Ryanair prevê operar este Verão 80% da programação habitual em Portugal

25-03-2021 (18h47)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

O CEO da companhia Ryanair, Eddie Wilson, anunciou hoje que a low cost vai operar este Verão cerca de 600 voos por semana em 121 rotas internacionais de/para Portugal e em cinco domésticas, especificando que isso corresponde “a cerca de 80% do calendário que normalmente esperaríamos”.

O Aeroporto do Porto é onde a Ryanair prevê ter mais rotas, com um total de 55, com cerca de 200 voos por semana, o mesmo número de frequências semanais que programou para Faro, onde terá 36 rotas.

Em Lisboa, a low cost prevê operar 29 rotas com cerca de 170 voos por semana, enquanto para Ponta Delgada a Ryanair programou operar quatro rotas com cerca de 20 voos por semana, e para a Terceira, duas rotas com seis voos por semana.

A Ryanair destacou como novidades as rotas Faro – Belfast, com voos diários, que já tinha sido anunciada no início do mês, e Lisboa – Colónia, com dois voos por semana, que já tinha sido anunciada em Outubro do ano passado (clique para ler: Ryanair vai voar Faro – Belfast City este Verão / Ryanair vai voar Lisboa – Colónia no próximo Verão).

Eddie Wilson, que falava à imprensa portuguesa numa conferência online, disse que espera uma aceleração do processo de vacinação na Europa em Abril e Maio e que, com isso, “haverá viagens este Verão, absolutamente”.

A vacinação, aliás, é a condição para a retoma da viagens, segundo o CEO da Ryanair. “As restrições de viagens serão levantadas quando os níveis de vacinação fizerem baixar a taxas de infecção, as hospitalizações e os internamentos em Unidades de Cuidados Intensivos”.

Sobre a evolução das reservas nos voos de/para Portugal, Eddie Wilson disse que aquilo que a low cost pode fazer “é meter os voos à venda” e que isso é “uma demonstração do nosso compromisso”.

“Temos que ser optimistas, temos que lançar a programação”, frisou o executivo. “Toda a gente sabe que há restrições e que as pessoas não estão tão propensas a reservar nestas circunstâncias. Mas, continuo a repetir isto, é tudo uma questão de levantar as restrições e a única forma de levantar as restrições é através da vacinação”.

Questionado pelos jornalistas, Eddie Wilson aproveitou ainda a conferência de imprensa para repetir a posição da Ryanair sobre os apoios estatais em contexto de pandemia às companhias aéreas, designadamente os concedidos à TAP e à SATA, que pretende ver anulados, tendo para isso apresentado queixas nos tribunais europeus.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

easyJet assinala entrada de Portugal na ‘lista verde’ do Reino Unido com voos Newcastle-Faro

10-05-2021 (19h15)

A companhia de aviação easyJet anunciou que vai voar entre Newcastle e Faro este Verão, a partir de 19 de Julho, com três frequências semanais.

TAP pede insolvência da Groundforce

10-05-2021 (19h02)

A TAP anunciou hoje em comunicado que requereu a insolvência da SPdH – Serviços Portugueses de Handling, S.A. (Groundforce) com o objectivo, “se tal for viável, de salvaguardar a viabilidade e a sustentabilidade da mesma, assegurando a sua actividade operacional nos aeroportos portugueses”.

Ryanair avança em força para aproveitar a ‘luz verde’ do Reino Unido às férias em Portugal

10-05-2021 (13h07)

A low cost Ryanair, pré-pandemia segunda maior companhia de aviação em passageiros transportados de/para Portugal, anunciou a inclusão de “175.000 lugares extra” em 75 voos adicionais do Reino Unido para Portugal para que os seus passageiros possam aproveitar a inclusão de Portugal na “lista verde” de destinos de lazer.

Azul sofre quebra de receita de mil milhões de reais

07-05-2021 (16h15)

A companhia de aviação brasileira Azul, fundada e presidida por David Neeleman, ex-accionista de referência da TAP, comunicou hoje ao mercado que a sua receita no primeiro trimestre ficou em 1,8 milhões de reais, menos mil milhões ou menos 34,9% que no primeiro trimestre de 2020, no qual ainda tivera crescimento face ao ano anterior, em 10,3%.

Amadeus caiu para prejuízos no primeiro trimestre

07-05-2021 (16h09)

O Amadeus, conhecido como uma das empresas mais lucrativas da área das viagens, declarou um prejuízo de 95,3 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, que compara com lucros de 298,5 milhões no período homólogo de 2019, pré-pandemia.

Opinião e Análise