Quebra de passageiros nos aeroportos portugueses atenuou-se para 66,3% em Agosto

23-09-2020 (14h20)

Os aeroportos portugueses tiveram em Agosto, pela primeira vez desde Março, uma quebra de passageiro inferior a 70%, com uma única excepção, do Aeroporto de Lisboa, que teve um decréscimo em 72%.

Dados dos Aeroportos portugueses a que o PressTUR teve acesso mostram que Agosto se manteve um mês de grande actividade nos aeroportos portugueses, apesar da pandemia, com mais de dois milhões de passageiros pela primeira vez desde Fevereiro, ao somar 2,13 milhões.

Mas é habitual Agosto ser o melhor mês nos aeroportos portugueses, o que é novidade é continuar a sê-lo em tempos de pandemia e, principalmente, a atenuação da quebra face ao mês homólogo de 2019, com o decréscimo a ficar em 66,3%, depois de -79,8% em Julho, -94,8% em Junho, -98,6% em Maio e -99,4% em Abril.

Os dados da ANA/Vinci a que o PressTUR teve acesso indicam também que Lisboa manteve-se o maior aeroporto português em Agosto, com 876,9 mil passageiros, apesar de ter sofrido a maior quebra relativa, em 72%, que não será alheia ao facto de a região de Lisboa e Vale do Tejo se ter tornado nesse mês ‘o epicentro’ da pandemia em Portugal.

Seguiram-se, em número de passageiros, o Porto, com 582,3 mil passageiros, Faro, com 410,5 mil, Funchal, com 114,7 mil, e Ponta Delgada, com 105,4 mil.

Neste grupo de maiores aeroportos portugueses em Agosto, depois de Lisboa a maior quebra relativa de passageiros ocorreu em Faro, com -65,6%, e, seguidamente, no Funchal, com -64%, Ponta Delgada, com -59,5%, e Porto, com -56,9%.

Em valor absoluto, em que a queda de passageiros nos aeroportos portugueses atingiu 4,2 milhões, mais de metade (53,6%) da qual no Aeroporto de Lisboa, que teve menos 2,25 milhões de passageiros que em Agosto de 2019.

Faro, penalizado pela decisão britânica de excluir Portugal Continental da sua lista de ‘países seguros’, teve a segunda maior quebra, com menos 781,8 mil passageiros que há um ano, e seguiu-se o Porto, com menos 767,4 mil.

Os aeroportos do Funchal e de Ponta Delgada, por sua vez, tiveram quebras de 203,6 mil e 154,6 mil passageiros, respectivamente.

A informação a que o PressTUR teve acesso mostra que este Agosto os aeroportos portugueses tiveram quase metade dos voos do ‘pico’ da época estival de 2019, com 22,5 mil movimentos (aterragens e descolagens), -48,2% ou menos 20,9 mil que há um ano, embora este indicador seja pouco fiável, pois omite a capacidade e menos voos poderão não ser menos lugares.

A quebra mais forte foi em Lisboa, com -56,5% ou menos 11,6 mil, seguindo-se o Porto, com -44,2% ou menos 4,1 mil, Funchal, com -43,3% ou menos 9659, Faro, com -42,1% ou menos 3,1 mil, e Ponta Delgada, com -31,6% ou menos 779.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroporto de Lisboa atenuou em Setembro a quebra de passageiros pela pandemia para menos de 45%

22-10-2021 (16h36)

O Aeroporto de Lisboa somou nos primeiros nove meses deste ano 7,77 milhões de passageiros de voos comerciais, registando assim uma quebra média de 70,2% face ao período homólogo de 2019, pré-pandemia, mas no mês de Setembro essa quebra atenuou-se para 44,8%.

Comunidade luso-venezuelana pede a Caracas que autorize a TAP a fazer voos directos para Portugal

22-10-2021 (13h55)

A comunidade luso-venezuelana espera que o Governo venezuelano autorize proximamente a TAP a realizar voos directos entre Caracas e Lisboa, a exemplo do que já aconteceu com outras empresas aéreas e outros destinos, mas está apreensiva devido à proximidade do Natal.

China cancela centenas de voos domésticos após diagnosticar dezenas de casos

21-10-2021 (16h34)

A China cancelou hoje centenas de voos, encerrou escolas e intensificou os testes em algumas áreas, após ter descoberto surtos de covid-19 ligados a um grupo de turistas.

Ana Francisca Major eleita nova presidente do conselho de administração da TAAG

21-10-2021 (09h07)

Os accionistas da companhia aérea angolana TAAG elegeram hoje um novo conselho de administração presidido por Ana Francisca da Silva Major, um presidente da comissão executiva, quatro administradores executivos e um não executivo, anunciou o Governo.

Venezuela restringe voos internacionais por tempo indeterminado

20-10-2021 (15h25)

As autoridades venezuelanas prolongaram, por tempo indeterminado, as restrições às operações aéreas internacionais em vigor no país, devido à quarentena preventiva da covid-19.

Opinião e Análise