Pandemia enfatizou importância da sustentabilidade na aviação – CEO da TAP

16-09-2021 (17h22)

Foto: TAP
Foto: TAP

A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, disse hoje que indústria da aviação foi “bastante afectada” pela pandemia de covid-19 e, com esta crise, ganharam importância as questões da sustentabilidade.

A crise derivada da pandemia de covid-19 enfatizou o facto “de que a sustentabilidade é mais importante e irá contribuir para um futuro melhor para a indústria”, frisou a executiva, durante a conferência “A World for Travel”, a decorrer em Évora.

Na sua intervenção, em que realçou que “a indústria da aviação foi bastante afectada” pela pandemia, Christine Ourmières-Widener assinalou alguns passos que têm sido dados em matéria de sustentabilidade no sector, aproveitando o momento de crise.

“Todas as companhias aéreas aproveitaram a oportunidade da crise para renovar a sua frota”, o que “tem um enorme impacto” nas emissões para a atmosfera de gases com efeito de estufa, “porque as novas aeronaves têm uma melhor eficiência operacional e queimam menos combustível”, disse.

E é “o que a TAP tem feito também”, pois, já tinha começado “uma renovação completa da frota há alguns anos” e, agora, está “a terminar esse processo”, disse.

Numa altura de crise, “o investimento pode ter de ser adiado”, mas “todo este investimento na frota e também a renovação da frota são escolhas sustentáveis também para nós”, as companhias de aviação, defendeu.

Quando a crise passar, se as companhias quiserem “ser mais fortes”, precisam de “continuar a renovar a frota” e de “ter uma aeronave sustentável, porque esse será também o futuro da indústria e o futuro da estrutura de custos”, acrescentou.

A CEO da TAP também sublinhou na mesma intervenção que a crise da pandemia tem sido “muito diferente de uma região [do mundo] para a outra”. Como exemplo, disse que a redução da procura no mercado doméstico nos EUA “começou muito antes do que em outros” mercados.

Quanto ao mercado sul-americano, a crise teve “um impacto profundo”, indicou, destacando que, no que respeita à TAP, vai ter agora “uma lenta recuperação, graças abertura por exemplo das fronteiras do Brasil”.

“Muito obrigado por esta boa notícia para nós”, congratulou-se a responsável da TAP, insistindo que o impacto da crise difere de país para país “dependendo das fronteiras estarem abertas ou não” e defendendo que, perante esta diversidade de cenários, as companhias aéreas têm de ser “flexíveis e adaptáveis”.

(Notícia Lusa)

 

Clique para ver mais: TAP

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroportos enfrentam novas perdas e dívidas elevadas

26-10-2021 (15h32)

Os aeroportos europeus viram a sua dívida aumentar 200% em relação aos níveis anteriores à pandemia e muitos vão registar de novo perdas importantes este ano, advertiu hoje a associação do sector.

Thomas Ahlers é o novo director de Vendas do Grupo Lufthansa em Portugal

26-10-2021 (09h41)

O Grupo Lufthansa anunciou a nomeação de Thomas Ahlers para o cargo de general manager sales para Portugal, que estará baseado em Lisboa a partir de 1 de Novembro, sucedendo a Patrick Borg Hedley.

TICV retoma voos domésticos em Cabo Verde com mais de 400 passageiros num dia

25-10-2021 (13h50)

A Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV), detida pelo grupo angolano BestFly, retomou as ligações aéreas domésticas no arquipélago, com mais de 400 passageiros transportados e uma taxa de ocupação de 66% no primeiro dia, divulgou a companhia.

Aeroporto de Lisboa atenuou em Setembro a quebra de passageiros pela pandemia para menos de 45%

22-10-2021 (16h36)

O Aeroporto de Lisboa somou nos primeiros nove meses deste ano 7,77 milhões de passageiros de voos comerciais, registando assim uma quebra média de 70,2% face ao período homólogo de 2019, pré-pandemia, mas no mês de Setembro essa quebra atenuou-se para 44,8%.

Comunidade luso-venezuelana pede a Caracas que autorize a TAP a fazer voos directos para Portugal

22-10-2021 (13h55)

A comunidade luso-venezuelana espera que o Governo venezuelano autorize proximamente a TAP a realizar voos directos entre Caracas e Lisboa, a exemplo do que já aconteceu com outras empresas aéreas e outros destinos, mas está apreensiva devido à proximidade do Natal.

Opinião e Análise