“Não é a TAP que pode assumir depois o lugar vazio”, avisa Dionísio Barum (2/3)

26-11-2018 (17h59)

Dionísio Barum
Dionísio Barum

"As tarifas têm regras e essas regras têm que ser cumpridas. E quando essas regras não são cumpridas há penalidades e essas penalidades alguém as tem que pagar", afirmou ao PressTUR o novo director de Vendas em Portugal da TAP, Dionísio Barum, que deixa o aviso: "Não é a TAP que pode assumir depois o lugar vazio".

Dionísio Barum acrescenta que simultaneamente a TAP vai ser "mais criteriosa no acesso ao espaço [lugares de avião]", sempre em nome de uma melhor gestão dos voos, que afirma será benéfica para ambas as partes, e apostando no "diálogo".

Nas mesmas declarações ao PressTUR Dionísio Barum diz que a TAP ainda não definiu uma política relativamente aos desenvolvimentos que estão a ocorrer na distribuição, como seja as taxas aplicadas a reservas em GDS, que são as ferramentas mais utilizadas pelas agências de viagens, por lhes garantirem o conhecimento e acesso à mais vasta oferta disponível para os seus clientes.

 

PressTUR: Como vai ser feita essa maior responsabilização das agências e operadores de que fala?

Dionísio Barum: Vai ser feita de uma forma muito clara. As tarifas têm regras e essas regras têm que ser cumpridas. E quando essas regras não são cumpridas há penalidades e essas penalidades alguém as tem que pagar. Não é a TAP que pode assumir depois o lugar vazio. Em segundo lugar nós vamos ser mais criteriosos no acesso ao espaço. Nós vamos querer ter um melhor relacionamento com os operadores e os operadores têm que ser responsabilizados por esse acesso ao espaço, no sentido de que o que nós lá temos é para vender, o que nós lá temos está vendido. E queremos que eles também desenvolvam novas oportunidades de venda. Estamos cá para ouvir novas oportunidades de venda, estamos cá para ver novos segmentos, estamos cá para aumentar destinos, porque é conhecido e sabido que nós vamos ter mais destinos. E a partir do momento em que temos mais destinos temos mais oportunidades para os operadores turísticos. Portanto estamos cá com eles. Mas tem que haver efectivamente esta aposta. Apostamos, apostamos um ano. O produto não deu, não era aquilo que a gente pensava, o produto não registou 5.000 reservas, só registou só duas mil, ok, estamos cá ainda para voltar a tentar. Agora não podemos é ter uma aposta de dez mil e ter uma composição de apenas 200.

 

PressTUR: Vai existir algum regulamento?

Dionísio Barum: Não, isto não se faz com regulamentos. Faz-se com os operadores, faz-se em diálogo previamente com os operadores, explicando as nossas dificuldades, as performances que eles não têm tido e juntamente com eles galvanizar o mercado. É bom para eles e bom para nós. Porque quando um voo está cheio de moscas, como costumo dizer, isso é mau, porque ele depois não vai conseguir vender a TAP, e vai conseguir vender é quem é mais barato, muitas vezes é a concorrência, o que é muito injusto para eles e para nós.

 

PressTUR: Como é que a TAP se está a posicionar face a esta tendência dos grandes grupos aéreos de apostar na vendas directas, taxando as reservas em GDS, etc?

Dionísio Barum: É o futuro, sabemos que o grupo Lufthansa tem, o grupo Iberia e British tem, sabemos que a Air France KLM tem algo semelhante, nós estamos ainda a delinear e a ver qual é a melhor estratégia de futuro. De momento não há ainda decisão sobre a matéria e portanto é business as usual. Quando houver uma decisão sobre a matéria é um assunto que a TAP certamente irá fazer eco sobre ele junto da comunicação social e nomeadamente dos media do trade.

 

Continua:

TAP "vai com certeza reposicionar-se" em futuros Congressos da APAVT - Dionísio Barum (3/3)

 

Ver também:

TAP vai responsabilizar mais as agências de viagens - Dionísio Barum (1/3)

 

Clique para ver mais: TAP

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Foram multadas 13 companhias aéreas no segundo dia de restrições

03-12-2021 (17h33)

No segundo dia da obrigatoriedade de desembarcarem em Portugal continental apenas passageiros com teste negativo à covid-19 ou certificado de recuperação, 13 companhias aéreas e 59 passageiros foram multados nos aeroportos portugueses.

Apoio à TAP “deve ser visto como um investimento” – ministro da Economia

03-12-2021 (12h24)

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou hoje que o apoio estatal à TAP "deve ser visto como um investimento que todos estamos a fazer num activo que é estratégico para o país", naquela que considera ser uma "das empresas mais críticas para o nosso futuro colectivo".

ANA alerta para urgência de decidir sobre o aeroporto de Lisboa, por estar a recuperar níveis de 2019

02-12-2021 (17h20)

O Chief Commercial Officer da ANA Aeroportos, Francisco Pita, alertou hoje para a urgência de aumentar a capacidade aeroportuária da região de Lisboa, indicando que os movimentos de aeronaves na Portela atingiram “em muitos dias de Novembro” números idênticos a 2019.

Portugal já multou 152 passageiros e dez companhias aéreas por incumprimento das novas regras covid-19

02-12-2021 (17h14)

A PSP e o SEF registaram na quarta-feira 152 contraordenações de pessoas que desembarcaram nos aeroportos portugueses sem teste negativo à covid-19 ou certificado de recuperação, revelou hoje à Lusa o Ministério da Administração Interna (MAI).

United Airlines anuncia novas datas para a rota Ponta Delgada-Nova Iorque

02-12-2021 (16h31)

A companhia aérea norte-americana United Airlines vai voar entre Ponta Delgada e Nova Iorque, a partir de 14 Maio de 2022, e vai retomar as ligações entre Porto e Nova Iorque e entre Lisboa e Washington D.C. no dia 27 de Março.

Opinião e Análise