IATA reviu para mais do dobro a perda de receitas da aviação devido à pandemia de covid-19

24-03-2020 (16h29)

Foto: Nils Nedel / Unsplash
Foto: Nils Nedel / Unsplash

A IATA reviu hoje para 252 mil milhões a quebra de receitas das companhias de aviação devido à pandemia de covid-19, mais do dobro do que no início do mês descrevia como o ‘pior cenário’, no qual a quebra atingia 113 mil milhões de dólares.

A informação divulgada hoje pela IATA inclui uma declaração do seu director-geral e CEO, Alexandre e Juniac, em que avisa que a aviação “enfrenta a mais grave crise” e avisa que sem medidas imediatas de mitigação por parte dos governos a indústria de aviação não sobreviverá.

Alexandre de Juniac defendeu que a aviação precisa de 200 mil milhões de dólares de apoio à liquidez simplesmente para passar por este período e acrescenta que se alguns governos já ‘se chegaram à frente’, muitos mais precisam de os seguir.

A IATA estima que este ano o tráfego transportado pelas companhias de aviação em RPK (do inglês para passageiros x quilómetros voados) irá cair 38%, com a queda mais forte, em 46%, a ocorrer nas companhias europeias.

Seguem-se, por ordem decrescente das previsões de queda de tráfego, as companhias da América Latina, com um decréscimo em 41%, as companhias do Médio Oriente, com -39%, as companhias da Ásia e Pacífico, com -37%, as companhias de África, com -32%, e finalmente as companhias da América do Norte, com -27%.

A IATA também divulgou as estimativas de quebras de receitas por regiões, apontando para um decréscimo de 88 mil milhões de dólares nas companhias da Ásia e Pacífico, 76 mil milhões nas companhias da Europa, 50 mil milhões nas companhias da América do Norte, 19 mil milhões nas companhias do Médio Oriente, 15 mil milhões nas companhias da América Latina e quatro mil milhões nas companhias de África.

 

Clique para mais notícias: IATA

Clique para mais notícias: Coronavírus

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Jet2.com programa 45 voos por semana de oito cidades britânicas para Faro em Agosto

14-07-2020 (16h42)

A low cost britânica Jet2.com, do Dart Group, de que fazem parte também o operador Jet2holidays tem programados 45 voos por semana de oito cidades britânicas para Faro, com preços desde 40 euros em Agosto, bem como outros oito para o Funchal, de sete origens no Reino Unido.

American Airlines programa retoma dos voos Filadélfia – Lisboa para 27 de Março

14-07-2020 (15h47)

A American Airlines, maior companhia de aviação do mundo que interrompeu os voos de/para Lisboa devido à pandemia de covid-19, tem programado retomar as ligações entre o seu hub de Filadélfia e a capital portuguesa no início do Verão IATA 2021.

Breeze Airways de David Neeleman adia início das operações para 2021

14-07-2020 (15h32)

A Breeze Airways, fundada por David Neeleman e que tinha previsto começar a voar em finais de 2020, adiou o início das operações para 2021.

Emirates prevê despedimento de 15% dos seus funcionários

13-07-2020 (16h52)

A Emirates, que já cortou 10% dos seus postos de trabalho, cerca de 6.000 funcionários, planeia despedir até 9.000 trabalhadores, que representam 15% do número de empregados antes da pandemia, afirmou o presidente da companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Grécia reabre a voos do Reino Unido mas exige teste negativo à covid-19

13-07-2020 (13h48)

A Grécia vai reabrir os seus aeroportos a voos do Reino Unido a partir de quarta-feira, mas exigirá aos passageiros a apresentação de um teste negativo ao novo coronavírus realizado até três dias antes.

Opinião e Análise