SATA tem nova Administração a partir de segunda-feira

10-08-2018 (16h10)

Foto: ANA
Foto: ANA

A nova Administração da companhia de aviação açoriana SATA, presidida por António Luís Gusmão Teixeira, toma posse na segunda-feira, informou hoje o Governo Regional dos Açores.

A equipa integra também Ana Maria da Silva Azevedo e Vítor Manuel de Jesus Francisco Costa, indica o executivo açoriano.

O Governo dos Açores anunciou a 14 de Julho a escolha do gestor de empresas António Luís Gusmão Teixeira para a presidência do Conselho de Administração da SATA, substituindo Paulo Meneses, que ocupava o cargo desde o final de 2015.

António Teixeira já afirmou estar "muito optimista" com o futuro da transportadora aérea açoriana.

Ana Azevedo, que integrará também a Administração da empresa, é apresentada pelo Governo dos Açores como “uma profunda conhecedora do Grupo SATA, no qual trabalha desde 1984, tendo desempenhado ao longo dos anos diversas funções nas empresas do grupo".

Vítor Costa, por sua vez, é licenciado em Gestão e Administração Pública, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade Técnica de Lisboa, e possui uma especialização em gestão de Recursos Humanos.

O grupo SATA anunciou em 17 de Abril que a Loftleiðir Icelandic foi pré-qualificada para a segunda fase do processo de negociação da alienação de 49% do capital social da Azores Airlines.

Segundo o grupo, ficou pré-qualificado o único potencial comprador que apresentou manifestação de interesse na Azores Airlines.

De acordo com o caderno de encargos da alienação de capital da operadora açoriana, o futuro accionista terá que “respeitar obrigatoriamente” a manutenção do plano de renovação da frota iniciado com a recepção de um Airbus A321 NEO.

O candidato terá ainda de promover o “cumprimento da operação aérea regular mínima”, sendo que esta contempla as ligações entre o continente e os Açores, nomeadamente as rotas liberalizadas entre Ponta Delgada e Lisboa, Ponta Delgada e Porto, Terceira e Lisboa e Terceira e Porto.

Também é exigido que assegure as ligações de obrigação de serviço público entre Lisboa e Horta, Lisboa e Pico, Lisboa e Santa Maria e Ponta Delgada e Funchal, bem como a ligação de Ponta Delgada com Frankfurt, a par das rotas a partir da Terceira e Ponta Delgada para Boston e Oakland, nos Estados Unidos, e Toronto, no Canadá.

 

Clique para mais notícias: SATA

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

easyJet assinala entrada de Portugal na ‘lista verde’ do Reino Unido com voos Newcastle-Faro

10-05-2021 (19h15)

A companhia de aviação easyJet anunciou que vai voar entre Newcastle e Faro este Verão, a partir de 19 de Julho, com três frequências semanais.

TAP pede insolvência da Groundforce

10-05-2021 (19h02)

A TAP anunciou hoje em comunicado que requereu a insolvência da SPdH – Serviços Portugueses de Handling, S.A. (Groundforce) com o objectivo, “se tal for viável, de salvaguardar a viabilidade e a sustentabilidade da mesma, assegurando a sua actividade operacional nos aeroportos portugueses”.

Ryanair avança em força para aproveitar a ‘luz verde’ do Reino Unido às férias em Portugal

10-05-2021 (13h07)

A low cost Ryanair, pré-pandemia segunda maior companhia de aviação em passageiros transportados de/para Portugal, anunciou a inclusão de “175.000 lugares extra” em 75 voos adicionais do Reino Unido para Portugal para que os seus passageiros possam aproveitar a inclusão de Portugal na “lista verde” de destinos de lazer.

Azul sofre quebra de receita de mil milhões de reais

07-05-2021 (16h15)

A companhia de aviação brasileira Azul, fundada e presidida por David Neeleman, ex-accionista de referência da TAP, comunicou hoje ao mercado que a sua receita no primeiro trimestre ficou em 1,8 milhões de reais, menos mil milhões ou menos 34,9% que no primeiro trimestre de 2020, no qual ainda tivera crescimento face ao ano anterior, em 10,3%.

Amadeus caiu para prejuízos no primeiro trimestre

07-05-2021 (16h09)

O Amadeus, conhecido como uma das empresas mais lucrativas da área das viagens, declarou um prejuízo de 95,3 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, que compara com lucros de 298,5 milhões no período homólogo de 2019, pré-pandemia.

Opinião e Análise