dados até Julho também indicam que 1,8 milhões dos turistas estrangeiros que visitaram a Argentina chegaram de avião, o que corresponde a um aumento de 19,3%.

As viagens de residentes na Argentina ao exterior, por outro lado, estão com uma quebra de 16,4%. Pelos aeroportos, a saída de argentinos diminuiu em 15,4% em relação ao período homólogo de 2018.

Gustavo Santos defende que “uma estratégia que beneficiaria a TAP é a política de Stopover da companhia”, que “permitirá que os argentinos viajem para outros destinos na Europa, ampliando as opções da TAP”.

O ministro enalteceu ainda a melhoria da conectividade aérea no país com a entrada de mais nove companhias aéreas, os acordos de vistos com 75 países e a devolução de impostos (IVA) aos turistas estrangeiros.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: TAP

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Passageiros numa ilha dos Açores com destino final outra deixam de ter de seguir viagem em 24 horas

29-05-2020 (18h35)

Os passageiros que se encontrem numa ilha dos Açores que não seja a do seu destino final deixam de estar obrigados a seguir viagem até 24 horas após a sua chegada, anunciou o presidente do Governo Regional.

SATA retoma ligações entre Lisboa e os Açores a 15 de Junho

29-05-2020 (18h24)

A Azores Airlines, do grupo SATA, vai retomar a 15 de Junho as ligações aéreas entre Lisboa e Ponta Delgada e Lisboa e a Terceira, bem como entre o Funchal e Ponta Delgada.

Transavia França anuncia retoma de voos para Portugal a 15 de Junho

29-05-2020 (17h04)

A Transavia França, low cost do grupo Air France KLM com operações de/para aeroportos franceses, anunciou a retoma de voos de/para Portugal de Lyon e Nantes, a 15 de Junho, e de Paris Orly e Montpellier, a 26 de Junho.

Finnair retoma voos para a Ásia a 1 de Julho

29-05-2020 (16h25)

A Finnair, companhia de aviação com hub em Helsínquia que tem forte implantação no transporte aéreo de passageiros entre a Europa e a Ásia, retoma essas ligações a 1 de Julho, com 10 rotas.

Plano de apoio à Lufthansa enfrenta ventos contrários

29-05-2020 (16h23)

O plano de apoio à Lufthansa face à pandemia de covid-19 e que ultrapassa os nove mil milhões de euros enfrenta ventos contrários de grande intensidade, especialmente por parte da comissária europeia da concorrência Margrethe Vestager.

Opinião e Análise