IAG só cresce em Setembro em voos da América Latina e domésticos

07-10-2019 (15h29)

Foto: Iberia
Foto: Iberia

O IAG, grupo de aviação que junta British Airways, Iberia, Vueling, Aer Lingus e Level, viu o seu crescimento em Setembro, mês em que a britânica cancelou 2.325 voos devido a greve de pilotos, cingir-se aos seus voos da América Latina e domésticos no Reino Unido, Espanha e Itália.

A informação publicada hoje pelo grupo indica que o seu tráfego medido em RPK (do inglês para passageiros x quilómetros voados) cresceu 0,8% em Setembro sustentado por crescimentos apenas nos sectores América Latina, em que teve um aumento em 14,9%, e voos domésticos, também a dois dígitos, em 11%.

De resto registou quebras, de 2,6% em voos internacionais intra-europeus, 2,3% nas linhas da América do Norte, 6,1% nas ligações com África, Médio Oriente e Ásia do Sul e 2,9% nas rotas da Ásia e Pacífico.

Em número de passageiros embarcados, com o impacto da greve de pilotos da British Airways, o crescimento em Setembro ficou em apenas 0,6% ou 64 mil, somando 10,639 milhões, 2,6 milhões em voos domésticos no Reino Unido, Espanha e Itália, mais 150 mil (+6,1%) que no mês homólogo de 2018, e 514 mil nas ligações com a América Latina, com um aumento de 63 mil (+14%).

Nos restantes sectores teve quebras, com menos 114 mil em voos internacionais intra-europeus (-1,9%, para 5,755 milhões), menos 15 mil nas linhas da América do Norte (-1,4%, para 1,089 milhões), menos 14 mil nas linhas de África, Médio Oriente e Ásia do Sul (-2,9%, para 470 mil), e menos seis mil nas rotas da Ásia e Pacífico (-3%, para 196 mil).

Os dados por companhias que fazem parte do grupo indicam que a queda se cingiu à British Airways, que teve uma quebra de 338 mil passageiros (-8,1%, para 3,854 milhões).

O maior aumento deu-se na Vueling, que opera essencialmente voos de curto e médio cursos, que são os que mais passageiros transportam, com um aumento de 245 mil (+7,5%, para 3,5 milhões), seguindo-se a Iberia, com mais 134 mil (+7,1%, para 2,013 milhões), Level, com mais 15 mil (+9,2%, para 178 mil), e Aer Lingus, com mais oito mil (+0,7%, para 1,094 milhões).

Em RPK, em que normalmente as companhias com maiores resultados são as que operam voos intercontinentais, que são mais longos, a líder em crescimento foi a Iberia, com um aumento em 10,4% ou 542 milhões de RPK, que só por si, porém, não chegou para compensar a queda na British Airways, que atingiu um total de 839 milhões de RPK (-6,4%).

O crescimento do grupo em Setembro foi, pois, porque ao crescimento da Iberia somaram-se os crescimentos da Level, com mais 221 milhões de RPK (+40,8%), Vueling, com mais 189 milhões de RPK (+5,9%), e Aer Lingus, com mais 82 milhões de RPK (+3,5%).

 

Clique para mais notícias: IAG

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Lufthansa programa ter este Agosto 60 voos por semana dos seus hubs para Portugal

03-08-2020 (13h17)

A companhia alemã Lufthansa, líder do maior grupo aéreo europeu, tem programado para este mês de Agosto fazer 60 voos por semana dos seus hubs de Frankfurte e Munique aeroportos portugueses.

ACI, A4E e IATA dizem que os governos prejudicam mais do que ajudam

31-07-2020 (17h15)

As associações comerciais representativas de aeroportos e companhias aéreas europeias ACI, A4E e IATA acusaram hoje os governos europeus de terem “uma abordagem inconsistente das restrições de viagem”.

Air Canada anuncia perdas de 1,1 mil milhões de euros no 2º trimestre

31-07-2020 (16h44)

A Air Canada anunciou hoje que perdeu mais de 1,7 mil milhões de dólares canadianos (1,1 mil milhões de euros) no segundo trimestre, devido aos "efeitos devastadores" da pandemia de covid-19.

Bruxelas aprova apoio alemão de 840 milhões para cobrir vouchers de viagens canceladas

31-07-2020 (12h09)

A Comissão Europeia deu hoje ‘luz verde’ a um apoio estatal da Alemanha de 840 milhões de euros para cobrir vouchers emitidos por operadores turísticos para compensar cancelamentos de viagens devido à covid-19, visando tornar esta numa opção mais “fiável”.

‘Delfim’ de Antonoaldo Neves escolhido para novo CEO da TAP

30-07-2020 (19h39)

Fonte oficial do Ministério das Infra-estruturas já confirmou à Lusa que Ramiro Sequeira, promovido a COO da TAP por Antonoaldo Neves, é a escolha do Governo para substituir o gestor brasileiro em CEO da companhia portuguesa.

Opinião e Análise