Negócios na plataforma de comércio da Travelport aumentam 12% no primeiro semestre

02-08-2018 (16h28)

Imagem: Travelport
Imagem: Travelport

A plataforma de comércio de produtos turísticos da Travelport processou no primeiro semestre negócios no montante global de 46,7 mil milhões de dólares (cerca de 40 mil milhões de euros), com um aumento em 12% relativamente ao período homólogo de 2017, informou hoje a empresa.

A informação especifica que no segundo trimestre o aumento foi em 11%, para 23,44 mil milhões de dólares (cerca de 20 mil milhões de euros).

Relativamente aos produtos e serviços comercializados, sabe-se que os voos são a maior fatia, mas a empresa indica apenas que no primeiro semestre estão incluídas 34,35 milhões de noites de hotel e 53,3 milhões de dias de rent-a-car, com aumentos respectivamente em 2% e em 5%.

No segundo trimestre, o aumento do número de noites de hotel foi de 2%, para 17,78 milhões, mas em rent-a-car houve uma estagnação em baixa, para 28,6 milhões de dias.

O processamento destes negócios, de acordo com a informação disponibilizada pela Travelport, geraram-lhe uma receita de 1.290,6 milhões de dólares (1,1 mil milhões de euros) no primeiro semestre, em alta de 7% relativamente ao período homólogo, com +2% no segmento que designa por Air, referindo-se a Aviação, que somou 916,88 milhões de dólares (785,2 milhões de euros), e +21% no Beyond Air, onde inclui designadamente hotelaria, rent-a-car e processamento de pagamentos, designadamente pela sua subsidiária eNett, que foi mais uma vez ‘a estrela’ do crescimento.

No segundo trimestre, o crescimento das receitas obtidas pela Travelport com a sua plataforma de comércio foi ainda mais forte, situando-se em 9%, com +5% no segmento Air e +21% no Beyond Air, nomeadamente pelo aumento em 82% da eNett.

O balanço evidencia que os aumentos de receita foram gerados principalmente por subidas da receita média por segmento, unidade utilizada pelos GDS, que aumentou em média 7% no semestre, com +9% no segundo trimestre.

O número de segmentos, por sua vez, teve uma estagnação em baixa tanto no semestre, ficando em 179,25 milhões, quanto no segundo trimestre, com 86,9 milhões.

 

Ver também:

Travelport cresce 24% na Europa no 2º trimestre, mas não evita quebra do lucro em 80%

 

Clique para mais notícias: Travelport

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

‘Família’ Pedrosa sai da Administração da TAP, mas grupo Barraqueiro mantém ‘representante’ (Actualiza)

01-10-2020 (12h41)

A TAP anunciou hoje a renúncia de Humberto Pedrosa e do seu filho David Pedrosa dos cargos que exerciam no grupo aéreo, nomeadamente de presidente da Administração e Vogal da Administração da companhia aérea TAP, SA, mas sem que o seu Grupo Barraqueiro deixe de estar representado.

Humberto e David Pedrosa renunciam aos cargos na administração na TAP

01-10-2020 (09h14)

Humberto e David Pedrosa apresentaram na quarta-feira a renúncia aos cargos de presidente e vogal, respectivamente, na TAP e nas demais sociedades do Grupo TAP onde exercem funções de administração.

Aer Lingus programa ter quatro voos por semana Dublin – Faro este Outubro

30-09-2020 (17h53)

A companhia de aviação irlandesa Aer Lingus, do IAG, tem programado fazer quatro voos por semana entre Dublin e Faro de 1 a 24 de Outubro, que são as últimas semanas do chamado Verão IATA.

TAP liga 25% mais cidades mesmo tendo só 30% da capacidade, diz o seu Chief Revenue & Network

30-09-2020 (17h46)

O Chief Revenue & Network da TAP, Arik De, comentou nas redes sociais que a companhia, embora tenha a sua capacidade reduzida a 30% do que tinha há um ano, liga 25% mais de cidades do que antes da pandemia, com uma redução de 92% no tempo médio de ligação.

South African Airways suspende todas as operações por dificuldades financeiras

30-09-2020 (14h40)

A companhia de aviação sul-africana South African Airways suspendeu todas as suas operações depois de ter falhado o plano de salvamento que envolvia um financiamento de 10 mil milhões de rands (507 milhões de euros).

Opinião e Análise