Embraer anuncia demissão de 900 funcionários no Brasil

04-09-2020 (14h49)

Foto: Embraer
Foto: Embraer

A fabricante brasileira de aeronaves Embraer anunciou a demissão de 900 trabalhadores no Brasil para fazer face aos impactos da pandemia de covid-19 e ao cancelamento de um acordo com a Boeing.

"A medida é consequência dos impactos causados pela covid-19 na economia global e do cancelamento da associação com a Boeing", explicou a fabricante, em nota enviada ao mercado.

Segundo a fabricante, o objetivo das demissões "é garantir a sustentabilidade da empresa e de sua capacidade de engenharia".

A Embraer explicou que, com aeroportos fechados em todo o mundo e os aviões da maioria das companhias aéreas em terra, a pandemia afetou particularmente os seus clientes.

A empresa acrescentou que no primeiro semestre deste ano teve de reduzir em 75% a entrega de aeronaves já encomendadas face ao mesmo período do ano passado.

Segundo a Embraer, a falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto ou médio prazo também pesou na decisão de adequar o quadro de funcionários.

A demissão em massa também foi causada pela frustrada parceria com a Boeing, para a qual havia iniciado uma duplicação das suas estruturas para separar a sua produção de aviões comerciais do resto da empresa e que agora precisa ser revertida.

A Embraer estava em negociações com a Boeing desde 2018 para a criação de uma joint venture, na qual a Embraer venderia 80% da sua divisão de aeronaves comerciais para formar uma nova empresa controlada pela gigante norte-americana.

No entanto, em abril passado, a Boeing encerrou as negociações com a Embraer, que acusou de "não cumprir as condições necessárias" no prazo estipulado.

A Embraer garantiu que desde o início da pandemia adotou várias medidas para tentar preservar empregos, como a concessão de férias coletivas, a redução da jornada de trabalho e programas de demissões voluntárias, que foram insuficientes.

Os seus três programas de incentivo à demissão voluntária, o último concluído na quarta-feira passada, tiveram a adesão de cerca de 1.600 funcionários.

As demissões foram decididas porque a Embraer não atingiu a meta que havia sido traçada de redução de pessoal com os programas de demissões voluntárias.

A Embraer tem cerca de 20.000 funcionários em todo o mundo, incluindo 10.000 na sua fábrica principal em São José dos Campos, um município do interior do estado de São Paulo.

Segundo um balanço que divulgou no mês passado, a Embraer perdeu 2,9 mil milhões de reais (cerca de 470 milhões de euros) no primeiro semestre deste ano. Esse resultado negativo também foi atribuído ao impacto da pandemia e ao acordo frustrado com a Boeing.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Embraer

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Pandemia de covid-19 provoca prejuízo de 6.078 milhões até Setembro ao grupo Air France/KLM

30-10-2020 (12h07)

O grupo Air France KLM, terceiro maior da Europa, englobando além dessas duas companhias também a Transavia, informou hoje que nos nove meses de Janeiro a Setembro deste ano soma um prejuízo de 6.078 milhões de euros, com quebra das receitas em 58,8%, principalmente das receitas de tráfego regular, que caíram 59,7%.

Ryanair vai voar Lisboa – Colónia no próximo Verão

29-10-2020 (11h59)

A Ryanair anunciou ao mercado que vai voar entre Lisboa e Colónia duas vezes por semana a partir de 28 de Março de 2021.

Quebra em Agosto menor que em Londres dá liderança dos aeroportos europeus a Paris CDG

28-10-2020 (16h32)

O Aeroporto de Paris Charles de Gaulle no final de Agosto era o aeroporto europeu com mais passageiros este ano, de acordo com dados do ACI Europe, que lhe atribui um total de 17,92 milhões de passageiros, mais 202,6 mil que Londres Heathrow, tradicionalmente o nº 1 europeu, mas que em Agosto teve menos 721,9 mil passageiros que o principal aeroporto da capital francesa.

Moscovo teve em Agosto os dois aeroportos europeus com mais passageiros

28-10-2020 (15h51)

Os dois aeroportos da capital russa, Moscow Domodedovo e Sheremetyevo, foram os aeroportos europeus com mais passageiros no mês de Agosto, destronando os ‘gigantes’ Londres Heathrow, Paris Charles de Gaulle, Frankfurt, Amesterdão Schiphol e Istambul, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council Internacional (ACI) Europe.

200 aeroportos europeus estão em risco de falência pelo impacto da pandemia de covid-19

28-10-2020 (13h09)

O ACI Europe, que calculou recentemente que os aeroportos europeus perderam 1,273 milhões de passageiros até 27 de Setembro, avisou que a crise colocou em risco de insolvência nos próximos meses 193 aeroportos do continente.

Opinião e Análise