CTP diz que viabilização do aeroporto do Montijo é “boa notícia”

31-10-2019 (12h55)

Foto de Nuno Carvalho, Click and Play, distribuída pela APAVT
Foto de Nuno Carvalho, Click and Play, distribuída pela APAVT

"Quero ver se finalmente vejo os ‘caterpillars' no Montijo", disse o presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros, ao considerar "uma boa notícia" a viabilização do aeroporto pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

“É uma boa notícia sair esse parecer. (…) Há muito tempo que estávamos à espera deste Estudo de Impacte Ambiental”, afirmou Francisco Calheiros em declarações à Lusa.

Para o presidente da CTP, a construção do novo aeroporto na Base Aérea n.º 6, no Montijo, vai permitir dar resposta à falta de capacidade do aeroporto de Lisboa, aumentando a capacidade para se negociar novas rotas aéreas e, consequentemente, incrementar o turismo.

No que diz respeito às mitigações exigidas pela APA, Francisco Calheiros espera que o Governo e a ANA Aeroportos de Portugal, que já reagiu com “surpresa e apreensão” a algumas das medidas impostas para minimizar o impacte ambiental, “se sentem o mais rapidamente possível” para que consigam “resolver o que é necessário fazer para se avançarem com as obras”.

A APA emitiu na quarta-feira a proposta de Declaração de Impacte Ambiental (DIA) relativa ao aeroporto do Montijo e respectivas acessibilidades, tendo a decisão sido “favorável condicionada”, viabilizando o projecto.

“A DIA é favorável condicionada, viabilizando assim o projeto na vertente ambiental. A DIA inclui um pacote de medidas de minimização e compensação ambiental que ascende a cerca de 48 milhões de euros”, referiu o comunicado da APA.

Entre as principais preocupações ambientais estão a avifauna, ruído e mobilidade.

Segundo explica a APA no documento, esta declaração vem “na sequência do parecer, igualmente favorável condicionado, emitido pela Comissão de Avaliação composta por dezenas de especialistas e organismos da administração pública”.

O projecto pretende promover a construção de um aeroporto civil na Base Aérea n.º 6 do Montijo (BA6), em complementaridade de funcionamento com o aeroporto de Lisboa, visando a repartição do tráfego aéreo destinado à região de Lisboa e a acessibilidade rodoviária de ligação da A12 ao novo aeroporto.

Em 8 de Janeiro, a ANA e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o actual aeroporto de Lisboa (Aeroporto Humberto Delgado) e transformar a BA6 num novo aeroporto.

(PressTUR com Agência Lusa)

Ver também:

ANA vê com “surpresa e apreensão” medidas propostas pela Agência do Ambiente

Agência do Ambiente aprova aeroporto do Montijo mas impõe medidas de 48 milhões de euros

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAAG reforça ligações Luanda-Lisboa a partir de Sábado

14-05-2021 (14h11)

A TAAG anunciou que vai reforçar as operações entre Angola e Portugal, com um segundo voo semanal entre Luanda e Lisboa, a partir de Sábado, dia 15 de Maio.

Ryanair anuncia mais 20 mil lugares em voos entre Escócia e Portugal

12-05-2021 (17h34)

A Ryanair anunciou hoje um reforço da sua operação nas ligações entre Escócia e Portugal, com mais 20 mil lugares nos seus voos de Edimburgo, Aberdeen e Glasgow Prestwick.

Ponta Delgada é o novo destino da Iberia para este Verão

12-05-2021 (16h17)

A companhia de aviação espanhola Iberia, do IAG, anunciou hoje que em Julho e Agosto vai voar entre Madrid e Ponta Delgada, que é uma estreia da companhia e precisamente para um país que anunciou como “uma das grandes apostas” para este Verão.

Vendas TAP pelas agências corporate brasileiras caem em linha com o mercado

12-05-2021 (16h03)

A TAP teve no primeiro trimestre, em que enfrentou restrições às ligações com o Brasil, quebras das vendas pelas agências corporate brasileiras em 85,9% em número de bilhetes e em 88,5% em valor, segundo informou a ABRACORP, associação que reúne as maiores empresas do sector.

Grupo TUI perdeu quase 6.000 milhões de euros de receitas em seis meses

12-05-2021 (15h00)

O grupo TUI, maior do mundo na organização e comercialização de viagens, com milhões de clientes anualmente, mostrou hoje que nos seis meses até 31 de Março teve uma quebra das receitas em 89,2% ou 5.922,4 milhões de euros.

Opinião e Análise