Cabo Verde fica com mais de uma dezena de imóveis dos antigos TACV

18-11-2020 (17h30)

Foto: TACV
Foto: TACV

O Estado de Cabo Verde vai ficar com mais de uma dezena de imóveis que eram propriedade dos TACV, entre terrenos, edifícios e apartamentos, incluindo em Portugal, no âmbito da privatização da companhia áerea.

A medida, segundo a agência Lusa, consta de um decreto-lei hoje publicado que “procede à transferência de imóveis para o Estado de Cabo Verde no âmbito do processo de privatização” da companhia Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), que passou a denominar-se, comercialmente, como Cabo Verde Airlines (CVA).

Em Março de 2019, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da então empresa pública TACV por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (grupo Icelandair, que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no setor da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada).

A negociação para essa venda fixou os 51% em 1.318.102,50 euros, montante “baseado na avaliação independente feita à empresa, excluindo o valor dos imóveis que lhe pertenciam”, refere o mesmo decreto-lei.

O diploma estabelece que são “definitivamente transferidos para o domínio privado” do Estado cabo-verdiano um total de 13 imóveis, como apartamentos, terrenos, garagens, edifícios, num valor total não referido, que a TACV possuía em várias ilhas cabo-verdianas, no Senegal e quatro em Portugal, três dos quais na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

A companhia aérea está há mais de sete meses sem actividade comercial, devido às restrições impostas para conter a pandemia de covid-19, e já este mês o Governo aprovou a concessão de dois avales do Estado para empréstimos de quase dois milhões de euros a contrair pela administração da CVA para “pagamento de juros vencidos referentes a créditos bancários” e para liquidar “salários em atraso”.

A notícia da agência Lusa acrescenta que o ministro dos Transportes, Carlos Santos, afirmou em 15 de Outubro no parlamento cabo-verdiano que a intervenção do Estado na CVA é “inevitável” e será anunciada “muito brevemente”, envolvendo a restruturação da companhia, parada desde Março.

A CVA não realiza voos comerciais desde 18 de Março, quando o arquipélago encerrou a ligações internacionais, para conter a pandemia de covid-19, por decisão do Governo.

Os voos internacionais foram retomados em 12 de Outubro, com a reabertura de fronteiras, mas a administração da CVA não tem ainda planos para retomar a operação, sendo conhecidas desde Maio negociações com o Governo, para um apoio financeiro, ainda sem conclusão.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Cabo Verde

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP voltou a ser em Outubro a líder em transporte aéreo internacional de passageiros de/para o Brasil

27-11-2020 (14h40)

A TAP completou em Outubro três meses consecutivos a liderar o transporte aéreo internacional de passageiros de/para o Brasil, com cerca de 30 mil, praticamente o triplo da segunda maior companhia europeia, a Air France, de acordo com dados da autoridade de aviação civil do Brasil (ANAC).

Voos internacionais de/para o Brasil perdem 70,1% de passageiros até Outubro

27-11-2020 (14h39)

Cerca de seis milhões de passageiros voaram de/para o Brasil entre Janeiro e Outubro, o que significa uma quebra em 70,1% ou 14,18 milhões, concluiu o PressTUR a partir dos dados publicados pela autoridade de aviação civil do Brasil (ANAC).

KLM reduz oferta de voos para Lisboa e Porto em Dezembro

27-11-2020 (12h43)

A companhia de aviação holandesa KLM anunciou uma redução de 15% da sua oferta de voos de Amesterdão para Lisboa e Porto durante o mês de Dezembro.

Privatização da TAAG deverá estar concluída em 2022, ministro

25-11-2020 (16h08)

O ministro dos Transportes de Angola, Ricardo de Abreu, prevê que a privatização da companhia de aviação TAAG esteja concluída em 2022, segundo a Rádio Nacional de Angola.

Madeira impõe dupla testagem de covid-19 aos emigrantes e anuncia restrições no Natal

25-11-2020 (16h00)

A dupla testagem para covid-19 será alargada a "todos os residentes emigrantes" que desembarquem na Região Autónoma da Madeira nos próximos 15 dias, anunciou hoje o executivo regional, vincando que a medida é "essencial" para conter a propagação do vírus.

Opinião e Análise