TAP manteve-se líder do transporte aéreo de passageiros de/para Portugal em 2020

19-01-2021 (17h40)

Apesar do impacto catastrófico da pandemia de covid-19 na sua actividade, a TAP manteve-se no ano passado a empresa líder no transporte aéreo de passageiros de/para Portugal.

Os dados publicados pela ANAC, autoridade aeronáutica portuguesa, apontam para que a companhia portuguesa tenha sido a transportadora de 32% dos 17,3 milhões de passageiros que voaram de/para aeroportos portugueses, num total de aproximadamente 5,5 milhões.

A TAP suplantou assim as suas principais concorrentes, as duas maiores low cost europeias, a Ryanair e a easyJet, que o PressTUR calcula, com base nos dados da ANAC, terem transportado, respectivamente, 18,9% e 12,3% dos passageiros que voaram de/para Portugal.

Os cálculos indicam que a Ryanair transportou de/para Portugal cerca de 3,3 milhões de passageiros e a easyJet, cerca de 2,1 milhões.

Os dados da ANAC são publicados por mês e indicam que a TAP liderou no último mês de 2020, com 358.906 passageiros, mais 187 mil que a nº2, a Ryanair, e mais 238 mil que a nº 3, que é o conjunto das três marcas da easyJet.

A informação da ANAC indica que a generalidade das companhias transportou mais passageiros de/para Portugal que em Novembro, mas mantendo fortes quebras em relação ao mês homólogo de 2019.

A TAP teve um aumento de 44,8% face a Novembro, mas uma queda de 77,1% em relação a Dezembro de 2019, a Ryanair, com 171,8 mil passageiros, aumentou 20,3% em relação a Novembro, mas teve uma queda de 75,1% em relação a Dezembro de 2019, e a easyJet, com 72.828 passageiros no total das suas três marcas, teve aumento de 169,4% em relação a Novembro mas queda de 71,4% em relação a Dezembro de 2019.

As maiores companhias foram, seguidamente, a Transavia, com 52,6 mil passageiros, a SATA Internacional, com 21,4 mil, a Lufthansa, com 19,9 mil, a SATA Air Açores, com 18,7 mil, a KLM, com 18 mil, a Air France, com 16,3 mil, a Swiss, com 15,9 mil, a Iberia, com 12 mil, a Luxair, com 11,4 mil, e a British Airways, com 10,6 mil.

O PressTUR pode calcular que relativamente a Dezembro de 2019 a TAP teve uma quebra de 1,2 milhões de passageiros, a Ryanair teve menos 518 mil, o conjunto das três marcas da easyJet teve menos 333,9 mil, a Transavia teve menos 84 mil, a SATA Internacional teve menos quase 35 mil, a Lufthansa teve menos 46 mil, a Air France teve menos cerca de 51 mil e a Iberia teve menos cerca de 47 mil.

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: ANAC

Clique para mais notícias: TAP

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Travelport anuncia nova plataforma que irá “reinventar o retalho de viagens”

25-02-2021 (17h27)

A Travelport, empresa a que pertence o Galileo, sistema global de reservas (GDS) mais utilizado pelas agências de viagens portuguesas, está a investir na “reconstrução completa” da sua plataforma para apresentar um novo marketplace quer irá “reinventar o retalho de viagens”.

França faz pleno da liderança de passageiros nos três maiores aeroportos portugueses

25-02-2021 (17h07)

França foi a primeira origem/destino de passageiros dos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro no primeiro mês deste ano, destronando o Reino Unido no Algarve, onde os voos de/para as ilhas britânicas tiveram uma quebra em 96%, que é a maior de todos os aeroportos em Janeiro.

Manifesto Europeu de Turismo divulga recomendações para planear retoma das viagens a tempo do Verão

25-02-2021 (15h15)

O Manifesto Europeu de Turismo, que reúne mais de 60 organizações de turismo europeias, públicas e privadas, defende a criação de um grupo de trabalho liderado pela Comissão Europeia para preparar a retoma das viagens a tempo do Verão.

Travelport revela nova imagem em antecipação de “um ano de avanços significativos”

25-02-2021 (14h12)

A multinacional tecnológica Travelport, da qual faz parte o GDS Galileo, líder entre as agências de viagens portuguesas, revelou a sua nova imagem, que segundo Greg Webb, CEO, reflecte a nova identidade da empresa e a sua "visão para o futuro".

ECTAA quer acção das instituições europeias para travar atrasos nos reembolsos de viagens

23-02-2021 (18h24)

A ECTAA, organização que junta as associações de agências de viagens e operadores turísticos da Europa, quer que as instituições europeias actuem no sentido de obrigar as companhias de aviação a reembolsarem pelos voos não realizados pelos impactos da pandemia de covid-19.

Opinião e Análise