Lisboa e Porto reforçaram em 2019 o domínio do tráfego aéreo em Portugal

21-01-2020 (17h53)

Foto: ANA
Foto: ANA

Os aeroportos de Lisboa e do Porto tornaram-se em 2019 ainda mais decisivos para a evolução do tráfego aéreo em Portugal, concentrando praticamente três quartos dos passageiros em aeroportos portugueses, num total de 44,27 milhões de passageiros, com um aumento médio em 8,1%, enquanto o crescimento do conjunto dos aeroportos geridos pela ANA/Vinci foi de 6,9%.

Dados dos aeroportos portugueses mostram que Lisboa e Porto foram os aeroportos com crescimentos mais fortes em 2019, respectivamente em 7,4% e em 9,8%.

Em valor absoluto, o maior aumento foi em Lisboa, que teve mais 2,14 milhões de passageiros que em 2018, somando um total de 31,17 milhões, seguido pelo aumento no Porto, que foi de 1,16 milhões, atingindo o total de 13,1 milhões.

Desta forma, Lisboa subiu de 52,5% do total de passageiros em aeroportos geridos pela ANA/Vinci em 2018 para 52,7% em 2019 e o Porto passou de 21,6% para 22,2%.

Mais nenhum aeroporto ganhou quota no ano passado, embora, à excepção de Porto Santo e Beja, todos tivessem aumento de passageiros, o maior dos quais em Faro, que teve mais 323,6 mil que em 2018, ultrapassando a marca dos nove milhões, com 9,009 milhões, seguido por Ponta Delgada, que teve mais 122,5 mil ultrapassando a marca de dois milhões, com 2,027 milhões.

O Funchal, que tem o quarto maior aeroporto do país, teve um dos crescimentos mais modestos do ano de 2019, com apenas +0,8% ou mais cerca de 25 mil passageiros que em 2018, ultrapassando ainda assim a marca de 3,2 milhões, com 3,206 milhões.

A Horta continuou a ser em 2019 o 6º maior aeroporto, com quase 262 passageiros, à frente de Porto Santo, com 163,1 mil Santa Maria, com 100,4 mil, Flores, com 73,5 mil, e Beja, que não chegou a 800, com 770.

Beja foi, aliás, o aeroporto português com a maior quebra de passageiros do ano de 2019, com menos 4,3 mil (-84,9%), porque não se repetiu no ano passado a ANA ‘empurrar’ charters de Lisboa para Beja.

Igualmente em queda em 2019 esteve também o Aeroporto de Porto Santo, que teve menos 1,47 mil passageiros (-0,9%) que em 2018.

Dos restantes o maior aumento foi o do Aeroporto da Horta, que teve mais 14,9 mil passageiros que em 2018 (+6%), seguido pelas Flores, com mais 4,57 mil (+6,6%), e por Santa Maria, com mais 2,8 mil (+2,9%).

 

Para ler mais clique:

Aeroportos da ANA/Vinci cresceram 6,9% em 2019 e superaram marca de 59 milhões de passageiros

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair reduz mais 20% na capacidade para Outubro

18-09-2020 (17h04)

A Ryanair anunciou hoje uma redução adicional de 20% na capacidade para Outubro, além da redução de 20% já anunciada em Agosto, devido ao impacto das “contínuas mudanças nas políticas e restrições de viagens” na União Europeia.

Emirates retoma voos para Angola a 1 de Outubro

18-09-2020 (16h19)

A Emirates anunciou que vai retomar a rota Dubai – Luanda no dia 1 de Outubro, com um voo por semana.

Aeroportos europeus tiveram -69% de passageiros no seu melhor mês do ano

18-09-2020 (16h05)

Os aeroportos europeus tiveram este mês de Agosto, tradicionalmente o seu melhor mês do ano, uma quebra de passageiros em 69%, que equivale a uma perda de 176,5 milhões, de acordo com o ACI Europe.

Turismo europeu pede a Bruxelas testes coordenados para acabar com restrições de viagens divergentes

18-09-2020 (14h00)

Mais de 20 organizações europeias de turismo e de aviação pediram hoje à Comissão Europeia para acabar com a “contínua falta de coordenação” e as “restrições de viagens divergentes”, implementando um programa de testes comum para os viajantes.

Cidade de Wuhan recebe primeiro voo internacional desde Janeiro

18-09-2020 (13h09)

A cidade chinesa de Wuhan, primeiro local onde o novo coronavírus foi registado em Dezembro de 2019, recebeu o seu primeiro voo internacional desde Janeiro, quando o aeroporto foi encerrado devido à covid-19.

Opinião e Análise