Azores Airlines (SATA Internacional) foi a pior do ranking de pontualidade da OAG em Agosto

06-09-2019 (14h55)

Foto: SATA Azores Airlines
Foto: SATA Azores Airlines

TAP foi a 6ª pior do mês e SATA Air Açores a 10ª pior

A companhia de aviação açoriana Azores Airlines (anteriormente denominada SATA Internacional) teve o pior índice de pontualidade do ranking de Agosto da consultora OAG, com apenas um terço (33,3%) dos voos a chegarem até 15 minutos da hora anunciada.

A informação da consultora indica que além da Azores Airlines as outras duas maiores companhias regulares portuguesas também ficaram entre as dez piores do mês, com a TAP a ter o 6º pior índice do mês e a SATA Air Açores, o 10º.

A OAG indicou para a TAP 53,3% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora prevista e para a SATA Air Açores, 54,6%.

A OAG classificou a TAP como 54ª maior do seu ranking de Agosto em número de voos, com 12.935, a SATA Air Açores ficou em 196ª, com 1.884 voos, e a Azores Airlines ficou em 252ª, com 836 voos.

A informação da OAG indica ainda 1,1% de cancelamentos para a TAP, 0,6% para a SATA Air Açores e 4,1% para a Azores Airlines.

A American Airlines, listada como nº 1 mundial em número de voos, com 209.264 em Agosto, teve 75,3% das chegadas até minutos da hora anunciada, a Delta Airlines, nº 2, com 180.022 voos, teve 82% e foi a melhor do Top10 onde, com mais de 80% se encontram mais duas companhias, a Ryanair (76.370 voos), com 81,3%, e a Southwest (118.881 voos), com 81,1%.

O pior índice de pontualidade no Top10 em número de voos foi o da easyJet (59.014 voos), com 63,6%, seguida pela Air Canadá (52.185 voos), com 66,2%, e pela China Eastern (73.149 voos), com 66,9%

Já com índices acima de 70%, mas abaixo de 80%, no Top10 estiveram a Turkish Airlines (44.307 voos), com 74,9%, a United Airlines, 3º maior (157.367 voos), com 74,7%, e a Lufthansa German Airlines (46.805 voos), com 73,6%.

A melhor em pontualidade entre as companhias com mais de dez mil voos no mês de Agosto foi a Garuda Indonesia (13.398 voos), com 95,3% das chegadas até 15 minutos da hora anunciada, Copa Airlines (10.421 voos), com 93,4%, LATAM Airlines Group (42.856 voos),com 89,1%, Aeroflot (32.928 voos), com 89%, KLM (23.148 voos), com 85,4%, Azul (25.384 voos), com 84,7%, e Aerolíneas Argentinas (10.730 voos), com 83,9%.

 

Para ler mais clique:

Nenhum aeroporto português conseguiu em Agosto ficar nos mil melhores em pontualidade

 

Clique para mais notícias: OAG

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: SATA

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ministro anuncia que Turismo de Portugal e TAP avaliam “outro tipo de rotas”

07-07-2020 (16h22)

O ministro da Economia disse hoje que o Turismo de Portugal está a avaliar com a TAP a possibilidade de se fazerem “outro tipo de rotas”, uma vez que o mercado se alterou, devido à pandemia de covid-19.

Vueling retoma voos entre Tenerife Norte e o Porto a 1 de Agosto

07-07-2020 (15h09)

A low cost espanhola Vueling, do IAG, tem programado fazer dois voos por semana entre Tenerife Norte e o Porto a partir de 1 de Agosto.

Ryanair sofre quebra de quase 43 milhões de passageiros no primeiro semestre

07-07-2020 (14h40)

A low cost Ryanair está no fim de Junho com menos 42,6 milhões de passageiros que no primeiro semestre de 2019, um ano em que, segundo a sua informação de Maio passado, realizou uma média de 37 euros por passageiro, o que permite calcular uma quebra de mais de 1,5 mil milhões de euros de receitas de passagens devido à covid-19.

Iberia retoma voos diários de Madrid para Lisboa e para o Porto

07-07-2020 (12h30)

A companhia espanhola Iberia, do IAG, vai ter voos diários de Madrid para Lisboa e para o Porto a partir de meados deste mês.

Avianca Brasil pede falência

07-07-2020 (12h18)

A Avianca Brasil (Oceanair Linhas Aéreas), do grupo dos irmãos Efromovich, pediu falência à Justiça, por não ter condições de cumprir o plano de pagamento de uma dívida estimada em cerca de 2,7 mil milhões de reais, cerca de 448 milhões de euros.

Opinião e Análise