Lufthansa alarma mercados com revisão em forte baixa da previsão de resultados

17-06-2019 (14h46)

Imagem: Lufthansa
Imagem: Lufthansa

A Lufthansa revelou hoje uma previsão de queda acentuada do resultado operacional ajustado de não recorrentes, que conduziu a forte quebra da sua cotação na Bolsa de Frankfurt e ‘ondas de choque’ nos títulos das outras companhias de aviação europeias.

O grupo alemão indicou que a sua nova previsão de resultado operacional (EBIT, do inglês para resultados antes de juros e impostos) aponta para 2.000 a 2.400 milhões de euros este ano, que compara com 2.836 milhões em 2018 e 2.969 milhões em 2017.

A informação indica ainda que assim o grupo antecipa uma margem operacional antes de não recorrentes entre 5,5% e 6,5%, quando antes previa uma margem entre 6,5% e 8% e em 2018 registara 7,9% e em 2019 tivera 8,3%.

A informação avança que o grupo prevê que a margem operacional ajustada das suas companhia de rede (Lufthansa, Swiss e Austrian) se situe entre 7% e 9%, quando anteriormente previa 7,5% a 9,5%.

Para a subsidiária Eurowings, que inclui a Brussels e que é associada ao negócio de voos low cost a degradação é mais drástica, pois passa de uma previsão de ‘equilíbrio’, com margem zero, para prejuízos, com a margem a situar-se entre -4% e -6%.

De acordo com a imprensa internacional a divulgação destas previsões atirou as acções do grupo para terreno negativo, com a queda a chegar aos 17% antes de ajustar para os 12% por volta das 9h00 e colocou também no ‘vermelho’ as acções de concorrentes como a Ryanair, a British Airways, a Wizz Air, a Air France e a easyJet, que registavam quedas até 4,4%.

 

 

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

KLM avisa que o seu calendário de Inverno será “muito mais restricto” devido à covid-19

25-09-2020 (14h10)

A companhia de aviação holandesa KLM informou que devido às restrições para travar a disseminação da covid-19, terá um programa de voos no próximo Inverno “muito mais restricto” que há um ano e especificou que em Novembro, primeiro mês do chamado Inverno IATA 20/21, terá apenas cerca de 55% da capacidade do mês homólogo de 2019.

Aeroporto de Helsínquia recorre a cães para detectar casos de coronavírus

25-09-2020 (13h23)

As autoridades finlandesas decidiram enviar cães pisteiros para detectar o novo coronavírus no maior aeroporto internacional da Finlândia para testar, durante os próximos quatro meses, um método alternativo que será mais barato e mais rápido na identificação de viajantes infectados.

Quebra de passageiros nos aeroportos portugueses atenuou-se para 66,3% em Agosto

23-09-2020 (14h20)

Os aeroportos portugueses tiveram em Agosto, pela primeira vez desde Março, uma quebra de passageiro inferior a 70%, com uma única excepção, do Aeroporto de Lisboa, que teve um decréscimo em 72%.

Rota Porto-Dortmund da Ryanair vai passar a ter três frequências semanais

23-09-2020 (11h32)

A Ryanair vai aumentar o número de frequências da rota Porto-Dortmund, na Alemanha, para três vezes por semana, a partir de 30 de Outubro.

Quebra da venda de voos pelas agências de viagens IATA portuguesas sobe para 71,7% depois de Agosto

22-09-2020 (17h52)

As agências de viagens IATA portuguesas que em 2019 atingiram o montante recorde de 964 milhões de euros em vendas de voos regulares, no final de Agosto deste ano estão com uma quebra de 470 milhões ou 71,7%.

Ultimas Noticias

Opinião e Análise