Emirados Árabes Unidos suspendem voos de passageiros por duas semanas

23-03-2020 (08h44)

Imagem: Dubai Airports
Imagem: Dubai Airports

Os Emirados Árabes Unidos anunciaram hoje a suspensão, a partir de quarta-feira e por duas semanas, de todos os voos de passageiros, incluindo em trânsito, devido à pandemia da covid-19.

As autoridades decidiram "suspender todas as chegadas e partidas de passageiros, bem como aqueles que estão em trânsito, nos Emirados Árabes Unidos", no âmbito das medidas de prevenção para impedir a propagação da covid-19, noticiou a agência oficial WAM.

"Os voos de carga e de retirada sanitária não são abrangidos" por esta medida, que pode ser revista dentro de duas semanas, acrescentou.

Os Emirados Árabes Unidos, cujos aeroportos internacionais do Dubai e de Abu Dhabi são importantes centros distribuidores do tráfego aéreo mundial, registaram na sexta-feira as duas primeiras mortes causada pelo novo coronavírus e mais de 150 casos confirmados.

No Domingo, a companhia aérea Emirates, com sede no Dubai, tinha anunciado a suspensão de todos os voos comerciais, que opera habitualmente em 159 destinos. Posteriormente, a transportadora recuou e afirmou que iria manter as ligações aéreas para 13 destinos, decisão que justificou com pedidos recebidos de governos e clientes para ajudar no repatriamento de viajantes.

Horas antes, o presidente e director executivo da Emirates tinha indicado que a companhia se encontrava numa situação em que não podia operar, “de forma viável, voos com passageiros até que os países voltem a abrir as fronteiras e a confiança nas viagens regresse”.

A Emirates transportou no ano passado cerca de 58 milhões de passageiros.

Para lutar contra a propagação do coronavírus, os Emirados Árabes Unidos reforçaram no Sábado as medidas de prevenção ao anunciar "o encerramento de praias, parques, piscinas, cinemas e pavilhões desportivos".

As autoridades proibiram, até nova ordem, o regresso ao país de estrangeiros com direito de residência.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adoptaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Médio Oriente

Clique para ver mais: Coronavírus

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Emirates prevê despedimento de 15% dos seus funcionários

13-07-2020 (16h52)

A Emirates, que já cortou 10% dos seus postos de trabalho, cerca de 6.000 funcionários, planeia despedir até 9.000 trabalhadores, que representam 15% do número de empregados antes da pandemia, afirmou o presidente da companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Grécia reabre a voos do Reino Unido mas exige teste negativo à covid-19

13-07-2020 (13h48)

A Grécia vai reabrir os seus aeroportos a voos do Reino Unido a partir de quarta-feira, mas exigirá aos passageiros a apresentação de um teste negativo ao novo coronavírus realizado até três dias antes.

Iberia já vende através do NDC todos os serviços para clientes corporativos

13-07-2020 (13h08)

A Iberia adoptou a nova versão do NDC da IATA que permite reservas, emissões e gestão de tarifas para empresas, com o que passou a vender através do NDC todos os seus serviços para clientes corporativos.

Comissão Europeia aprova ajuda estatal holandesa de 3,4 mil milhões de euros à KLM

13-07-2020 (12h21)

A Comissão Europeia aprovou hoje uma ajuda estatal da Holanda à companhia aérea holandesa KLM, um apoio urgente à liquidez na forma de garantia estatal e um empréstimo público devido à crise gerada pela covid-19.

TAP marca passo apesar de “interesse público”

10-07-2020 (15h34)

Uma semana depois de o Governo anunciar mudanças de fundo da TAP, entre elas a do CEO da companhia, inerentes ao reforço da sua posição para mais de 70% do capital, ainda nada mudou e é Antonoaldo Neves que continua a comandar a transportadora aérea.

Opinião e Análise